Por que eu não chego ao orgasmo?

Não deveria ser um suplício uma mulher gozar, não é mesmo?

Quando o assunto é sexo, o que quer uma mulher? Ou melhor: como estão as mulheres? A sexualidade feminina sempre foi alvo de preconceitos e gozar, por muito tempo, não era visto como um direito de “mulheres honestas”.

Mas será que o direito ao prazer é um mero supérfluo, um mero capricho das “desonradas”? Parece loucura as coisas que eu estou escrevendo, mas para muita gente é assim que a banda ainda toca.

Falar em tocar, aliás, já levanta suspeitas. Masturbação feminina? Orgasmo? Que loucura!

Pesquisa realizada em 2018 pelo Prazerela indicou que apenas 36% das mulheres têm orgasmo durante o sexo. E para 74% delas, a masturbação é a forma mais eficaz de encontrar o prazer.

Mas por que será que tantas mulheres ainda não conseguem sentir o orgasmo? É possível aprender a gozar? E qual o papel do parceiro nisso tudo (sim, estamos falando de você, homem hétero)?

Para responder essas e outras perguntas, conversei com Lua Menezes, terapeuta sexual.

HuffPost Brasil: É realmente difícil “chegar lá”?

Lua Menezes: Não é tão difícil chegar ao orgasmo. O que é difícil é aprender a relaxar para sentir o orgasmo. A gente tem muito tabu e muita nóia em cima da sexualidade, principalmente em relação à sexualidade feminina. E esses tabus bloquearam o nosso acesso ao prazer.

Eu não gosto quando pintam o prazer feminino como esse bicho de sete cabeças, como se fosse um suplício fazer uma mulher gozar. Porque não é. O que a gente precisa é fazer um trabalho de desconstrução e entender que o nosso orgasmo depende de um trabalho não só do nosso corpo, mas também das nossas emoções, do nosso estado mental.

O nosso corpo está muito preparado para gozar. Existe um órgão especializado no prazer, que é o clítoris. Mas, a nossa cabeça nem sempre ajuda. Seja porque a gente fica pensando em um milhão de coisas na hora do sexo ou da masturbação e não consegue se concentrar no ato, na experiência do prazer. Ou porque a gente tem algum trauma desse momento.

Para os homens, existe ainda toda a pressão da masculinidade que coloca eles nessa posição de ser sempre o garanhão, de ter que performar, de ter que estar sempre duro. Então, alguns homens sofrem com a ejaculação retardada e com a dificuldade de chegar ao orgasmo nesse sentido.

É possível, então, aprender a gozar?

Com certeza. Nós podemos e devemos aprender a gozar. O orgasmo é um aprendizado constante.

A primeira coisa para isso é aprender a relaxar. E eu sei que muita gente subestima isso. “Ah, relaxa e goza!”. Mas é exatamente isso.

O relaxamento, na verdade, é uma condição para que várias das nossas funções fisiológicas aconteçam. Digerir um alimento, cair no sono, fazer cocô. Você precisa estar relaxado. O mesmo acontece com o orgasmo, já que também é uma função fisiológica do nosso corpo.

Então, o primeiro passo é aprender a relaxar. E como fazer isso? Respirando. A respiração ajuda muito o corpo a relaxar e ajuda na concentração do aqui e agora. Então, todas as vezes que você sentir a sua mente divagar, volte para o seu corpo. É importante sempre fazer esse chamado de volta ao corpo e colocar a atenção no sentir, e não na pressa de gozar.

Uma das coisas que mais dificulta quem ainda não aprendeu a gozar é justamente a ansiedade por gozar logo. Você foca no resultado e não consegue se deleitar no processo.

“Eu não gosto quando pintam o prazer feminino como esse bicho de sete cabeças, como se fosse um suplício fazer uma mulher gozar. Porque não é. O que a gente precisa é fazer um trabalho de desconstrução e entender que o nosso orgasmo depende de um trabalho não só do nosso corpo, mas também das nossas emoções, do nosso estado mental.”

Algumas meninas ainda têm dúvidas se já chegaram ao orgasmo ou não...

Eu acho que quando o orgasmo vem, é fácil de perceber. Então, na maioria dos casos, quem tem dúvidas se gozou é porque não gozou.

Mas também acontece de mulheres que tenham expectativas erradas sobre o que é o orgasmo e espere, por exemplo, uma saída de liquido enorme a ponto de molhar a cama. E nem sempre é assim.

A gente tem uma lubrificação natural que é consequência da excitação, mas não precisa sair uma quantidade exorbitante de líquido.

O que é o orgasmo, então?

O orgasmo é uma descarga de tensão. A gente acumula a tensão sexual, a tensão libidinal, e o orgasmo é essa grande liberação.

No sentido mais técnico, ele é a conclusão da nossa resposta sexual. É como se fosse o ápice dessa excitação e acontece essa descarga. Quando a gente tenta descrever essas sensações que só fazem sentido de verdade quando a gente sente, as palavras são insuficientes.

Então, é menos sobre esperar que saía uma grande quantidade de fluídos, e mais sobre observar se você consegue perceber essa tensão, esse clímax, esse momento de descarga, como se alguma coisa expandisse dentro de você.

Aí entram outras respostas do nosso corpo que podemos observar. O batimento cardíaco acelera, há espasmos musculares, enfim, é diferente para cada pessoa.