Por que as pessoas fizeram tanto pão durante a quarentena

A pandemia do coronavírus foi acompanhada por um boom na produção de pães caseiros. Mas por que pão? Eis aqui uma explicação.

A pandemia mudou nossas vidas radicalmente, deixando claros problemas estruturais que enfrentamos em nível nacional e internacional. E ela também nos brindou com quantidades inacreditáveis de pão caseiro.

No começo, muita gente tentou estocar pão de supermercado em casa, numa época em que ninguém usava máscara. Aí alguns decidiram dar um passo extra, fazendo o próprio pão em casa. Os moinhos não deram conta, e começou a faltar farinha nas prateleiras (alguns tentaram comprar pela internet). Também ficou difícil encontrar fermento, o que levou muita gente a experimentar com fermento caseiro.

Parece que todo mundo tentou aprender a fazer pão e fermento natural. E mesmo quem não chegou a esse nível de sofisticação pelo menos tentou um pão de banana.

Mas por que pão? Tanta coisa para cozinhar ou assar, por que o pão foi essa grande estrela do isolamento?

Pão é um alimento essencial desde as primeiras atividades agrícolas dos humanos no Oriente Médio. Na religião, o pão é um símbolo-chave da eucaristia, sem falar no Pai Nosso (“o pão nosso de cada dia nos dai hoje”). No judaísmo, o pão sem fermentação é consumido no Pessach, a Páscoa judaica, para lembrar a fuga dos judeus do Egito. O pão está intimamente associado à História da humanidade, isso é muito claro.

E preparar coisas no forno, especialmente para os outros, pode trazer vários benefícios psicológicos. É uma forma de expressão e comunicação, uma oportunidade para relaxar, uma distração saudável. Fazer pão pode ser uma ótima forma de aliviar o estresse.

Mas que outros motivos nos levaram a virar padeiros amadores? Perguntamos aos nossos leitores. As respostas dão insights interessantes e mais profundos do que esperávamos. Veja o que eles disseram:

Por que as pessoas estão fazendo tanto pão caseiro na quarentena?
Por que as pessoas estão fazendo tanto pão caseiro na quarentena?

Porque dá uma sensação de controle

“Meu primeiro pensamento: sou capaz de fazer pão, portanto não estou impotente. É uma atividade terapêutica, que une corpo e mente para criar algo saudável. E ver o resultado final é muito gratificante. Além disso, é mais saudável do que fazer bolo.” ― Sofía Slawinska

“Fazer pão me deu uma sensação de sucesso numa época de muitos desafios e incertezas. O cheiro, o tapinha para saber se ele ficou pronto, a primeira mordida no pão que acabou de sair do forno, tudo isso é reconfortante.” ― Diana Everhart Hanna

“Tenho feito muito pão recentemente! Isso me ajuda a ter algum controle e ser criativa em um mundo assustador e fora do nosso controle.” ― Emily Young

Porque é gratificante e relaxante

“Sempre adorei o cheiro da massa de pão crescendo. Além disso, é tão gratificante acompanhar esse processo. Faço pão uma vez por semana. Meu marido e minha filha de 10 meses adoram. Tenho certeza de que vou continuar quando as coisas voltarem ao ‘normal’.” ― Allie Gaebler

“O pão conforta e nos lembra que ainda tem coisas boas no mundo.” - Linda Krajewski

“Neste momento de silêncio, neste momento de reflexão mais profunda, estou tentando recuperar alguns prazeres da vida que se perderam ao longo dos anos, além de criar novos rituais. Caminhadas diárias, happy hour com os amigos no Zoom, tardes de preguiça com meu cachorro, cozinhando as receitas prediletas da família e retomando o hábito de fazer pão.” ― Lisa Reavis Drum

“Já tinha feito pão em casa antes e agora voltei a fazer. Gosto da experiência sensorial de combinar ingredientes simples, sovar a massa, formar os pães e transformar isso num um alimento mágico. O pão tem um aroma reconfortante que se espalha pela casa e enche minha barriga de conforto.” ― Liz Graham

