POLÍTICA
01/02/2019 12:25 -02 | Atualizado 01/02/2019 12:56 -02

Em posse na Câmara, Eduardo Bolsonaro e substituto de Jean Wyllys são aplaudidos

Primeira prova para os novatos será encarar o dia de negociações para a eleição da presidência da Casa.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Homens de terno e mulheres de traje passeio completo deixaram claro a magnitude do evento que ocorreu nesta sexta-feira (1) na Câmara dos Deputados. Os 513 deputados eleitos na eleição de outubro do ano passado, sendo 244 novatos, encaram o primeiro dia de trabalho com uma agenda extensa. Além da posse, celebrada pela manhã, eles participam de reuniões para articular a eleição da presidência da Casa, que tem início previsto para as 18h.

A cerimônia de posse deu o tom que tomará conta do dia. A alta popularidade do governo foi refletida nos aplausos que o filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo (PSL-SP) - o 03 -, recebeu. Desde que pisou no plenário foi assediado pelos colegas. Posou para selfies, vídeos e para os fotógrafos que acompanham a cerimônia.

O reflexo do momento político que o país vive também foi exposto quando o deputado Aécio Neves (PSDB-MG), envolvido no escândalo da JBS, foi vaiado.

No campo da oposição, chamou atenção as placas que o PT levou em homenagem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Operação Lava Jato.

Outro cartaz, esse escrito a mão, conquistou os holofotes. Dizia: “Por Jean Wyllys”. Eleito pelo PSol do Rio, Wyllys desistiu do mandato por causa das ameaças de morte que vem recebendo. Em seu lugar tomou posse David Miranda (PSol-RJ), um dos poucos que também foi aplaudido.

Presidência da Câmara

Os parlamentares retornam ao plenário às 18h para eleger o futuro presidente da casa e a composição da Mesa Diretora. Os corredores da Câmara denunciam a tensão que antecede ao pleito. Antes mesmo de entrar no Congresso, quem passa pelo gramado da Esplanada se depara com um outdoor do deputado JHC (PSB-AL). São dele os bonecos em tamanho real e a maioria dos flyers que estão sendo distribuídos.

Outro que decidiu deixar sua candidatura visível em todos os cantos da Câmara foi o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG). Fabinho, como é conhecido, é o atual vice-presidente da Casa. A expectativa dele é vencer no segundo turno.

 

Grasielle Castro/ HuffPost Brasil
Corredores da Câmara são tomados por banners de candidatos à Presidência.

Favorito, o atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) também apostou em colorir os corredores da Casa com cartazes que exaltam sua candidatura. As apostas de Maia, entretanto, são as articulações de bastidor. O deputado tem feito tantas promessas que há reclamações de que ele tem oferecido até o que não é de sua competência, como a relatoria do orçamento, ao PSD.

A expectativa é que Maia seja reeleito. Fábio Ramalho, porém, diz garantir possibilidade de segundo turno entre ele e o atual presidente. A tarde será tomada por reuniões pelos partidos. Entre os reforços para eleição está o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que foi exonerado por um dia para votar no colega de partido. O presidente do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto, também está na casa para acompanhar as negociações.