POLÍTICA
29/03/2019 09:11 -03 | Atualizado 29/03/2019 09:18 -03

Governo nomeia militar para ser número 2 do MEC

Tenente-brigadeiro que estava no FNDE será o secretário-executivo de Ricardo Vélez.

ASSOCIATED PRESS
A nomeação de Ricardo Machado Vieira é assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Ricardo Vélez.

Duas semanas após demitir o número 2 do Ministério da Educação, o ministro Ricardo Vélez e o presidenteJair Bolsonaroassinaram na quinta-feira (28) a nomeação do tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira para o cargo. O decreto foi publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (29). Desde o início do ano, 4 nomes já foram anunciados para o comando da Secretaria Executiva.

Para assumir o posto, o tenente deixa a assessoria especial da presidência do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). Ele havia sido nomeado para o cargo em fevereiro. Ricardo Machado Vieira já foi chefe do Estado-maior da Aeronáutica.

A nomeação dele indica maior domínio da área militar na Educação. A pasta vem enfrentando uma série de polêmicas, aprofundadas nos últimos dias com um vai e vem de uma portaria do Inep, órgão ligado ao MEC, sobre avaliação do nível de alfabetização de crianças aos 7 anos. O imbróglio resultou na demissão de Marcus Vinicius Rodrigues, que presidia o instituto.

Ao sair do governo, Rodrigues, que também é da ala militar, afirmou que o ministro não tem competência nem controle emocional para chefiar o ministério. No dia seguinte à demissão, em audiência na Câmara dos Deputados, Vélez se defendeu e acusou Rodrigues de ter puxado o tapete.

Ainda na Câmara, parlamentares pediram ao ministro que deixasse o cargo. Ele afirmou que só sairia à pedido do presidente. Na quinta, Bolsonaro foi questionado mais de uma vez sobre a demissão de Vélez, mas ficou calado.