NOTÍCIAS
18/01/2019 19:57 -02 | Atualizado 18/01/2019 20:14 -02

Palocci diz que Lula recebeu dinheiro em espécie da Odebrecht em caixa de uísque

Quem retirava as quantias era assessor do então ministro; Uma das remessas teria sido entregue no avião presidencial.

ASSOCIATED PRESS

O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci disse, em novo depoimento de sua delação premiada, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu dinheiro em espécie da Odebrecht, e que as quantias chegaram a ser entregues em caixas de uísque e celular, segundo o jornal O Globo.

Palocci afirmou que, “em oportunidades diversas”, seu assessor Branislav Kontic teria retirado na Odebrecht remessas de “R$ 20 mil, R$ 40 mil, R$ 50 mil e R$ 80 mil” para entregar ao então presidente. 

“Também se recorda que (…) esses valores eram demandados pelo próprio Lula com a orientação dada por ele de que não devia o colaborador comentar os pedidos com Paulo Okamotto nem com ninguém”, afirma o texto do depoimento de Palocci, de acordo com o jornal.

“Se recorda que levou valores a Lula em Brasília/DF; Que levou valores em espécie a Lula em diversas vezes em São Paulo/SP; Que já levou valores em espécie para Lula dentro da aeronave presidencial”, diz o registro do depoimento.

Palocci afirmou ainda que Kontic uma vez “levou R$ 50 mil em espécie a Lula no Terminal da Aeronáutica em Brasília/DF, durante a campanha de 2010, dentro de uma caixa de celular na frente do motorista do colaborador, cujo nome era Cláudio Gouveia”.

“Em São Paulo, recorda-se de episódio de quando levou dinheiro em espécie a Lula dentro de caixa de uísque até o Aeroporto de Congonhas, sendo que, no caminho até o local, recebeu constantes chamadas telefônicas de Lula cobrando a entrega”, completou.

O ex-ministro também disse aos investigadores que Lula afirmou a ele, certa vez, que não pagaria o tríplex no Guarujá com o dinheiro que ganhava em palestras porque um “apartamento na praia” não cabia em sua biografia.

Foi por causa do tríplex no Guarujá que Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, num esquema que envolveria OAS e Petrobras.

  

Defesa de Lula nega acusações

Segundo a assessoria do ex-presidente, Palocci “inventou histórias sobre” o ex-presidente e que conseguiu “manter boa parte de seu patrimônio em troca de mentiras sem provas”. “O que sobra são historinhas para gerar manchetes caluniosas”, diz a assessoria.

O advogado de Lula Cristiano Zanin, por sua vez, disse que “Palocci produziu mais uma narrativa mentirosa e mirabolante contra Lula em troca de benefícios negociados clandestinamente com agentes do Estado objetivando produzir resultados políticos contra o ex-presidente”.