ENTRETENIMENTO
04/03/2019 12:44 -03 | Atualizado 04/03/2019 18:10 -03

Gabriela, do BBB 19, coloca racismo e amor próprio na pauta do reality

A sister foi elogiada por Tiago Leifert após a sua defesa para permanecer no Big Brother Brasil.

Divulgação/TV Globo
Gabriela diz que participar do programa tem sido importante para reafirmar a sua identidade como mulher negra.

Indicada para um paredão falso durante o Carnaval, a paulista Gabriela Hebling, 32 anos, foi elogiada por Tiago Leifert após a sua defesa para permanecer no Big Brother Brasil no último domingo (3).

Para ela, participar do programa tem sido importante para reafirmar a sua identidade como mulher negra - e aprender a como lidar com as consequências disso.

“Estou muito feliz. Acho que é a experiência mais doida que vivi na minha vida. O Big Brother me trouxe amor próprio, a força de uma mulher preta que estava aqui resguardada de tanta porrada que já levei. Tô muito feliz. Queria pedir pra ficar mais pra galera que se identificou ou gostou de mim um pouquinho. E quem não gostou, dá uma olhadinha de novo. Eu sou gente boa”, declarou a sister.

Segundo o apresentador, a justificativa da sister era “inédita” e demonstrava a importância de se discutir o racismo no programa.

Ainda no confessionário, Leifert elogiou a moça.

“Foi bem. Gostei, hein. Usou palavras diferentes, foi uma justificativa inédita, diferente de tudo que a gente já teve aqui.”

Racismo no BBB

Apesar de ser um programa de entretenimento, o elogio de Leifert demonstra a preocupação de que o BBB também reflita sobre questões políticas da sociedade.

Não são poucos os casos de racismo apontados no programa. Ainda nesta edição, em fevereiro, uma declaração do brother Maycon foi considerada racista e preconceituosa.

Maycon disse que ‘ouviu vozes’ enquanto Rodrigo e Gabi dançavam ao som da música Identidade, samba de Jorge Aragão que exalta a negritude.

“Tava comendo sentado aqui nesta cadeira quando, de repente, senti um arrepio. Começou a tocar umas músicas esquisitas e os dois [Rodrigo e Gabi] estavam numa sincronia que até achei bacana assim que olhei, juro”, disse em conversa com Diego durante a madrugada.

“Mas aí escutei uns negócios, tipo ‘não faça igual a eles’. Aí veio Jesus Cristo na minha mente ’se você fizer igual a eles, eles ganham mais força”, completou.

Em outro episódio, também do BBB 19 Paula von Sperling, uma das participantes, foi apontada como racista ao comentar dizer que tem medo de Rodrigo, que é negro, “porque ele ficou falando lá dos Oxum dele” e também ao afirmar que, por ter avô negro, poderia se dizer uma “mulher negra”.