ENTRETENIMENTO
14/10/2019 16:00 -03 | Atualizado 14/10/2019 18:10 -03

'Pulp Fiction', 25 anos: Aqui estão 15 coisas que você não sabia sobre o clássico de Tarantino

Em 14 de outubro de 1994 estreava nos EUA um dos filmes mais icônicos dos anos 1990.

Muito além de nos ensinar como pedir um Quarteirão com Queijo na França e ter ressuscitado das cinzas a carreira de John Travolta, Pulp Fiction é um marco da história do cinema e “o” filme que define a sétima arte na década de 1990. E tudo isso começou há 25 anos.

O hoje cultuado diretor Quentin Tarantino era apenas um cineasta promissor que havia estreado com o pé direito com o impactante Cães de Aluguel (1992), mas ainda tinha que provar seu valor. Ele mostrou. E como mostrou. 

Tarantino não apenas ignorou a maldição do segundo filme, mas deu uma surra nela. Mais do que apenas um excelente filme, Pulp Fiction ditou as regras do que seria cool depois dele, quando passou a ser copiado à exaustão.

Personagens, diálogos, cenas, trilha sonora... Tudo marcou época em Pulp Fiction, um filme que se mantém fresco e inventivo mesmo tanto tempo depois de sua estreia nos cinemas americanos - no dia 14 de outubro de 1994.

E para celebrar essa data especial, selecionamos 15 fatos deliciosos e pouco conhecidos sobre um dos grandes clássicos modernos do cinema. Divirta-se.  

 

1. A palavra que começa com f...

Tarantino é um dos maiores entusiastas do palavrão que começa com “f”. Os personagens de seus filmes são verdadeiras metralhadoras vocais de “fodas”. Só em Pulp Fiction a palavra é dita 265 vezes. Mas esse não é o recorde na filmografia do diretor. Seu primeiro longa, Cães de Aluguel (1992) detém a marca de 269 “fucks”.

 

2. O personagem Vincent Vega não foi escrito para Travolta

Divulgação

Alguns papéis em Pulp Fiction foram interpretados pelos atores que Tarantino imaginou ao escrevê-los, como aconteceu com Samuel L.Jackson, Harvey Keitel, Tim Roth e Amanda Plummer. Isso não ocorreu com Vincent Vega.

O diretor pensava em Michael Madsen para interpretar Vega, revivendo o personagem de Cães de Aluguel, creditado até então como Vic Vega. Mas Madsen recusou a oferta e preferiu trabalhar no faroeste Wyatt Earp, e o papel ficou para John Travolta. Com isso, o diretor acabou inventando que Vincent é irmão de Vic. Um filme estrelado pelos irmãos Vega é um dos mais famosos projetos abandonados por Tarantino. 

 

3. Butch foi um “prêmio de consolação” para Bruce Willis

HuffPost Brasil

Tarantino concebeu o papel do boxeador Butch Coolidge para outro ator e não Bruce Willis. O escolhido previamente pelo diretor era Matt Dillon, nove anos mais novo que Willis. Mas Dillon demorou muito para decidir se aceitaria ou não a oferta e Tarantino acabou optando por Willis, que, na verdade, não gostou muito da ideia inicialmente, porque queria o papel de Vincent Vega.

 

4. O verdadeiro dono da carteira “Bad Mother Fucker”

 

A célebre carteira de “Bad Mother Fucker” que no filme é de Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) é, na verdade, do próprio Tarantino. As palavras são uma referência a um trecho da letra de Theme from Shaft, de Isaac Heyes, música tema do filme Shaft (1971), um clássico do gênero blaxploitation que ganhou um remake em 2019, coincidentemente estrelado por Jackson no papel do detetive John Saft.

 

5. Samuel L. Jackson quase perdeu um papel escrito para Samuel L. Jackson

Divulgação

É verdade que Tarantino tinha em mente Samuel L Jackson. Jackson para o papel de Jules Winnfield, mas Paul Calderon foi tão bem no teste que o diretor pensou seriamente escolhe-lo para viver o personagem. Porém, quando Jackson soube do desempenho incrível de seu colega, voltou correndo para Los Angeles e pediu para fazer um novo teste. Calderon acabou ganhando um papel bem menor, o de Paul (ou English Bob), barman do clube de striptease de Marsellus Wallace (Ving Rhames).

 

6. Uma Thurman foi a 10ª opção para o papel de Mia Wallace

Divulgação

Uma Thurman acabou se tornando uma das atrizes preferidas de Tarantino, mas antes de estrelar a saga Kill Bill, ela só conseguiu o papel de Mia Wallace (a “cara” do filme) depois que outras nove atrizes recusaram o papel. Foram elas: Julia Louis-Dreyfus, Meg Ryan, Halle Berry, Isabella Rossellini, Alfre Woodard, Daryl Hannah, Rosanna Arquette, Joan Cusack e Michelle Pfeiffer. Esta última, aliás, dizem que era a preferida do diretor para interpretar a personagem. 

