NOTÍCIAS
08/06/2020 18:46 -03

Presidente do STF pede trégua e diz que ‘atitudes dúbias’ de Bolsonaro ‘assustam’

Para Toffoli, atitudes do presidente impressionam e assustam não só a comunidade brasileira, mas também as nações e a economia internacional.

Andre Coelho via Getty Images
Dias Toffoli: Algumas atitudes têm trazido uma certa dubiedade, e essa dubiedade ela impressiona e assusta a sociedade brasileira. 

Presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli pediu nesta segunda-feira (8) “uma trégua entre os Poderes”. O País vive uma escalada no atrito nas relações institucionais, promovida por declarações do presidente Jair Bolsonaro e seu núcleo mais próximo. De volta de uma licença médica, Toffoli afirmou ainda que a “atitudes dúbias” do presidente assustam.

“Algumas atitudes têm trazido uma certa dubiedade, e essa dubiedade ela impressiona e assusta a sociedade brasileira. E hoje não mais só a sociedade brasileira – também a comunidade internacional das nações, também a economia internacional. Nós precisamos de paz institucional, precisamos de ter prudência, precisamos ter união no combate à covid”, disse.

Para ele, é preciso arrefecer os ânimos. “Precisamos ter uma trégua, uma trégua para o devido combate à pandemia, uma trégua para o devido combate aos efeitos colaterais, que são o desemprego, que é a recessão que se avizinha, que é o déficit fiscal. É necessário uma trégua entre Poderes.”

Precisamos ter uma trégua, uma trégua para o devido combate à pandemia, uma trégua para o devido combate aos efeitos colaterais.Dias Toffoli, presidente do STF

O magistrado ressaltou necessidade de transparência. No fim da semana passada, o governo mudou a forma de divulgar os dados sobre mortes e infectados pelo novo coronavírus e passou a omitir o saldo total. Neste cenário, Toffoli pontuou que a Constituição garante a transparência. Como o governo violou este princípio, o ministro enalteceu a união entre jornais para dar transparência aos números.

“Vimos hoje, por exemplo, a realização de uma parceria colaborativa entre diversos veículos de comunicação para dar transparência aos dados da pandemia no país. A transparência é mandamento constitucional. São, portanto, bem-vindas todas as medidas que visem reforçá-la. Essa iniciativa é mais uma demonstração do trabalho de excelência realizado pela imprensa ao auxiliar na comunicação com as informações necessárias ao combate da pandemia.”

Toffoli fez as declarações em um ato organizado pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) em defesa da democracia. Lá, o ministro recebeu um manifesto, assinado pela AMB e outras entidades jurídicas como a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que afirma que atacar o STF significa ameaçar todo Judiciário.

Recentemente, o presidente participou de atos que pedem o fechamento do Congresso e do STF. Além disso, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, chegou a pedir a prisão dos ministros do STF em reunião ministerial comandada por Bolsonaro, em 22 de abril. Ele se referiu aos ministros como “vagabundos” e disse que, por ele, “botava todos na cadeia”. Na ocasião, o presidente não reprimiu a fala.