MULHERES
19/02/2020 15:42 -03 | Atualizado 19/02/2020 15:49 -03

TST terá mulher como presidente pela primeira vez em 72 anos de história

Ministra Cristina Peduzzi tomará posse em cerimônia realizada às 17h desta quarta-feira (19), em Brasília.

Giovanna Bembom/TST/Divulgação
Ministra Cristina Peduzzi será a nova presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Cristina Peduzzi será a primeira mulher presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), em 72 anos de história da corte. A ministra tomará posse nesta quarta-feira (19), às 17h, em Brasília, na sede do tribunal. Ela ocupará o cargo até 2022.

Entre as autoridades esperadas no evento, estão o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

Desde 2001 no órgão, a ministra já atuou como vice-presidente do tribunal, entre os anos de 2011 e 2013. Ela também fez parte do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) entre 2013 e 2015. 

Em entrevista ao Estadão, Peduzzi disse que a última barreira para que homens e mulheres tenham tratamento equânime no mercado de trabalho é a licença depois do nascimento dos filhos.

″É muito difícil implantarmos, mas a única forma efetiva seria essa. Nas profissões em que o concurso é o meio de ingresso e de promoção, nós não temos diferença nenhuma entre o trabalho do homem e o da mulher”, disse. “Tanto que profissões que antes eram preponderantemente masculinas, como piloto de avião, motorista de táxi, militares, hoje as mulheres já estão equiparadas”, completou.

A presidente terá desafios institucionais diante de um contexto de recuperação econômica e reflexão sobre bases fundantes das relações de trabalho no Brasil. “Desde logo, afirmo nosso compromisso com a Justiça do Trabalho e com a sua missão de pacificar os conflitos laborais”, afirmou ao site do TST.

Criado em 1946, o TST registrou sua primeira composição (com presidente e vice) só em 1948. Desde este período, nenhuma mulher assumiu o cargo máximo da Corte. 

Nesta quarta-feira, os ministros Vieira de Mello Filho e Aloysio Corrêa da Veiga também tomarão posse, respectivamente como vice-presidente e corregedor-geral da Justiça do Trabalho.