OPINIÃO
03/03/2020 14:01 -03 | Atualizado 03/03/2020 14:01 -03

Será que Pyong Lee é tão favorito para vencer o BBB quanto ele acha?

Popularidade do mágico e hipnólogo será testada no Paredão contra Guilherme e Gizelly, que promete ser o mais disputado até aqui.

De mais votado da casa para o primeiro Paradão ao mestre supremo da manipulação no BBB, o mágico e hipnólogo Pyong Lee - que briga voto a voto com Guilherme pela permanência no reality até a noite desta terça (3) - é, certamente, um dos grandes protagonistas da atual edição do programa.

Mas seu protagonismo conquistado na base de muito jogos mentais e estratégia após uma primeira semana complicada pode se virar contra ele no Paredão decisivo desta noite?

Prévias da votação que decidirá o 6º participante a deixar a casa apontam um equilíbrio muito grande entre a eliminação de Pyong e Guilherme. Uma rejeição que o hipnólogo parecia não ter. Pelo menos até antes da famigerada festa Guerra e Paz, que aconteceu na noite do dia 8 de fevereiro.

Na festa, Pyong tentou beijar a força a sister Marcela e abusou da mão boba em Flayslane. Por seu comportamento inadequado, ele foi repreendido pela direção do programa. Marcela e Flayslane não “prestaram queixa” contra o colega de reality.  

Nas redes sociais, o ambiente em que Pyong prospera com seu canal no YouTube (que possui mais de 7 milhões de inscritos), uma quantidade considerável de pessoas pediu a expulsão dele.

O assunto voltou à berlinda quando ao justificar seu voto em Pyong para mandá-lo diretamente ao Paredão, no domingo (1), Guilherme tentou relembrar o ocorrido, mas foi sumariamente interrompido pelo apresentador Tiago Leifert, que advertiu o brother dizendo que aquele assunto já havia sido resolvido, deixando Guilherme sem graça.

Mas o feitiço virou contra o feiticeiro quando o próprio Pyong, no jogo da discórdia, na noite desta segunda (2), tentou jogar o argumento que Guilherme usou na votação para o Paredão contra seu adversário e também foi reprimido por Leifert.

“Se eu não deixei o Guilherme falar ontem porque ele não tinha todas as informações, e ele não tem, porque ele não sabe [o que aconteceu no confessionário quando Pyong foi chamado pela produção], também não vou deixar que você use isso como se você fosse a vítima, porque você não é. Você foi o infrator. Você foi chamado no confessionário e foi advertido”, disse o apresentador.

Reprodução/TV Globo
Pyong e Guilherme disputa voto a voto sua permanência no reality.

Além de toda essa confusão com o caso da festa Guerra e Paz, o “jogo aberto” de Pyong, que passa seus dias na casa quase que só falando de estratégias de jogo (ele usa até uns feijõezinhos para explicar táticas de voto para quem quer ou não escutar), vem incomodando não só alguns colegas de confinamento, mas uma fatia do público mais tradicional do programa, que não gosta de participantes que “joguem” abertamente. Uma audiência que não faz parte do grupo de seguidores que o hipnólogo está acostumado.

Isso sem falar na elevada autoconfiança de Pyong, que também é tachada, na casa e fora dela, como arrogância. Ele já chamou alguns de seus adversários, como Felipe Prior - que voltou fortalecido do último Paredão em que Bianca Andrade foi eliminada - de “burros”.

O fato é que, assim como o jogo virou para Prior, um dos brothers até então mais odiados da casa, algo parecido, mas contrário, pode estar acontecendo com Pyong Lee, que terá sua popularidade testada na noite desta terça.

A questão é que seu grande adversário na eliminação é Guilherme, que vem recebendo uma enxurrada de críticas por suas atitudes em relação a Gabi, sendo acusado nas redes sociais de ter uma relação abusiva com sua “namorada”.