NOTÍCIAS
01/01/2020 12:06 -03

'Violência contra mulher é profanação de Deus', diz Papa

Papa Francisco também se desculpou por perder a paciência com uma fiel no dia anterior.

ANDREAS SOLARO via Getty Images
Na primeira missa de 2020, papa Francisco pediu a inclusão das mulheres nos processos decisórios para tornar o mundo mais unido.

O papa Franciscocelebrou nesta quarta-feira (1º) sua primeira missa no ano, dedicada à Virgem Maria e à 53ª Jornada Mundial da Paz, evento que abre o calendário anual da Igreja Católica.

Em sua homilia, realizada na Basílica de São Pedro, o Pontífice exaltou o papel da mulher no mundo e na vida religiosa e afirmou que a violência de gênero é uma “profanação de Deus”. “As mulheres são fontes de vida, mas ainda assim são continuamente ofendidas, agredidas, violentadas, induzidas a se prostituir e a tirar a vida que carregam no ventre”.

Segundo Jorge Bergoglio, o modo como a sociedade trata o corpo da mulher revela seu “nível de humanidade”. “Quantas vezes o corpo da mulher é sacrificado nos altares profanos da publicidade, do lucro, da pornografia, explorado como superfície a ser usada? Ele deve ser libertado do consumismo, respeitado e honrado”, acrescentou.

Além disso, o Papa pediu a inclusão das mulheres nos processos decisórios para tornar o mundo “mais unido”. “Se quisermos tecer a trama de nossos dias com humanidade, devemos recomeçar a partir da mulher”, disse. 

Pedido de desculpas

Antes da tradicional oração, ele aproveitou para se desculpar por ter “perdido a paciência” com uma fiel no dia anterior. “Tantas vezes perdemos a paciência. Também acontece comigo. Me desculpo pelo mau exemplo dado ontem”, disse.

Nesta terça-feira (31), o líder da Igreja Católica se irritou com uma mulher que o puxou pelas mãos enquanto ele saudava os fiéis na Praça São Pedro, após a celebração da última missa do ano.

A mulher estava atrás de uma grade de segurança no momento em que o papa iniciava sua passagem entre o público. Assim que ele se aproximou, ela o agarrou pelo braço e o puxou para perto. 

Em seguida, Francisco tentou se desvencilhar. Diante da insistência da mulher, ele deu um tapa nas mãos dela e seguiu o seu percurso - visivelmente irritado.