Por que você deveria aproveitar sua cervejinha e seu queijo coalho em paz neste fim de ano

Apenas PAREM de falar em dietas!

Caro leitor do HuffPost Brasil,

Se você acompanha o canal Comida já deve ter percebido que esta editora que vos fala é um pouco viciada em saúde e bem-estar ― textos sobre alimentação saudável, benefícios de frutas e verduras e táticas de não meter o pé na jaca nas ceias de fim de ano não faltam por aqui. Porém, agora venho neste mesmo canal pedir encarecidamente: parem de falar em dieta.

Sim, eu tento comer bem na maioria das minhas refeições. Tenho diminuído doces, frituras e industrializados, aumentado as porções de saladas, verduras, frutas e de demais alimentos in natura. E estou feliz por estas mudanças.

Mas esta sou eu. Não quero que ninguém pense que falhou por não chegar ao “projeto verão 2020”.

É nesta reta final que normalmente somos bombardeados por notícias sensacionalistas sobre emagrecimento, tratamentos estéticos e dietas da moda, tais quais jejum intermitente, low carb, cetogênica, entre tantas outras (sem contar as famosas do suco, da sopa, etc).

Mas, agora com o Natal, Ano Novo e demais festas de confraternização, tenho que destacar que este é o momento de você parar de contar calorias, parar de ficar chateado porque “comeu demais” e parar de achar que vai “compensar” já no primeiro dia de 2020.

Isso faz mal. Para o nosso corpo e, principalmente, para nossa mente.

Comer é um ato social. É um ato confortante. É um ato singular ― cada um tem sua própria relação com a comida.

Se você quer comer seu queijo coalho na praia, seu pastelzinho e seu camarãozinho no espeto, todos acompanhados por uma cervejinha bem gelada ou uma caipirinha bem adocicada e finalizando com um açaí com leite condensado e leite ninho, faça isso!

Afinal, quer coisa mais gostosa do que aproveitar o bom tempo com as pessoas que você curte, fazendo coisas que você curte?

Para deixar claro: não estou falando aqui sobre a fome emocional ou descontar todo o estresse e frustração com este ano ― e que ano, galera! ― na comida. Não é isso.

Estudos comprovam que comer com mais atenção e saborear mais a comida é a chave para uma alimentação saudável. Salvas exceções, fazer as pazes com a comida tem se mostrado mais efetivo para a prevenção da obesidade do que remédios e dietas de restrição calórica.

A alimentação, além de nutrir nosso corpo, também exerce um papel fundamental em nossos círculos sociais e em nossa saúde mental. Abrir mão de um evento ou de um momento com seus amigos ou familiares porque você tem medo de “sair da dieta” é um erro enorme. Causa ansiedade, culpa e pode até culminar em transtornos alimentares e, assim, te fazer comer ainda mais.

“Pare de se fiscalizar ou fiscalizar os outros, ditando o que pode ou não pode comer. Comer bem é comer de tudo, sem culpa, sem restrição, com prazer, e escutando suas emoções e fome.”

Temos todo o tempo do mundo para por em prática o tal do “projeto verão” ― se ele fizer sentido para você, né?

Nestas festas de fim de ano, simplesmente aproveite o que está ao seu redor. Se conseguir aproveitar com moderação, que bom. Se não conseguir, vida que segue.

Eis o conselho que me deram sobre este fim de ano e para 2020 que gostaria de compartilhar para vocês: Confie em você! Escute seu corpo! Quem é dono da sua fome é você!