20 perguntas para você se fazer antes de se casar

Um fio do Twitter viralizou depois do fim do noivado de uma mulher.

Dívida, filhos e traição: estes são três assuntos que você tem de discutir com seu parceiro antes de se casar, segundo um fio que viralizou no Twitter, com mais de 220.000 curtidas.

A autora é uma jovem afegã-americana de 21 anos da Califórnia. O tweet foi inspirado em sua própria experiência. A mulher, que usa o nome @cxkenobxkerry, ficou noiva aos 19 anos, mas o relacionamento acabou antes do casamento. Ela “aprendeu muitas lições da maneira mais difícil”.

NÃO CASE ANTES DE: um fio

“Se eu tivesse levado essas 20 perguntas muito mais a sério, antes de entrar no noivado, teria poupado muita tristeza para todos os envolvidos”, disse ela, que preferiu não revelar seu nome verdadeiro, ao HuffPost UK. “Vejo o fio como um aprendizado pessoal e compartilho os pontos com o mundo na esperança de que mais gente possa aprender com ele.”

Ela não esperava que o fio viralizasse e diz que “não existem um manual para o casamento”, mas espera que distribuir um pouco de sabedoria possa ser útil de alguma forma.

<i>@cxkenobxkerry</i>
@cxkenobxkerry

Veja abaixo os 20 assuntos que ela acredita que os casais deveriam discutir. Eles não se aplicam a todos os casamentos, especialmente as observações sobre os papéis de gênero (para casais do mesmo sexo), mas com certeza todos vão se identificar:

1. Fale sobre dívidas.

2. Comprometam-se plena e voluntariamente um com o outro. Sem “não tenho certeza”, “e se” e “não é o momento certo”. Ou você está dentro ou está fora.

3. Quando/quantos filhos vocês querem (adoção? algum de vocês é infértil? etc.)

4. Fale sobre DSTs. Faça testes. Procure ajuda médica/informações de profissionais. Mantenha os testes atualizados e dê um jeito de fazê-lo mesmo dentro do casamento.

5. Fale sobre o seu cronograma de 5 a 10 anos em relação a carreira/educação. Você pode mudar de cidade? Está disposto a isso?

6. Níveis de religiosidade. Abertos ao crescimento? O contrário? Você compartilha crenças fundamentais sobre a vida? Muito importante.

7. Controle emocional: algum de você perde a calma com facilidade? Você está fazendo terapia por causa disso/descontando em outras pessoas? Procure ajuda, pois isso destruirá você, o futuro e os filhos.

8. Energia. São compatíveis? Você decide. Siga o seu instinto.

9. Roupas: pode parecer um problema menor, mas essas coisas pequenas vão se acumulando. Certifique-se de que suas expectativas coincidam.

10. Compatibilidade sexual. Não vou entrar em detalhes, mas vocês precisam estar no mesmo nível. Em termos de consentimento, experimentações, traumas, etc...

11. Finanças: como vocês pretendem dividir as contas? Papéis de gênero? Trazer os pais para casa quando eles estiverem velhos?

12. Idade não importa muito. Na minha experiência, o importante é a pessoa e suas visões de mundo. Se você é jovem, certifique-se de que seu par lhe permitirá continuar crescendo no seu próprio ritmo e à sua maneira. Isso se chama respeito.

13. Limites em relação ao gênero opostos. Defina o que é OK e o que não é OK. Abraços/apertos de mão/etc. Sei que parece tribal e que deveria haver confiança, mas você ficaria surpreso com os limites das pessoas. Melhor saber do que não saber.

14. Redes sociais: acredite ou não, as pessoas se separam por causa disso. Alguns preferem privacidade. Outros, não. Estejam de acordo.

15. Falei disso antes, mas poupança. Quanto dinheiro vocês têm juntos? Quais são os salários pretendidos? É sustentável? Apartamento? Casa? Pense no futuro, caso não possa pagar agora.

16. O que é considerado traição? Defina os limites.

17. Abuso físico e verbal: o que é e o que não é considerado linguagem abusiva e decoro? Procure ajuda, por favor. Os profissionais sempre podem ajudar.

18. Quais são seus planos para o dia da morte? Como será o enterro? E se um de vocês ficar paralisado? Padrinhos? Eventos incertos? Morte? Fale sobre tudo isso.

19. Importante: amor não é o que mantém os relacionamentos. O compromisso ativo com o AMOR, apesar dos atropelos, é o segredo. Pare de pensar em contos de fada que vai ficar tudo bem.

20. Quero que todos reparem como deixei de mencionar o nível de educação, origem familiar ou tribal, etnia, cargo e tudo o mais. É porque nada disso importa no longo prazo. Acredite: você não é uma boa pessoa com base em atributos superficiais.

Comentando o tópico, a terapeuta de casais Lucy Fuller diz que a maioria das pessoas decide se casar quando já está num relacionamento há algum tempo, “para que possam dizer com segurança que se conhecem muito bem”.

“O casamento é chegar àquele ponto da vida em que você se sente em um relacionamento de amor e confiança e quer sossegar”, afirma ela ao HuffPost UK. “Na verdade, isso deveria ser a base do casamento – render-se àquela sensação gostosa de estar com o parceiro. Se tiver dúvidas, preste atenção nos instintos. Se algo parece errado, é porque algo está errado.”

Ela acrescenta que casar não significa que o relacionamento vai durar para sempre – mesmo que você responda às perguntas acima. “As pessoas e as circunstâncias mudam, mas a lista pode ajudar a tomar a decisão”.

Terapeutas procurados pelo HuffPost concordam com os temas levantado no fio no que diz respeito a uma maneira de garantir o sucesso do casamento.

O psicólogo Ryan Howes, da Califórnia, acrescenta que é importante falar sobre espaço pessoal. “Discuta a necessidade de passar um tempo sozinho ou separado um do outro”, diz ele. “As pessoas muitas vezes esquecem disso, mas, depois da intensa conexão inicial, um ou ambos podem querer um pouco de tempo para si mesmos, ou um tempo separados enquanto saem com os amigos.”

“Se isso não for conversado, um dos parceiros pode sentir-se abandonado ou com ciúme, ou um deles pode começar a se sentir sufocado e ficar ressentido.”

Megan Fleming, psicóloga e terapeuta sexual de Nova York, acredita que não é só importante falar sobre o desejo de ter filhos, mas também como cria-los. “Vejo casais travando disputas de poder para criar os filhos ‘do jeito deles’, porque acreditam que é o ‘jeito certo’, sem levar em conta a preferência e a perspectiva do parceiro”, disse ela.

“Ter os pais alinhados (sabendo que muitas vezes dá trabalho para chegar lá) é fundamental para a saúde mental e o bem-estar das crianças.”

E, finalmente, embora um relacionamento possa parecer glorioso no noivado, é importante discutir vocês lidarão com os inevitáveis desafios do futuro. “Vocês dois precisam saber que seu parceiro fará o que for necessário para lidar com os obstáculos futuros no relacionamento, sejam eles físicos, emocionais, mentais ou financeiros”, afirma a terapeuta de casais Becky Whetstone, do Arkansas.

“Se o casamento fraquejar, vocês vão fazer terapia e se comprometer com o processo? Todos nós precisamos saber que nosso parceiro está disposto a agir, em vez de varrer as coisas para debaixo do tapete ou apenas dizer: ‘Eu sou assim, aceite’.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.