NOTÍCIAS
28/08/2019 15:06 -03 | Atualizado 28/08/2019 15:24 -03

No Acre, queimadas elevam quantidade de monóxido de carbono na atmosfera e pioram qualidade do ar

Efeito da fumaça já causa danos à saúde de moradores da região, que está em estado de emergência. Na capital, crianças estão com dificuldade de respirar.

Itaan Arruda/HuffPost Brasil
acre

Rio Branco, AC - As queimadas que atingem a região da Floresta Amazônica  têm elevado significativamente a quantidade de monóxido de carbono na atmosfera. Só no último dia 25 de agosto, no Acre, por exemplo, foram emitidas 60.580 toneladas de monóxido de carbono. No dia seguinte, a qualidade do ar passou a variar de duas a dez vezes pior do que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os efeitos já atingem a saúde de moradores de região. Por causa da má qualidade do ar, Jucilene Pereira, de 24 anos, viu mudar a rotina do seu terceiro filho, Enzo Gabriel, de apenas 11 meses.

“Estava tudo bem, mas quando começaram as fumaças o peitinho dele ficou assim, ó”, diz a mãe à reportagem do HuffPost, ao mostrar o tórax da criança, inquieto, denunciando uma taquicardia e dificuldade em respirar.

“Minhas outras crianças tiveram algum problema assim. As crianças sempre têm. Mas, desse jeito aqui do Enzo, não. Parece que tá piorando”, pontuou.

Na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Sobral, em Rio Branco, onde Jucilene levou Enzo, a cada instante chegavam mais pessoas. A atendente da unidade também sofreu com os impactos da fumaça. “Tivemos que fechar as portas porque bem de madrugada estava só fumaça aqui”, disse, sem querer se identificar.

No fim de semana, uma partida de futebol entre o Atlético Acriano e o Luverdense pela Série C do Campeonato Brasileiro de Futebol teve que ser interrompida por causa dos resíduos das chamas, que invadiram o estádio Florestão, localizado às margens da BR-364.

É nesta rodovia que estão localizados os municípios acreanos com maior número de focos de calor: Feijó, Tarauacá, Sena Madureira e Manoel Urbano. A BR-364 é estratégica para o escoamento da produção de carne em áreas rurais localizadas próximas à estrada.

No último dia 23, o Acre decretou situação de emergência por causa dos incêndios. O Estado é o 8º da Amazônia Legal em números de focos de calor. Com 2.872 pontos registrados entre 1º de janeiro a 25 de agosto, é o equivalente a 5% do total de queimadas em todo País.