COMPORTAMENTO
12/10/2019 03:00 -03

Por que este casal esperou 9 anos para abrir um presente de casamento

“Houve até dois ou três momentos em que nós dois pensamos em desistir, mas nunca abrimos aquela caixa.”

Acervo Pessoal
Kathy e Brandon Gunn estão casados desde o dia 1ª de setembro de 2007.

Kathy e Brandon Gunn, do Michigan, estão casados há 9 anos, mas até maio deste ano ainda tinham um presente de casamento que estava guardado no armário, sem ter sido aberto. 

Acervo Pessoal
O presente da tia-avó da noiva veio acompanhado de um envelope com instruções ao casal para só abrir o pacote depois de seu primeiro desentendimento.

Kathy compartilhou um post explicando porque ela e Brandon esperaram tanto tempo até abrir o presente – uma caixa branca dada pela tia-avó Alison, de Kathy, acompanhada por um envelope no qual estava escrito “Só abram depois do primeiro desentendimento que vocês tiverem”.

No dia 29 de agosto o post de Kathy foi postado na página de Facebook Love What Matters, e desde então já recebeu mais de 12 mil curtidas e foi compartilhado 1.500 vezes.

“É claro que ao longo de nossos 9 anos de casados houve muitos desentendimentos, discussões e portas batidas com força”, escreveu Kathy no post. “Houve até dois ou três momentos em que nós dois pensamos em desistir de tudo. Mas nunca abrimos aquela caixa.”

Em maio eles estavam sentados no deck de sua casa, tomando um vinho e pensando no presente que poderiam comprar para levar a um casamento de amigos.

Kathy começou a refletir sobre os melhores presentes que ela e Brandon ganharam no casamento deles. E o melhor presente do qual se lembrou foi o que recebera de sua tia Alison, que não tinha sido aberto.

Ela escreveu que ao longo daqueles anos todos eles teimaram em não abrir a caixa, com medo de que, se a abrissem, isso assinalaria o fracasso do relacionamento deles. E, se eles brigavam ou se desentendiam, sempre estava determinados a superar o problema.

“Aquilo nos obrigou a rever situações”, ela escreveu. “Será que era mesmo hora de abrir a caixa? E se aquela não fosse nossa pior briga? E se houvesse uma briga ainda pior pela frente e não pudéssemos contar com a caixa? Como dizia meu tio-avô Billy, ‘não existe nada tão ruim que não possa ser piorado’.”

Naquela noite, quando Kathy e Brandon finalmente decidiram abrir a caixa, encontraram duas cartinhas escritas à mão embrulhadas em volta de algumas cédulas de dinheiro, cálices de vinho, um vaso de produtos para o banho.

A cartinha endereçada a Kathy mandava usar o dinheiro para comprar uma pizza e preparar um banho de banheira. A cartinha a Brandon o instruía a usar o dinheiro para comprar flores e uma garrafa de vinho. 

Acervo Pessoal
A caixa de presente também incluía um vaso de cristal para flores, dois copos de cristal para vinho, sabonete, loção e sais de banho efervescentes.
Acervo Pessoal
O bilhete destinado a Brandon dizia: “Vá comprar flores e uma garrafa de vinho”.
Acervo Pessoal
O bilhete endereçado a Kathy dizia “vá comprar uma pizza, camarões ou alguma outra coisa que vocês dois gostem”.

Mas mais valioso do que o conteúdo da caixa foi o que o presente acabou simbolizando para o casal.

“Ao longo de nove anos (e três mudanças) aquela caixa ficou parada, acumulando pó, numa estante em diversos armários, mas, não sei bem como, ela nos ensinou a ter tolerância, compreensão, paciência e a fazer concessões.”

Ela prosseguiu: “Nosso casamento se fortaleceu e viramos o melhor amigo um do outro, companheiros e colegas de equipe. Hoje decidimos abrir a caixa porque eu finalmente entendi uma coisa. Entendi que as ferramentas para criar e conservar um casamento forte e sadio nunca estiveram dentro daquela caixa – estavam dentro de nós”.

Kathy – que tem uma filha de 6 anos e um filho de 3 com Brandon – disse ao Huffington Post que a lição mais importante de casamento que aprendeu ao longo dos anos é a importância de ser uma boa companheira.

“A vida nos coloca diante de tantas curvas, tantas coisas inesperadas, fora do casamento! Enfrentar todos esses problemas é difícil quando você não tem alguém com quem possa contar, se apoiar, com quem se abrir, uma pessoa em cujo ombro você possa chorar”, ela explicou.

“Brandon é a constante na minha vida. Não importa as provações que eu enfrente, sei que sempre vou poder contar com ele do meu lado, e eu sempre vou estar do lado dele. É bem mais fácil encarar a vida quando você tem alguém que sempre vai estar do seu lado e que fará qualquer coisa por você, em qualquer dia ou hora.”

Leia o post de Facebook completo abaixo.

“Hoje meu marido e eu pusemos as crianças para dormir e fomos curtir um vinho no deck. Estávamos falando de como estávamos empolgados porque íamos a um casamento em Kalamazoo (onde nos conhecemos e fizemos faculdade) e pensando em um presente perfeito para dar aos noivos. Eu me lembrei do dia do nosso casamento (quase nove anos atrás) e tentei recordar os presentes que significaram mais para mim. O engraçado era que o presente que significara mais ainda estava dentro de um armário – ainda fechado.

No dia do casamento, Brandon (meu marido) e eu ganhamos um presente de minha tia-avó Alison. Era uma caixa branca simples que trazia um cartão dizendo “só abram depois que tiverem seu primeiro desentendimento”. Bem, é claro que ao longo de nossos nove anos de casados houve muitos desentendimentos, discussões e portas batidas com força. Houve até dois ou três momentos em que nós dois pensamos em desistir de tudo. Mas nunca abrimos aquela caixa.

Acho honestamente que nós dois evitamos abrir o presente porque se o fizéssemos seria um sinal de nosso fracasso. Para nós, isso teria significado que não havíamos conseguido fazer nosso casamento funcionar –e nós dois somos teimosos e determinados demais para admitir isso. Assim, o presente nos obrigou a rever situações. Será que era mesmo hora de abrir a caixa? E se aquela não fosse nossa briga pior? E se houvesse uma briga ainda pior pela frente e não pudéssemos contar com o presente? Como dizia meu tio-avô Billy, “não existe nada tão ruim que não possa ser agravado”.

O tempo todo imaginávamos que aquela caixa continha a chave para salvar um casamento – um truque muito antigo, algo que nós, novatos, não conhecíamos. Afinal, minha tia e meu tio estavam casados havia quase meio século. Então imaginamos que a caixa pudesse nos salvar – e, de certo modo, foi o que ela fez. Aquele presente fez ainda mais do que minha tia-avó pretendia, acredito eu. Foi de longe o melhor presente de casamento de todos.

Durante nove anos (e três mudanças de casa) aquela caixa ficou parada, acumulando pó, numa estante em diversos armários, mas, não sei bem como, ela nos ensinou a ter tolerância, compreensão, paciência e a fazer concessões. Nosso casamento se fortaleceu e viramos o melhor amigo um do outro, companheiros e colegas de equipe. Hoje decidimos abrir a caixa porque eu finalmente entendi uma coisa. Entendi que as ferramentas para criar e conservar um casamento forte e sadio nunca estiveram dentro daquela caixa – estavam dentro de nós.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.