ENTRETENIMENTO
07/04/2019 08:39 -03

Olly, de 'Game of Thrones', ainda é trolado 4 anos depois de trair Jon Snow

Mas o ator Brenock O'Connor se orgulha de ter sido uma figura tão impactante na série.

HBO
O que Olly precisa nesta vida é que as pessoas parem com a trolagem.

O ator Brenock O’Connor, conhecido como o Olly de Game of Thrones, disse dois adeus quando a final da 5ª temporada foi ao ar, em 2015.

Um foi seu adeus a Jon Snow, o comandante da Patrulha da Noite que Olly é o último a apunhalar no final inesperado, e outro foi o adeus às menções pessoais a ele no Twitter.

“Terminei de ler a cena”, contou O’Connor ao HuffPost, “e falei: ‘Todo mundo vai me odiar’.”

Ele tinha razão. Game of Thrones já está cheio de frases marcantes como “o inverno está chegando” e “todos os homens precisam morrer”, mas na 5ª temporada os fãs criaram uma frase própria: “Olly, vá se f...”.

O ódio pelo personagem de O’Connor inspirou o subreddit “Fuck Olly” e uma enxurrada interminável de memes. Mais a coisa saiu do controle e o ator – que era apenas adolescente—passou a ser alvo de agressões online constantes.

“As pessoas foram longe demais”, ele comentou com o HuffPost.

Muita coisa aconteceu em Game of Thrones e na vida de O’Connor nos quatro anos passados desde aquele momento fatídico na 5ª temporada. O’Connor fez um dos papéis principais do filme independente britânico The Bromley Boys e pode ser visto em outros projetos, como Derry Girls, além de se apresentar como músico. Ao longo de tudo isso, porém, mesmo com Jon Snow tendo ressuscitado, as pessoas ainda falam “fuck Olly”.

“Recebo pelo menos um tuíte por mês de pessoas pedindo para eu me matar, dizendo que me odeiam ou me falando “vá se f...”. Eu entendo. É estranho que as pessoas levem tão a sério, mas isso também significa que fiz um bom trabalho, já que eu tinha que fazer as pessoas me odiarem. Era isso que o personagem fazia.”

Continuamos a conversar com O’Connor sobre o momento em que ele matou Jon Snow, sua experiência com trolls e sobre como, desde então, ele próprio entrou na onda da criação de memes.

Na Feira de Fantasia Medieval. Obrigado por um ótimo fim de semana, pessoal.

HuffPost: Em sua biografia no Twitter está escrito que Woody Harrelson ouviu sua música. Como isso aconteceu?

Foi uma coisa bem estranha. Quando estávamos filmando Derry Girls, Louisa Harland, que faz Orla na série, conhece Woody Harrelson por alguma razão, não sei por quê. Ela adora minha canção Ghost Men, que está no Soundcloud e vai ser meu novo single no Spotify. Ela realmente adora essa música, então mandou um link dela para Woody Harrelson. A única resposta dele foi um torpedo dizendo “muito boa”. Já estou acostumado com esse tipo de reação.

Quando você está fazendo shows, as pessoas te reconhecem? Elas te reconhecem de modo geral hoje em dia?

De vez em quando, porque acho que cresci e mudei bastante desde que participei de Game of Thrones. Acho que faz 4 anos desde a última vez que estive em GoT. Muita coisa mudou para mim desde então, mas as pessoas ainda reparam em mim de vez em quando. Outro dia eu estava em um pub em Belfast e um sujeito se aproximou e perguntou: “Você é do Game of Thrones?”. Falei que sim. E ele: “Rickon Stark?”

Como isso tem sido online?

De vez em quando, quando posto alguma coisa no Twitter ou no Instagram, ainda aparece alguém dizendo “Vá se f..., Olly”. Eu digo algo tipo “não sou mais Olly, eu morri. Sofri meu castigo merecido. Acabou.” Mas... É bacana ser uma figura tão “reconhecível” da série.

Olly não foi um personagem nos livros. Então como ele nasceu? Como foi que você entrou na série?

Fiz um teste para representar um personagem sem nome. Eram três linhas de diálogo em uma cena, e seria só aquilo. Então Dave Hill, um dos roteiristas geniais da série, achou que seria boa ideia se eu matasse Ygritte e depois matasse Jon e que Jon voltasse à vida mais para frente. Portanto, foi tudo planejado com anos de antecedência, mas eu não sabia de nada disso até estar filmando as cenas. Fui filmar minhas cenas na Islândia, o que levaria uma semana, e me pediram: “Daria para você vir a Belfast daqui a um mês?”, e eu falei “tudo bem”. Eu não fazia ideia que a história de Olly seria tão importante, mas eu estava no lugar certo, na hora certa. Tive muita sorte.

