ENTRETENIMENTO
16/04/2019 09:57 -03 | Atualizado 16/04/2019 10:01 -03

‘Nós’: 9 símbolos recorrentes e easter eggs do filme de Jordan Peele

"Tudo nesse filme é intencional, isso eu posso te garantir.”

Alerta: esta matéria contém spoilers de “Nós”.

Nós é o filme do momento, não só por causa do elenco e da premissa inquietante, mas também graças aos incontáveis símbolos recorrentes e easter eggs espalhados pelo longa.

Já tinha sido assim com o filme de estreia de Jordan Peele, Corra!, mas agora ele redobrou as apostas e colocou pequenos detalhes e temas subliminares em praticamente todas as cenas.

Eis alguns deles, e como viemos parar aqui:

O título

Universal

Depois de um filme com nome tão chamativo como Corra!, admito que ficamos um pouco decepcionados com o título do novo longa. Mas, depois de assistir, faz todo o sentido.

Um dos temas centrais do filme é a ideia do “outro” e a maneira pela qual nos distanciamos de certas injustiças sociais ao sugerir que existem dois grupos: “nós” e “eles”.

O que a família Wilson descobre, entretanto, é que as coisas não são bem assim. Quando as Sombras vêm saudá-los, Jason resume bem: “Somos nós”.

O filme também é uma alegoria da cultura e do sonho americano, então o título em inglês (Us, que remete a U.S., de United States) tem duplo sentido.

Jeremias 11:11

Universal

Antes de mais nada, vamos conferir o trecho da Bíblia que aparece várias vezes ao longo de Nós:

“Portanto assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre eles, de que não poderão escapar; e clamarão a mim, mas eu não os ouvirei.”

Embora obviamente os temas do mal e dos pedidos de ajuda ignorados serem muito pertinentes na história, o fato de essa passagem ter um número simétrico foi uma casualidade feliz para Jordan Peele.

O número 11 também se repete no filme, especialmente quando Jason observa que são 11:11 da noite, logo antes da chegada dos Sombras. Até mesmo a versão underground “Sombra” do homem carregando o “Jeremias 11:11” é vista com quatro números 1 escritos no rosto, quando ele aparece mais para o final do filme.

Um Abraço pela América

Universal

Para quem não conhece: o Abraço pela América (Hands Across America) foi uma iniciativa realizada em 1986 para demonstrar solidariedade nos Estados Unidos e levantar recursos para combater a pobreza e lidar com o problema dos moradores de rua.

Mas as coisas não deram muito certo. Dos 34 milhões de dólares arrecadados, somente 15 milhões foram destinados à caridade.

Não é difícil imaginar que o evento – endossado por várias celebridades na época – tenha sido lembrado por Jordan Peele quando ele criou a história de Nós, pois ele faz sentido para a época em que a jovem Adelaide e Red se encontraram pela primeira vez.

Coelhos

Universal

A presença constante de coelhos é um dos elementos mais marcantes e sinistros do filme. O significado dos animais vem do simples fato de que eles deixam o diretor inquieto.

“Não tenho medo, mas acho que eles são assustadores”, disse Peele à BBC. “Eles são fofinhos, mas têm essa expressão sociopata e meio que te atravessam com o olhar.”

O diretor, é claro, disse que nada aparece por acaso em “Nós”, e isso também vale para os coelhos. Quando o pôster do filme foi divulgado, no ano passado, muita gente não conseguia decidir se ilusão de ótica era um par de tesouras ou as orelhas de um coelho (duas imagens que aparecem com destaque em Nós e que lidam com o tema da dualidade).

Winston Duke disse ao HuffPost UK que, para ele, “os coelhos” eram o aspecto mais chocante do filme, admitindo: “Não sabia o impacto que a imagem deles teria até assistir ao filme, e aí pensei: “Ah, uau! Uuuh’.”

O bizarro é que os coelhos aparecem em vários trabalhos de Peele. E ele deve dublar um coelho no novo filme da série Toy Story, enquanto Corra! começa com o som de Run Rabbit Run (Corra, coelho, corra).

Tesouras

Universal

Como dissemos, não é por acaso que as tesouras sejam a arma preferida dos personagens “Sombra”. Peele disse à Entertainment Weekly: “Existe uma dualidade nas tesouras – uma coisa feita de duas partes, mas elas também existem nesse território entre o mundano e o absolutamente aterrador”.

