POLÍTICA
29/04/2019 10:11 -03 | Atualizado 29/04/2019 10:13 -03

PF faz busca em endereços ligados a suspeitas de candidaturas laranjas do PSL em Minas

Ministro do Turismo é suspeito de usar verba dos fundos partidário e eleitoral para financiar candidaturas de fachada.

Jake Spring / Reuters
O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, nega as acusações de envolvimento em candidaturas laranjas. 

A Polícia Federal faz na manhã desta segunda-feira (29) busca em endereços em Minas Gerais suspeitos de ligação com o esquema de candidaturas laranjas do PSL no estado. Ao todo, são 7 mandados de busca e apreensão, um deles na sede do partido em Belo Horizonte, além de gráficas e empresas que prestaram serviço à legenda do presidente Jair Bolsonaro.

A suspeita de candidaturas laranjas, revelada em fevereiro por reportagens da Folha de S.Paulo, envolve o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. O ministro, que presidia a sigla na campanha de 2018, é investigado pela suspeita de usar dinheiro dos fundos partidário e eleitoral para financiar candidaturas de fachada.

O ministro nega envolvimento no caso. Em nota, ele afirmou “que não houve qualquer candidatura laranja no PSL de Minas Gerais e que o partido seguiu rigorosamente o que determina a lei”. Segundo ele, foram apresentadas ao Ministério Público “provas de que tudo o que vem me atingido nos últimos dois meses é resultado de uma disputa política local”.

“Sigo confiante no trabalho da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça, onde as investigações estão em curso e sigo no aguardo da conclusão das investigações confiante de que a verdade prevalecerá”, diz.