ENTRETENIMENTO
26/10/2019 03:00 -03

Popload Festival e a promessa de uma edição vigorosa para os amantes de música

Alternativa ao estilo "parque de diversões" de Lollapalooza e Rock in Rio, evento acontece em São Paulo no dia 15 de novembro.

Alternativa aos “parques temáticos” do Lollapalooza e Rock in Rio, o Popload Festival chega a sua 8ª edição mantendo sua tradição de focar exclusivamente na música. Desde 2013, o evento já levou à capital paulista nomes como Blondie, PJ Harvey, Wilco, The XX, The Libertines, Belle & Sebastian, Death Cab For Cute, At The Drive In, entre outros. 

O setlist de 2019 continua fazendo uma bela mistura de artistas nacionais e internacionais consagrados e promissores. Entre elas, a lendária Patti Smith (que volta ao Brasil depois de se apresentar no Rio e Curitiba em 2006), a banda dos amigos Jack White e Brendan Benson, The Racounters (estreando em solo nacional), a baiana Juedji Luna, a rapper inglesa Little Simz, e até mesmo o retorno do quarteto brasileiro Cansei de Ser Sexy.

Conheça aqui todas as atrações do Popload 2019: 

 

Patti Smith

Principal atração do Popload, Patti Smith é uma artista completa. Poetisa, cantora, fotógrafa, escritora e compositora, a americana de 72 anos é considerada uma das precursoras do punk. Seu primeiro disco, Horses (1975) teve papel fundamental na formação da cena musical que nasceu em Nova York da década de 1970. Ainda muito ativa tanto em manifestações artísticas quanto políticas, Smith segue empregando o seu estilo “spoken word” em shows viscerais e transformadores. 

Com 11 discos no currículo, Because the Night, hit de 1978 escrito em parceria com Bruce Springsteen, continua sendo sua canção mais conhecida, ao lado de People Have the Power (do álbum Dream of Life, de 1988).

The Raconteurs

O Brasil não é uma novidade para Jack White e seu amigo Brendan Benson, que já se apresentaram por aqui com outros projetos ou carreira solo, mas é a primeira vez que a dupla de Detroit (no estado americano do Michigan) divide o mesmo palco por aqui. O Raconteurs surgiu como um meteoro em 2006, com o lançamento do explosivo Broken Boy Soldiers, álbum indicado ao Grammy que alcançou o 2º lugar nas paradas do Reino Unido (e 7º nos EUA). A música de abertura do disco, Steady as she Goes, virou logo um dos grandes hits daquele ano. Após sete anos de hiato, a banda - formada também pelo baixista Jack Lawrence e o baterista Patrick Keeler - voltou com o não menos energético Help us Stranger.

 

Hot Chip

Formado em Londres no início dos anos 2000 pela dupla Alexis Taylor e Joe Goddard, o incansável grupo britânico Hot Chip se consolidou como um dos maiores representantes tanto da cena eletrônica quanto do indie rock. A banda é famosa por suas apresentações dançantes ao som de hits como Over and Over, Ready for the Floor, Boy from School, Thieves in the Night, One Life Stand, entre outras. Com seis álbuns na bagagem, o Hot Chip é um velho conhecido dos brasileiros, tendo se apresentado em diversos festivais desde sua primeira vez por aqui, no TIM Festival, em 2006.

 

Cansei de Ser Sexy

Uma das bandas brasileiras com carreira mais sólida no exterior das últimas décadas, o Cansei de Ser Sexy, que encerrou suas atividades em 2014, volta a São Paulo nove anos depois de seu último show na cidade. Hoje um quarteto formado por Lovefoxxx, Ana Rezende, Luisa Sá e Carolina Parra, o grupo não tinha nem um ano de atividade quando assinou contrato com a célebre gravadora americana Sub Pop e tocou em todos os grandes festivais mundo afora. Com quatro discos na bagagem, o CSS foi um dos principais nomes da cena electro.

 

Little Simz

Conhecida pelo nome artístico Little Simz, a rapper londrina Simbi Ajikawo é uma estrela em ascensão. Apesar de seus 25 anos, é uma das artistas mais celebradas na Inglaterra no momento, com elogios de caras como Damon Albarn, Kendrick Lamar e Dizzee Rascal, e saindo em turnê com ninguém menos que Lauryn Hill e NAS. Cheia de atitude, ela criou um selo próprio para lançar seus EPs, discos e mixtapes em conceitos ousados, como o de seu segundo álbum, Stillness in Wonderland (2016). O disco veio acompanhado de um pacote que incluía um curta-metragem, uma história em quadrinhos, uma exposição e até seu próprio festival.

 

Khruangbin

O nome estranho e impronunciável tem tudo a ver com o som desse trio instrumental texano. Khruangbin quer dizer “avião” em tailandês, uma referência às influências musicais do grupo: o rock psicodélico feito na tailândia entre as décadas de 1960 e 1970. Espere uma mistura das mais malucas - mas muito eficiente - entre ritmos como soul, funk, hip-hop, surf music e psicodelia com toques asiáticos. 

 

Luedji Luna

A soteropolitana cantora Luedji Luna vem se destacando como uma das vozes mais distintas das nova geração da música brasileira. Seu som é uma world music totalmente brasileira e cheia de africanidade. Confuso? Nada disso. Acompanhada de uma banda de músicos de diversas partes do mundo, como Cuba, Suécia, Congo e Kênia, Luedji Luna consegue misturar muito bem esses ingredientes e nos entregar músicas como Um Corpo No Mundo, seu grande hit até o momento.

 

Boy Pablo

Norueguês de origem chilena, Nicolás Pablo Rivera Muñoz, ao Boy Pablo, pode ter apenas 19 anos, mas como um bom integrante da geração Y, compõe, grava e produz a grande maioria de suas músicas sozinho. Com sua banda (formada por amigos da época do colégio), ele toca apenas em apresentações ao vivo. Seu nome começou a pipocar na cena independente quando ele lançou o clipe de Everytime, em 2017. O vídeo teve milhões de views no YouTube e a partir daí ele passou a lançar uma série de singles, todos com um pop juvenil e romântico com muitas influências do dream pop nórdico e do som do canadense Mac DeMarco. Classificado pelo site Pitchfork como “uma das bandas novas mais legais do planeta”, Boy Pablo vem acumulando apresentações bem divertidas e despretensiosas em grandes festivais como Coachella e Primavera Sound.

 

Tove Lo

A cantora e compositora pop sueca Tove Lo volta ao Brasil - quando se apresentou no Lollapalooza em 2017 - com um disco novinho debaixo do braço: Sunshine Kitty. Álbum impulsionado pelo hit Sweettalk my Heart. Aliás, hits não faltaram no show dessa artista que faz um electro-pop indie que divide algumas semelhanças com o som da neozelandesa Lorde, com quem, aliás, já fez uma parceria na música Homemade Dynamite. Em 2013, seu disco de estreia, Queen of the Clouds (2014) ficou em terceiro lugar no Top 100 da Billboard. Muito por conta de músicas grudentas como Talking Body, Moments e Habits (Stay High).

Escute aqui a playlist oficial do Popload Festival 2019: 

SERVIÇO:

Popload Festival 2019

Data: 15 de novembro

Horário: A partir das 11h (abertura dos portões)

Local: Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda - São Paulo)

Valor: Pista - 3º lote [R$ 290 (meia-entrada) e R$ 580 (inteira)]; Pista Premium - R$ 400 (meia-entrada) e R$ 800 (inteira).

Ingressos: Ticketload