Winston Duke também explicou que o fato de as tesouras serem feitas de metal também é importante, pois ele simboliza ignorância e indiferença. Quando os “Sombra” começam a cometer assassinatos com tesouras, eles estão matando as pessoas com sua própria ignorância, o que é um detalhe interessante.

Michael Jackson 

Universal

Temos que admitir que ver a jovem Adelaide com uma camiseta de Thriller dias depois de assistir ao documentário Leaving Neverland nos fez pensar em timing ruim.

Mas é uma inclusão bem inteligente.

“Michael Jackson é provavelmente o padroeiro da dualidade”, disse Peele ao site Mashable sobre a alusão ao cantor. “O filme começa nos anos 1980 – a dualidade que vivi [com Michael Jackson] na época tinha a ver com o cara que apresentava essa positividade exterior, mas também o videoclipe de Thriller, que me deixou morrendo de medo.”

Sobre o documentário, ele acrescentou: “A ironia e a relevância não passaram despercebidas para mim, agora que a discussão virou um terror real.”

Jordan também disse que pensou em Michael Jackson quando teve a ideia das fantasias dos “Sombra”, com os mantos vermelhos e uma só luva.

O diretor afirmou ao Uproxxx que o filme contém várias referências intencionais a Corey Feldman, um ex-amigo de Jackson, que o diretor descreveu como “figura muito importante para [os anos 1980]” e outra “história de muita dualidade”.

O subterrâneo

Universal

“Longe dos olhos, longe do coração.” Os “Sombra” passaram toda sua existência completamente invisíveis, sofrendo em silêncio.

“O filme não pega leve com ninguém... ele pede que você pense em quem você considera invisível”, disse Duke. “E quem você não escuta, e quem sofre as consequências dos seus atos.”

Ao longo de todo o filme, há detalhes que fazem referência a essa ideia do subterrâneo, como os coelhos (que fazem tocas) e o pai de Adelaide brincando de Whack-A-Mole, jogo em que o objetivo é dar pauladas em toupeiras para que eles voltem para seus buracos.

Música 

Universal

A trilha sonora de “Nós” é um dos aspectos mais inteligentes do filme.

Obviamente “I Got 5 On” é o maior hit. Pode parecer simples nostalgia pelos anos 1990, mas o site The Wrap conta a história da música. Muita gente diz que não recebeu o devido crédito pelo sucesso da música, o que ecoa um dos temas principais do filme.

Os créditos finais são acompanhados por Les Fleurs, de Minnie Riperton, que seria uma maneira de “limpar o paladar”, segundo o presidente de músicas em filmes da Universal, Mike Knobloch.

Ele disse à Variety: “[Nenhuma das outras candidatas] que discutimos ou testamos chegam perto do efeito obtido por Minnie Riperton, uma música linda contra um final nada arrumadinho”.

A inclusão hilária de Fuck Tha Police obviamente serve como um tapa na cara do personagem de Elisabeth Moss e um lembrete de que a polícia não pode salvá-la de seu terrível fim. A música anterior, Good Vibrations, já tinha sido escolhida por Jordan Peele havia muito tempo.

Mike explica: “A atitude da música junto daquele tipo de visual deixou clara a intenção de Jordan sobre a escolha criativa para a sequência”.

Referências a outros filmes de terror

Universal

Jordan Peele é obcecado por filmes de terror, então não é surpresa alguma que Nós tem várias referências ao gênero.

Entre eles estão uma fita VHS de Hora do Pesadelo, no começo do filme, paralelos com Laranja Mecânica e O Iluminado e a camisa de Tubarão vestida por Jason – sem falar no nome do menino e o gosto que ele tem por máscaras, que lembra a série Halloween.

A menção ao “filme gravado perto do carrossel”, durante o flashback dos anos 1980, é interpretada como referência a Os Garotos Perdidos, estrelado por Corey Feldman. E muita gente apontou o fato de que nas entrevistas para promover o filme, Jordan Peele estava vestido de maneira quase idêntica a Jack Nicholson em O Iluminado.

Jordan Peele vestido literalmente como Jack Torrance.

Também somos fãs da camiseta de Babadook que ele usou no set.

Jordan Peele usando uma camiseta de Babadook no set de #UsMovie.