NOTÍCIAS
26/07/2019 17:31 -03

Priti Patel será a nova ministra do Interior do Reino Unido. Quem é ela?

Dizer que Patel é uma defensora ferrenha do Brexit é pouco.

ISABEL INFANTES via Getty Images
A nova ministra do interior do Reino Unido, Priti Patel.

Priti Patel será a ministra do Interior do novo governo de Boris Johnson.

Horas depois da nomeação de Johnson, foi anunciado que a pasta – considerada uma das quatro mais importantes do governo britânico – ficaria com Patel.

O cargo era ocupado por Sajid Javid, que agora será responsável pela economia.

A indicação faz de Patel uma das políticas mais influentes do Reino Unido – mas quanto você sabe sobre ela?

Qual é o histórico dela no Parlamento? 

Deputada pelo distrito de Witham, em Essex, Patel foi eleita pela primeira vez em 2010. Desde então, ela trabalhou no ministério da economia e foi ministra do Trabalho e Pensões – mas foi sua passagem pela pasta do desenvolvimento internacional que ganhou as manchetes. Ou, mais especificamente, sua renúncia do cargo, em 2017. 

Patel, 47, foi forçada a renunciar depois da revelação que ela tinha mantido ctonversas não-autorizadas com políticos israelenses, incluindo o premiê Benjamin Netanyahu.

Patel foi chamada de volta a Londres durante uma viagem oficial na África pela então primeira-ministra, Theresa May, quando vieram à tona detalhes dos encontros. Jornalistas do país acompanharam o voo de Patel, sabendo que ela estava voltando para tomar uma bronca daquelas.

Ainda não se sabe se ela vai gerar tanto drama nessa nova passagem pelo governo.

Qual é sua posição sobre o Brexit?

Dizer que Patel é uma defensora ferrenha do Brexit é pouco. Ela fez campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia e criou o “Mulheres a favor do Brexit”, comparando o grupo ao movimento das sufragettes, que lutou pelo direito das mulheres ao voto.

Assim como as pioneiras do começo do século 20, as defensoras do Brexit estariam lutando para proteger “nossa liberdade democrática”, afirmou ela em 2016. (Helen Pankhurst, bisneta da líder sufragette Emmeline, discordou.) 

O que ela fará no cargo?

É injusto julgá-la antes que ela tenha assumido o ministério. Mas uma de suas participações na sessão semanal de perguntas para o primeiro-ministro, em 2011, pode deixar algumas pessoas ligeiramente preocupadas, afinal de contas ela será a responsável pela segurança nacional.

Argumentando que assassinos e estupradores são mandados para a prisão, mas acabam cometendo novos crimes ao ganharem a liberdade, ela afirmou: “Só com base nisso, seria a favor da volta da pena capital como forma de dissuasão.”

Ela voltou atrás na declaração, afirmando ser contra a pena de morte no Reino Unido ou em outros países.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.