ENTRETENIMENTO
13/01/2020 15:29 -03 | Atualizado 13/01/2020 17:25 -03

As maiores surpresas do Oscar 2020

Robert De Niro fora da disputa de Melhor Ator e ausência de "Frozen II" na categoria Animação são algumas delas.

Anunciada na manhã desta segunda (13), a lista de finalistas ao Oscar 2020 trouxe algumas grandes surpresas. A ausência de Robert De Niro na disputa pela estatueta de Melhor Ator, por exemplo, foi uma das bem grandes.

Até acertamos muitas de nossas apostas baseadas em listas de outras premiações e um pouco de feeling de quem acompanha cinema há anos, mas o Oscar nunca deixa de surpreender público e crítica, e a 92ª edição não será diferente.

 Veja aqui uma lista em que enumeramos as maiores surpresa da lista de finalistas do Oscar 2020:

Robert De Niro de fora

Divulgação

O Irlandês foi um dos filmes com mais indicações ao Oscar. Foram 10 no total, empatando com outros favoritos ao prêmio principal, como 1917 e Era uma vez em... Hollywood e atrás apenas das 11 de Coringa. Martin Scorsese disputa a estatueta de Melhor Direção e a dupla Al Pacino e Joe Pesci a de Melhor Ator Coadjuvante. Mas Robert De Niro ficou fora da disputa de Melhor Ator. Foram indicados: Joaquin Phoenix (Coringa), Jonathan Pryce (Dois Papas), Adam Driver (História de um Casamento), Antonio Banderas (Dor e Glória) e Leonardo DiCaprio (Era uma vez em... Hollywood). 

Síndrome de Bohemian Rhapsody

Divulgação/Montagem
rocketman

Outro grande esnobado na categoria Melhor Ator foi Taron Egerton. Vencedor do Globo de Ouro como Melhor Ator de Comédia ou Musical, o ator inglês que interpreta o cantor e compositor Elton John na cinebiografia Rocketman concorre a outros prêmios importantes como o Bafta e o SAG. Ao que tudo indica, a semelhança entre seu papel e o de Rami Malek - que ganhou um Oscar ano passado como Freddie Mercury em Bohemian Rhapsody - acabou pesando.

Jennifer Lopez também dançou

Divulgação

Super cotada como como uma das prováveis finalistas da categoria Melhor Atriz Coadjuvante, Jennifer Lopez deve ter ficado bem decepcionada em não ver seu nome lista. Vários veículos de comunicação especializados em cinema a apontavam até como favorita ao prêmio. E ela está ótima mesmo como a dançarina de striptease Ramona em As Vigaristas, filme baseado em uma série de reportagens que contou a história de um grupo de dançarinas que depois da crise de 2008 passou a dar golpes.

Netflix derrete Frozen II

Divulgação/Montagem

A presença de Frozen II na lista de finalistas era praticamente uma barbada, mas a Academia não pensa assim. A animação da Disney que está batendo todos os recordes de bilheteria pelo mundo foi preterida por duas produções bem mais modestas. Coincidentemente, ambas da Netflix: Perdi Meu Corpo e Klaus. A primeira é uma animação francesa voltada para o público adulto, já a segunda é mais acessível ao público em geral, mas com um orçamento infinitamente menor que Frozen II. Completam a lista Toy Story 4 (que ganhou o último Critic’s Choice), Link Perdido (vencedor do último Globo de Ouro) e Como Treinar Seu Dragão 3.

O ano de Scarlett Johansson

Divulgação/Montagem

Se há alguém que mais tem motivos para comemorar as indicações ao Oscar é Scarlett Johansson. Não que seja uma surpresa ela ter emplacado nas duas categorias de atriz, mas isso é bem raro de acontecer. Tanto que em 91 anos de história do prêmio, apenas 11 pessoas conseguiram disputar a estatueta de Melhor Ator/Atriz e Melhor Ator/Atriz Coadjuvante. A má notícia para Johansson é que desses, apenas Holly Hunter, Al Pacino e Jamie Foxx conseguiram levar o prêmio como protagonista. Já Fay Bainter, Teresa Wright, Barry Fitzgerald e Jessica Lange venceram como coadjuvantes. Enquanto Sigourney Weaver, Emma Thompson, Julianne Moore e Cate Blanchett saíram da premiação de mãos vazias.

Brasileiro não desiste nunca

Divulgação

O fato de Democracia em Vertigem, da brasileira Petra Costa, estar a lista de finalistas entre os documentários não é uma surpresa tão grande assim. A produção da Netflix era bem contada ao prêmio desde que foi lançada, em junho de 2019, mas desbancou títulos muito fortes, como Apollo 11, One Child Nation e Privacidade Hackeada. O feito foi muito comemorado para a cineasta mineira: “Estamos absolutamente emocionados e extasiados”, disse em um post em sua conta no Instagram. O documentário sobre o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff pode dar o primeiro Oscar para o Brasil.