“Sempre fiz pão, mas decidi experimentar fazer o fermento, já que estou em casa e posso cuidar dele. Vou para a cozinha quando estou estressada acho que o pão é a coisa mais relaxante pra fazer. Não é fácil, porque o sucesso depende de muitos fatores... Umidade, temperatura, clima etc. E o pão é muito mais versátil que bolos ou biscoitos.” ― LeAnna Ramsey Hawkins

Porque te ajuda a criar raízes

“Pão é fundamental. A humanidade parte o pão para se conectar e se nutrir desde o começo dos tempos. É reconfortante, gratificante e fácil de compartilhar. O pão é primordial. Pão é vida.” ― Rachel Robertson

“Pão é o que a gente deseja e precisa agora. É ao mesmo tempo sal da terra, comida saudável e fruta proibida (carboidratos). O que poderia ser mais perfeito? A vida está confusa no momento e ninguém sabe direito o que fazer. Há um certo conforto em sovar o pão, sabendo que nossas mães e avós faziam o mesmo para alimentar suas famílias (OK, mesmo que a batedeira esteja fazendo o trabalho hoje em dia). Então, sim, eu estou me dedicando completamente.” ― Tammy Knox Miles

“Agora, nesta interminável prisão domiciliar, tenho tempo e não me sinto mal por ter de ficar presa em casa.”

Porque ele honra sua história

“Meu pai, que era descendente de menonitas, e sua família passaram pela Grande Depressão com 11 filhos, e fui criado SEMPRE comendo farinha e fermento em casa. Também me ensinaram a preparar meu próprio fermento, se não estivesse disponível para comprar.” ― Beth Victor

“Minha avó, que faleceu recentemente, era americana e se mudou para as Filipinas para se casar com meu avô, durante a Segunda Guerra Mundial. No decorrer de a guerra, ela preparava pão francês para os soldados americanos todos os dias. Aí ela começou a fazer pão de hambúrguer, o que a levou abrir um restaurante, o The Beehive, em Cebu City. Tive a sorte de herdar a receita do pão e faço quase todo fim de semana. Também distribuo entre os vizinhos. Faço pão para homenagear minha avó. Em memória de Hazel Graham Gonzalez. Minha xará.” ― Hazel Nicole Pokorny

Porque ajuda os outros

“O cheiro de pão caseiro se espalhando pelo bairro coloca um sorriso em cada rosto que alcança. Há semanas faço pães rústicos e os distribuo para os meus vizinhos. Todo mundo fica tão agradecido! Nos lembra de passar tempo na cozinha com nossas avós, tempos felizes. O bônus é que tem pouco ou nenhum produto químico nos pães feitos em casa.” ― Lola Tortola

“Comecei a fazer pão caseiro para que meus pais não tivessem de ir ao supermercado a cada dois dias só para comprar pão.” ― Taina Rodriguez

Porque você vira um consumidor melhor

“Minhas motivações são uma combinação de tentar produzir menos lixo, consumir menos alimentos processados e aprender uma nova habilidade que me dê orgulho. Tinha um pote de fermento seco havia meses na despensa. Presa em casa e estressada, achei que era a desculpa perfeita para começar. Minhas três primeiras tentativas foram... OK. Ainda dá para melhorar muito!” ― Kim Edwards

Porque agora temos tempo

“Faço pão porque agora tenho tempo! Costumava trabalhar 10 horas por dia, 6 dias por semana, em média. Não queria passar meu dia de folga dentro de casa fazendo pão. Agora, nesta interminável prisão domiciliar, tenho tempo e não me sinto mal por ter de ficar presa em casa.” ― Jackie Martinez

“Adoro fazer pão! Mas agora tenho tempo para deixá-lo crescer direito e colocá-lo no forno na hora certa, porque sei que estarei em casa! Já Fiz 8 ou 9 pães no estilo ‘bagel com tudo’.” ― Stephanie del Carmen

“Fazia anos que não tinha tanto tempo livre. Não assava pão desde que meu filho era pequeno e eu estava cuidando dele. Sempre gostei de panificação, jardinagem e outros trabalhos domésticos. Mas estava simplesmente muito ocupada com o trabalho para me dedicar.” ― Claudia Bouchacourt

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.