MULHERES
27/02/2019 15:24 -03 | Atualizado 27/02/2019 15:33 -03

'Absorvendo o Tabu' mostra a dificuldade dos homens em lidar com a menstruação

Documentário vencedor do Oscar mostra que, na Índia, deixar de comprar absorventes é uma forma de ser 'invisível' para os homens.

Absorvendo ainda mostra um grupo de jovens concordando que a menstruação é uma doença contraída pelas mulheres.

De jovens que acham que a menstruação é uma doença a homens mais velhos que não admitem falar do assunto em público e a homens que ficam encarando mulheres que compram absorventes íntimos na lojinha do bairro, Rayka Zehtabchi, em Absorvendo o Tabu (Period. End of Sentence, em inglês) consegue revelar o drama vivido pelas mulheres indianas. O maior desafio delas são os homens e sua incapacidade de lidar com o tema. 

O filme ganhou o Oscar de melhor documentário em curta-metragem, mostra a preocupação de profissionais de saúde e ativistas dos direitos da mulher que tentam melhorar o acesso das indianas a produtos de saúde menstrual. O filme entremeia conversas com mulheres de um vilarejo de Uttar Pradesh com entrevista com homens do mesmo vilarejo, mostrando as dificuldades que elas enfrentam.

É muita vergonha. Eles encostaram nos absorventes.

Absorvendo ainda mostra um grupo de jovens concordando que a menstruação é uma doença contraída pelas mulheres e o tio de uma mulher que montou uma empresa para produzir absorventes de baixo custo em sua casa. Quando o entrevistador pergunta o que ele acha que está sendo produzido, ele diz: “Fraldas”. A sobrinha, que parece ter organizado o esquema, não quer confrontar o tio. Em outra cena, uma jovem corajosa que quer ser policial diz que não contou para o pai o que faz – ela trabalha numa microempresa que produz absorventes. Ela explica que seria muito difícil explicar e que provavelmente teria de abandonar o emprego se o fizesse.

Suman, que trabalha numa dessas microempresas, diz que os homens sabem o que é menstruação e que as mulheres produzem os absorventes, mas nunca falam do assunto em público.

Outro homem aparece falando que as mulheres vão produzir ‘absorventes’ para crianças. A falta de uma linguagem comum para a menstruação fica clara no filme.

 

 

Em diversas entrevistas ao HuffPost Índia, ativistas e profissionais de saúde afirmam que o principal motivo pelo qual as mulheres de pequenos vilarejos e favelas não usam absorventes íntimos tem a ver com os homens. Uma enfermeira que mora num bairro pobre da periferia de Nova Déli disse ao HuffPost Índia que, apesar de insistir que suas filhas usem absorventes, elas muitas vezes ficam com vergonha.

Ela mora numa casa de 20 metros quadrados com seis outra pessoas, incluindo o marido, o filho e o genro. Ela disse que esconde os absorventes – feitos por mulheres do bairro – nas caixas onde guarda suas roupas. Mas mais de uma vez os homens os encontraram quando estavam procurando outras coisas. “É muita vergonha. Eles encostaram nos absorventes”, disse ela ao HuffPost Índia.

Sabbar Tausif, da ONG Plan India, disse que muitas mulheres devolvem os absorventes que receberam gratuitamente por não saber onde “escondê-los” dos homens.

Swati Bedekar, responsável pela Sakhi Pads, de Ahmedabad, explica que em alguns vilarejos os homens proíbem as mulheres de descartar absorventes biodegradáveis no lixo. Muitas vezes, eles são descartados em terrenos baldios e depois destroçados por gatos e cachorros, diz Jaideep Mondal, da Aakar Inventions, que produz absorventes biodegradáveis.

O documentário de Zehtabchi mostra uma mulher que compartilha da preocupação de Mondal. Ela afirma que os cachorros que ela adotou muitas vezes aparecem com absorventes destroçados, o que é “muito constrangedor”.

Anshu Gupta, da Goonj, disse ao HuffPost Índia que, quando sua ONG realiza campanhas de conscientização em regiões rurais do país, elas costumam ser lideradas por homens. A ideia é convidar homens e mulheres para participar, e profissionais de saúde homens explicam os perigos de usar tecidos sujos como absorventes.

O modelo de fabricação própria de absorventes pode ter muitos problemas que não são tratados no filme, mas “Period” deixa claro que os homens precisam desaprender seus tabus antes que as mulheres aprendam higiene menstrual.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost India e traduzido do inglês.