 

7. Quentin Tarantino não dirigiu Pulp Fiction sozinho

Divulgação

Pode parecer loucura, mas Tarantino não dirigiu Pulp Fiction sozinho. Nas cenas em que ele participou como ator, fazendo o papel de Jimmie, quem ficou atrás da câmera foi seu amigo Robert Rodriguez (El Mariachi, Pequenos Espiões). Anos depois a dupla faria alguns projetos juntos, como Um Drinque no Inferno (1996) e Grindhouse (2007). Tarantino assinou a direção de À Prova de Morte e Rodriguez a de Planeta Terror. Tarantino, aliás, tinha dúvidas de qual personagem iria interpretar em Pulp Fiction, Jimmie ou Lance. Ele optou pelo primeiro porque queria dirigir a famosa cena da overdose de Mia, que conta com a participação de Lance. O papel de Lance acabou ficando com Eric Stoltz.

 

8. Como foi filmada a cena da injeção no coração?

 

A hoje icônica cena em que Vincent injeta uma seringa gigante bem no coração de Mia para reanimá-la após uma overdose contém um truque bem básico. Não, John Travolta não injetou um agulha no peito de Uma Thurman. Ele, na verdade, faz o movimento contrário, retirando a seringa. Na edição, Tarantino inverteu o movimento, fazendo parecer que Vincent apunhala o peito de Mia.

 

9. Lutadores bem familiares

Divulgação

O duelo Vossler x Martinez abre a noite de boxe em que Butch enfrenta Floyd Wilson. A luta é uma referência bem pessoal do passado de Tarantino. Russell Vossler e Jerry Martinez foram colegas do diretor quando ele trabalhou em um locadora de vídeo em Los Angeles. 

 

10. Homenagens cinéfilas

Três cenas de Pulp Fiction fazem homenagens diretas a filmes queridos por Tarantino. A cena da dança de Vincent e Mia no Jack Rabbit Slims é um pastiche da dança de Gloria Morin e Mario Mezzabotta em (1963), de Federico Fellini.

 

Já a cena que mostra Marcellus parando na rua, quando dá de cara com Butch dirigindo um carro, é quase uma cópia de um trwcho de Psicose (1960), de Alfred Hitchcock. Nela, Marion Crane (Janet Leigh) acaba cruzando com seu chefe George Lowery (Vaughn Taylor), que acabara de roubar, na rua.

 

A misteriosa maleta em que o conteúdo nunca é conhecido pelo público é uma brincadeira com um objeto parecido que aparece em um dos maiores clássicos do cinema noir, A Morte Num Beijo (1955), de Robert Aldrich. Outro filme que bebeu na fonte dessa cena icônica foi Os Caçadores da Arca Perdida (1981), de Steven Spielberg. Veja no player abaixo:

 

11. Consultoria de drogas e uma banheira de água quente

John Travolta mergulhou de verdade em Vincent Vega, personagem que salvou sua carreira. Sua dedicação chegou a tal ponto que ele consultou um amigo de Tarantino, que havia sido viciado em heroína, para saber como seria o efeito da droga. O tal amigo do diretor disse a Travolta que se parecia com ficar bêbado de tequila em uma banheira de água quente. Travolta seguiu a receita e realmente experimentou, com a ajuda de sua mulher, a sensação de se ficar bêbado de tequila em uma banheira de água quente.

 

12. Tarado por Emma Peel

Divulgação

Em uma cena deletada de Pulp Fiction, Vincent diz a Mia que tinha uma fantasia de ser espancada por Emma Peel, personagem da série de TV britânica dos anos 1960 Os Vingadores. O curioso é que Uma Thurman acabaria interpretando a mesma personagem em uma versão cinematográfica de Os Vingadores em 1998.

 

13. Merchan de amigo

Divulgação
trudi

Na cena de overdose de Mia, uma das presentes é Trudi (Bronagh Gallagher). Ela veste a camiseta de banda de rock irlandesa The Frames. E isso tem um motivo. Isso porque ela atuou no filme The Commitments - Loucos pela Fama (1991) junto com Glen Hansard, vocalista dos Frames. Ela prometeu ao amigo que se conseguisse o papel, usaria a camiseta de sua banda. Dito e feito.

 

14. Mais lucrativo que muito blockbuster

Mesmo sendo um filme independente de um diretor com apenas um longa no currículo, Pulp Fiction lucrou bastante. O filme custou “apenas” US$ 8,5 milhões e faturou incríveis US$ 9,3 milhões apenas em seu primeiro fim de semana de lançamento.

 

15. O filme não foi lançado primeiro nos EUA

Divulgação

A estreia mundial de Pulp Fiction foi em maio de 1994, em Cannes. O filme, aliás, ganhou a Palma de Ouro, principal prêmio do festival francês. Em circuito, Pulp Fiction foi lançado primeiro na Ásia e Europa, mais precisamente na Coréia do Sul, Japão e Eslováquia no dia 23 de setembro. Isso tudo ocorreu bem antes da estreia nos Estados Unidos, a data “oficial”, no dia 14 de outubro de 1994.