COMIDA
19/06/2019 16:08 -03 | Atualizado 19/06/2019 21:36 -03

Refugiados ensinam receitas típicas em série que terá Paola Carosella

Primeiro vídeo do projeto irá ao ar nesta quarta-feira (20), no Dia Mundial do Refugiado.

Victor Moriyama/ACNUR
Salsabil era farmacêutica e estava grávida de oito meses quando foi forçada a sair da Síria. Ao lado de Paola, ela ensina a fazer um quibe com massa fina.

Para celebrar o Dia Mundial do Refugiado, celebrado nesta quarta-feira (20), a chef Paola Carosella será uma das estrelas de série de vídeos especiais em que refugiados ensinam receitas típicas de seus países. Os vídeos serão veiculados em plataformas como YouTube, Facebook e Twitter.

O Brasil é o segundo país a tocar o projeto, criado em parceria com o Tasty Demais e a Acnur, agência da ONU para refugiados. Por aqui, quem apresentará os vídeos será a jurada do programa MasterChef Brasil. 

No primeiro vídeo, Paola conversa com os refugiados, que contam um pouco de sua vida e mostram receitas típicas. A chef cozinha com a síria Salsabil Matouk, que conta sua história e como a guerra na Síria fez ela e seu marido se mudarem para o Brasil. 

Por aqui desde 2014, Salsabil era farmacêutica e estava grávida de oito meses quando foi forçada a sair da Síria. No programa, ela ensina a fazer um quibe com massa fina, igual aos que eram feitos nas reuniões de sua família.

“Refugiados são pessoas que têm grande experiência de vida e que têm sonhos e planos para um futuro melhor, como qualquer um de nós”, disse Natasha Alexander, chefe da unidade de parcerias da Acnur. Segundo ela, a ideia do programa é mostrar que os refugiados podem contribuir muito com o país que os recebem, inclusive com novas experiências culturais, como a culinária.

“Ninguém deseja uma situação de refúgio, ela acontece por motivos alheios à vontade dos refugiados, como em casos de guerra, por exemplo. Quanto mais as pessoas entendem o valor das contribuições dos refugiados, melhor será o acolhimento a eles.”