Você realmente matou tanto Jon quanto Ygritte, e agora os atores, Kit Harington Rose Leslie estão casados.

É muito estranho eu ter matado os dois e eles dois agora estarem juntos na vida real.

É quase como a flecha de Cupido.

Isso mesmo. Foi uma flecha. Não direi que foi minha culpa, mas foi isso mesmo.

Foi depois da morte de Ygritte que os memes de Olly realmente decolaram. Havia aquele... “levou uma flechada no coração!”

Aquele foi clássico, me fez gargalhar.

Como é virar um meme famoso quando você era ainda um garoto?

Foi uma doideira. Eu nem sabia o que era Game of Thrones quando me deram o papel – eu tinha 13 anos e eu não podia assistir a GoT porque era proibido para menores. Então receber um papel que até hoje encaro como tendo sido pequeno no esquema geral de Game of Thrones, uma série imensa, importantíssima, e muitos personagens são mais importantes do que Olly foi... Bem, eu só fico feliz por Olly ter tido o impacto que teve.

Pensar que a internet é capaz de pegar um papel e adotá-lo como seu. Há um blog no Tumblr [Olly Nods at Things]. Eu aceno com a cabeça quando mato Ygritte, aceno para Jon quando ele é eleito Lorde Comandante, aceno com a cabeça 7 vezes do outro lado do pátio. Eu não tinha percebido que fazia isso. É engraçado ver as coisas que a internet assinala. Os fãs são malucos. Os fãs notam tudo. 

Como foi descobrir que você ia matar Jon Snow?

Acho que todo o mundo tinha a sensação de que isso seria algo enorme, em qualquer momento que acontecesse na série – a morte de Jon Snow seria um acontecimento tremendo. Mas o fato de ter sido no momento final da série, de a temporada terminar com ele deitado ali, ensanguentado, e você vai ficar um ano sem saber de mais nada, que essa é a última imagem na cabeça das pessoas até assistirem à série no próximo ano – aquilo foi uma oportunidade enorme que nos ofereceram para converter isso em algo icônico.

Como foi quando você leu aquela cena?

Terminei de ler a cena e falei “todo o mundo vai me odiar”. E eu tinha razão. Foi uma daquelas coisas que provocou uma reação imediata. Isso é imenso. Isso é enorme. Bom, foi uma alegria real o fato de os roteiristas sentirem tanta confiança em mim, um garoto de uns 14 anos.

HBO
Com os cumprimentos de Olly.

E houve a reação que você disse que foi longe demais. Como foi isso?

Eu tinha uma Vespa, uma lambretinha de 50 cc, e eu estava andando nela um dia depois de ganhá-la. Estacionei na cidade e um amigo me mandou um screenshot de um post do Facebook que dizia: ‘Acabei de ver aquele bosta Olly de Game of Thrones andando por aí na lambretinha dele. Ele me olhou como se estivesse dizendo ‘sou eu mesmo. Pelo amor de Deus não olhe para mim’.” E os comentários das pessoas da minha cidade, pessoas por quem eu cruzava na rua – “Eu devia ter cortado os pneus dele”, “devia ter lhe dado uma porrada”, “devia ter dado uma facada nele”, “eu devia tê-lo apunhalado”, “devia ter cortado a garganta dele”. Eu tinha 16 anos, tinha literalmente acabado de completar 16 anos. Não foi legal.

Isso é muito assustador.

Foi apavorante. É perigoso. É como um jogo perigoso, mas você precisa guardar em mente que as pessoas que dizem coisas desse tipo na internet não são o tipo de pessoa que fazem essas coisas na vida real.

Já tive algumas experiências bem menos pesadas que isso com trolls, e mesmo assim foram intensas. Não consigo imaginar como isso deve ter sido para você...

É intenso. Mas você só tem que se lembrar: “Foi um trabalho de ator. Eu estava representando.” As pessoas acreditam. O objetivo todo de atuar é fazer as pessoas acreditarem, então a única maneira de eu encarar aquilo positivamente foi pensar que fiz meu trabalho muito bem. Sem querer me gabar, acho que fiz tudo certinho.

Pelo menos você aprendeu a se divertir com os memes e tudo mais. Seu vizinho tinha uma figura recortada de Kit Harington na sua janela e você escreveu sobre isso no Twitter. O que aconteceu ali?

