POLÍTICA
21/03/2019 15:22 -03

PT critica prisão de Temer pela Lava Jato e aliados de Bolsonaro comemoram

PT comparou prisão de Temer à de Lula: "mais um dos espetáculos pirotécnicos" da Lava Jato.

ASSOCIATED PRESS
“Valeu a pena todo o sacrifício. Agora com o ministro Sérgio Moro no Ministério da Justiça as coisas vão andar”, diz Carla Zambelli (PSL-SP) após prisão de Temer.

Nas redes sociais, se multiplicam os memes da ex-presidente Dilma Rousseff comemorando a prisão do ex-presidente Michel Temer, um dos articuladores de seu impeachment. Oficialmente, contudo, o PT criticou a operação da Lava Jato desta quinta-feira (21) e comparou a situação de Temer com a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril de 2018.

É somente dentro da lei que se poderá fazer a verdadeira Justiça e punir quem cometeu crimes contra a população. Caso contrário, estaremos diante de mais um dos espetáculos pirotécnicos que a Lava Jato pratica sistematicamente, com objetivos políticos e seletivos”, diz nota assinada pela presidente do partido, deputada Gleisi Hoffmann (PT), e pelos líderes da legenda na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), e no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

No texto, os petistas dizem esperar que a prisão de Temer não tenha sido decretada com base em “especulações e delações sem provas”.

De acordo com o PT, o ministro da Justiça e ex-juiz responsável pela Lava Jato na primeira instância, Sergio Moro, é parte de um grupo que trava uma “encarniçada luta pelo poder” contra o Congresso, o STF (Supremo Tribunal Federal) e a cúpula da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Líder da minoria na Câmara, Jandira Feghali (PCdoB-RJ) também defendeu cautela ao analisar a atuação da Justiça do Rio. A prisão de Temer foi decidida pelo juiz Marcelo Bretas.

“Isso tem cheiro de uma prisão arbitrária. Não podemos fazer a defesa de uma prisão fora de processo constitucional”, afirmou a jornalistas.

A parlamentar lembrou que a Câmara arquivou por duas vezes denúncias contra o emedebista. “Se naquele momento as investigações tivessem sido abertas, hoje, talvez, estivesse autorizada uma prisão constitucionalmente consolidada”, completou.

O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), disse que o ex-presidente usou do cargo para se blindar contra investigações. “Finalmente a Justiça começa a ser feita. Trata-se do chefe de uma quadrilha. Vários de seus comparsas já estão presos”, disse a jornalistas.

Aliados de Bolsonaro comemoram prisão de Temer

Para aliados do presidente Jair Bolsonaro, a prisão de Temer é sinal de avanço das investigações contra corrupção. O líder do PSL no Senado, Major Olímpio, disse que a operação mostra que “ninguém está acima da lei”.

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) afirmou que “o sonho está se tornando realidade”. “Valeu a pena todo o sacrifício. Agora com o ministro Sergio Moro no Ministério da Justiça as coisas vão andar”, disse.

Críticos à prisão lembraram do embate de Moro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nos últimos dias, devido à interferência do ministro na tramitação do projeto de lei anticrime. O democrata é genro do ex-ministro Moreira Franco, também preso nesta quinta.

Na últimas semanas, também se acirrou o clima de ataques ao Judiciário. Senadores apresentaram um pedido de CPI (comissão parlamentar de inquérito) para investigar integrantes das cortes superiores. Já o STF (Supremo Tribunal Federal) abriu uma investigação para apurar ameaças e a disseminação de fake news sobre o tribunal.

O presidente em exercício, general Hamilton Mourão, por sua vez, lamentou a situação e comparou Temer a Lula. “Já falei a respeito da mesma situação do presidente Lula, né. É muito ruim para o país, né, você ter um ex-presidente preso. E agora seguem as investigações”, disse a jornalistas.

 
 

MDB critica prisão de Temer

Partido com a maior bancada no Senado, o MDB criticou a decisão do juiz Marcelo Bretas. “O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco”, diz nota divulgada pela legenda.

A sigla do ex-presidente disse ainda esperar que “a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa”.

A prisão de Temer também motivou cobranças sobre as investigações sobre o deputado Aécio Neves (PSDB-MG). O tucano disse que a prisão precisa ser respeitada se for bem fundamentada. “Não vou comentar porque não li nada ainda, vou ler agora. Acho que toda prisão que é técnica e bem justificável tem que ser compreendida. Eu vou me inteirar, estou chegando agora no gabinete, não quero falar antes de me inteirar”, afirmou a jornalistas.