POLÍTICA
25/04/2019 19:24 -03 | Atualizado 25/04/2019 19:25 -03

Procuradoria-Geral da República quer pena de mais de 22 anos de prisão para Collor

Senador é investigado na Operação Lava Jato por desvio de verba.

ANDRESSA ANHOLETE via Getty Images

A Procuradoria-Geral da República pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que condene o senador e ex-presidente Fernando Collor (PROS-AL) a 22 anos, 8 meses e 20 dias de prisão e cobre multa de 1.400 salários mínimos. 

De acordo com a PGR, o ex-presidente teria participado da movimentação de R$ 50,9 milhões em propina em contratos da BR Distribuidora, empresa da Petrobras. Os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro teriam ocorrido entre 2010 e 2014.

Para o primeiro crime, a PGR pede condenação de 12 anos, 5 meses e 10 dias. Para o crime de lavagem de dinheiro, é de 10 anos, 3 meses e 10 dias.

Segundo o Estadão, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirma que “há não apenas suspeitas, mas prova para além de dúvida razoável de que cometeu crimes”.

Entre as provas, segundo o jornal O Globo, estão planilhas, chamadas telefônicas e dados obtidos de quebra de sigilo bancário em investigações da Operação Lava Jato.