Não faço a menor ideia. Eu estava passando em frente à casa do meu vizinho, a caminho da minha casa, e então voltei para trás. “O que é isso, por que Kit está na janela? Não, não é Kit, é uma figura de papelão. Por que há um recorte de papelão de Kit na janela do meu vizinho?” Até hoje não sei por que estava ali. Não sei como foi parar ali, mas está lá e me rendeu um bom tuíte.

A janela da frente do meu vizinho.

Quando você estava filmando aquela cena, sabia que Kit ia voltar?

Não fazia a menor ideia. Eu o matei. Enfiei uma faca nele. Tratamos a cena como sendo o último dia de Kit no set. Todos nós nos despedimos dele com muita emoção. Naquele momento Kit já estava havia cinco anos naquela jornada, um ator jovem com um papel tão icônico, isso é tremendo.

Despedir-se daquilo tudo teria sido uma verdadeira montanha-russa emocional. Mas ele sabia que ia voltar. Nós não sabíamos. Recebi o roteiro da 6ª temporada e me disseram que meu personagem ia morrer. David Benioff e Dan Weiss me disseram. Me chamaram ao escritório, me disseram que eu ia morrer, recebi o roteiro e havia ali um personagem chamado “LC”. Só isso. Eu pensei ’ok, há um personagem novo que vai chegar para matar as pessoas que mataram Jon. É isso?” Quando cheguei ao set, Kit estava lá. Eu disse: “Ahn, como assim?” E ele explicou: “Sim, LC, Lord Commander (Lorde Comandante). Pensei: faz sentido. É genial. Eles são ótimos em guardar segredos. Só fui descobrir na última hora. É por isso que é tudo um mistério tão grande. Todo o mundo fica morrendo de curiosidade de saber o que vai acontecer a seguir, e provavelmente nem sequer os atores sabem.

Como foi filmar a cena da morte de Olly? Muita gente estava torcendo para ele morrer, obviamente, mas acho que escrevi na época – é um pouco perturbador o jeito como a câmera fica um tempão mostrando um menino morrendo.

É estranho dizer isso, mas filmar a morte foi divertido. Estávamos usando suportes corporais completos. Estávamos totalmente em segurança enquanto éramos enforcados. Não sentimos dor nenhuma. Foi uma curtição. Adoro fazer cenas estranhas, coisas que a gente não tem a chance de fazer em nenhum outro tipo de trabalho. Poder lutar com espada é uma vantagem tremenda desse trabalho, praticar arco e flecha é uma vantagem tremenda, ter a chance de ser enforcado é demais. Em que outro trabalho seria possível fazer tudo isso?

Foi a primeira cena de enforcamento de verdade vista em Game of Thrones. Você vê gente que foi enforcada, mas nunca vê o momento do enforcamento, então aquilo foi inovador na série e foi mais uma oportunidade de criar um momento icônico. Foi fantástico poder dar um adeus tão emocional a um personagem por quem passei três anos apaixonado. Olly passa por momentos tão difíceis. Seus pais foram mortos e devorados na frente dele e então ele foi jogado num castelo com estupradores, assassinos e ladrões. Fez um amigo entre eles e descobriu que ele estava do lado das pessoas que mataram os pais dele. E o personagem tem 11 anos durante a história, então a ideia de que as pessoas curtiram ver um garoto de 11 anos morrer é... tudo bem, mas realisticamente falando é bem doentio. É asqueroso. Não curta esse momento. Mas muita gente curtiu.

Você assiste a GoT hoje?

Adoro a série. Ainda adoro Game of Thrones. Não vejo a hora de começar a próxima temporada.

Quais são suas teorias sobre o final?

Não sei se alguma coisa disso é verdade, mas gosto muito da ideia de Bran ser o Rei da Noite. Essa é uma das teorias de fãs, porque quando a gente o conhece, na 1ª temporada, ele é simplesmente um garoto que gosta de escalar. Pensar que ele possa provocar a destruição do mundo inteiro é insano. Então estou apostando tudo nisso.

Para um papel tão pequeno quanto foi, Olly foi alguém que se tornou bem reconhecível na internet. Olhando para trás agora, o que você diria aos fãs?

Eu diria “obrigado”. Foi uma montanha-russa maluca. Nunca imaginei que eu ainda estaria falando sobre isso anos mais tarde, mas fico grato por estar falando sobre isso agora. Foi a melhor coisa que fiz e provavelmente a melhor coisa que ainda farei. Acho que cheguei ao meu auge aos 13 anos de idade. Às vezes isso acontece.

Não sei se isso foi seu auge. Woody Harrelson curtiu sua música. 

Exatamente. Woody Harrelson curte minha música.