OPINIÃO
16/06/2019 08:04 -03 | Atualizado 16/06/2019 08:04 -03

Olímpia, a cidade de 100 milhões de litros de águas quentes

Paraíso dos parques aquáticos, cidade paulista é conhecida por suas águas termais.

Divulgação
Parque Aquático Thermas dos Laranjais é o maior de Olímpia, no norte de São Paulo.

O cenário do parque aquático lembra uma estação de Lego. Piscinas de vários tamanhos e formatos, toboáguas com bóias imensas coloridas, cascatas artificiais e até uma praia inventada, em pleno interior de São Paulo, com ondas, coqueiros e areia branquinha. 

Olímpia é assim: uma cidade cercada de água (quente!) por todos os lados. Famosa pelas águas termais, a cidade de pouco mais de 50 mil habitantes repousa sobre uma reserva de 100 milhões de litros de águas quentes naturais, que brotam do Aquífero Guarani. 

As águas desses lençóis subterrâneos são ricas em sais minerais, por isso, os banhos quentes, ali, além de relaxar, têm propriedades curativas. Sem contar que a gente volta menos estressada e mais bonita depois de uns dias de molho. 

Para chegar lá, partindo de São Paulo, são 440 quilômetros. Nem tão longe nem tão perto, mas uma boa opção de escapada em família, ainda mais com crianças! Basta tomar um balde gigante de água quente (sim, um super balde!), para você relaxar e entrar no clima de diversão. 

Tudo em Olímpia, afinal, gira em torno do turismo aquático. São 2 parques: o Thermas dos Laranjais, maior e mais antigo, e o Hot Beach, aberto há 2 anos, mais novo e menor – com a vantagem de que fica no “quintal” do hotel Hot Beach Resort, que dá acesso livre ao parque. 

Com duas crianças, optamos pela hospedagem no Hot Beach Resort. A alternativa seria o Thermas Park, que em 2019 entrou para a lista dos 25 melhores hotéis para famílias na América do Sul, pelo TripAdvisor. 

Escolhemos o primeiro para que as crianças ficassem livres para ir e vir, já que, com a pulseirinha, os hóspedes têm acesso ao parque durante o dia todo, o que faz toda a diferença. Não é preciso pegar o carro para nada e dá para experimentar todas as atrações, um dia de cada vez.  Os toboáguas maiores exigem coragem. Mas depois que você vai uma vez, acaba pedindo bis.  

A única recomendação é tentar ir a Olímpia no contra-fluxo, em dias de semana ou em um fim de semana normal, porque os parques costumam ficar bem lotados nos feriados e festas. 

Muita gente me perguntou se o destino vale a viagem. Seguem aqui 7 razões para visitar Olímpia. Especialmente no outono, quando as temperaturas começam a cair, as piscinas quentes são um bálsamo. 

1. As piscinas são naturalmente quentes. Ou seja, não são aquecidas artificialmente, o que agrega propriedades termais à agua. Os hotéis também têm suas piscinas mornas e iluminadas lindamente, com lâmpadas led coloridas, em um cenário aconchegante, onde você pode ficar até tarde da noite curtindo um ofurô. 

2. É uma maneira de ir à praia onde não tem praia. As ondas são movidas com efeitos especiais, mas quem se importa?

3. Tem diversão para todas as idades. As crianças e adolescentes piram, não querem sair da água. Para os adultos, há piscinas com hidro, vários restaurantes e o “bar molhado” para tomar um drink e relaxar ainda mais. Os idosos também adoram as cascatas que fazem massagem. 

4. A oferta de hotéis e pousadas é para todos os gostos e bolsos. Olímpla soma 19 mil acomodações em resorts, hotéis, pousadas, flats e casas de temporada. 

5. Há a opção do resort “pé na areia”, pois o Hot Beach dá livre acesso ao parque aquático. E com sistema de meia pensão ou pensão completa, o que também é ótimo, pois você aproveita o hotel ao máximo, sem ter de sair para comer fora. 

6. A água é sempre quente. Você não precisa se preocupar com a previsão do tempo pois, faça chuva ou sol, a água é quente e todo mundo se diverte. 

7. É uma aventura com bom custo/benefício, considerando que é um destino de parque aquático, em reais, e sem precisar de passagem aérea — para quem mora em São Paulo. Basta uma boa playlist no carro, ir parando, passeando, e logo as piscinas quentes estão a seus pés. 

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.