NOTÍCIAS
16/12/2019 16:47 -03 | Atualizado 16/12/2019 17:48 -03

Bolsonaro critica Paulo Freire, e Twitter lembra que ‘energúmeno’ é referência mundial em educação

Patrono da educação no Brasil ganhou uma thread no Twitter que rebate o presidente e explica sua importância para o País.

MAURO PIMENTEL via Getty Images
 A obra Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire, é a terceira mais citada no campo da ciência.

O governo do presidente Jair Bolsonaro partiu mais uma vez para cima do educador Paulo Freire. Desta vez, o próprio presidente chamou o patrono da educação brasileira de “energúmeno”. Bolsonaro fez a crítica enquanto justificava o fim do contrato com a associação responsável pela manutenção da TV Escola. Segundo ele, o canal “deseduca”.

“Queriam que assinasse agora um contrato, o Abraham Weintraub [ministro da Educação], de R$ 350 milhões. Quem assiste a TV Escola? Ninguém assiste. Dinheiro jogado fora”, disse.

Na sequência, emendou:

“Era uma programação [da TV Escola] totalmente de esquerda, ideologia de gênero, dinheiro público para ideologia de gênero. Então, tem que mudar. Reflexo, daqui a cinco, 10, 15 anos vai ter reflexo”.

Os caras estão há 30 anos [no ministério], tem muito formado aqui em cima dessa filosofia do Paulo Freire da vida, esse energúmeno, ídolo da esquerda.

Antes de ser eleito presidente, Bolsonaro já havia feito críticas ao educador. Em uma palestra a empresários, disse que a educação brasileira estava afundando e que era preciso “entrar com um lança-chamas no MEC e tirar o Paulo Freire de lá”.

Alfinetadas ao educador também fazem parte do repertório do ministro Abraham Weintraub. 

Paulo Freire não deu certo, deixar as crianças sem internet não deu certo.

Dias depois desta declaração feita em novembro, o ministro voltou a responsabiliza-lo pelos resultados do Brasil na educação.

“O símbolo máximo do fracasso da gestão do PT começou quando foi construída a lápide da educação, que está lá embaixo na entrada do MEC, que é esse mural do Paulo Freire. Representa esse fracasso total e absoluto”.

Referência mundial

As queixas, no entanto, ecoam em sentido contrário. Geraram, especialmente no Twitter, uma onda de manifestações em defesa do educador. Freire é o único autor brasileiro que aparece na lista dos 100 livros mais requisitados pelas universidades de língua inglesa. A obra Pedagogia do Oprimido é a terceira mais citada no campo da ciência.

Ele é estudado nas 20 melhores universidades do planeta. No fim do ano passado, foi indicado como um dos principais educadores da humanidade pela publicação francesa Revue Internationale d’Éducation de Sèrves. São referências como essas que as pessoas destacaram nas redes sociais. 

Foi, inclusive, escrita uma thread para explicar a relevância do pensamento do educador:

Claro que também teve quem não perdeu a piada e lembrou que o presidente chamou a ativista Greta Thunberg de ‘pirralha’. Ela adotou o termo como descrição no Twitter, e dias depois foi eleita como a personalidade do ano pela revista Time.