NOTÍCIAS
15/08/2019 18:06 -03 | Atualizado 16/08/2019 19:05 -03

Noruega segue Alemanha e suspende repasses para Amazônia

Para Bolsonaro, a Noruega deveria pegar o dinheiro e ‘ajudar a Angela Merkel a reflorestar a Alemanha’.

NurPhoto via Getty Images

Assim como a Alemanha, a Noruega anunciou que vai suspender investimentos para a Amazônia. O ministro do Clima e Meio Ambiente norueguês, Ola Elvestuen, informou, segundo o jornal “Dagens Næringsliv”, que o país vai bloquear o repasse de cerca de R$ 134 milhões para o Fundo Amazônia.

A Noruega argumentou que tomou a decisão depois de o governo brasileiro decidir reformular o fundo e extinguir o Comitê Orientador do Fundo Amazônia.

Questionado em coletiva de imprensa sobre o congelamento no repasse, o presidente Jair Bolsonaro ironizou.

“A Noruega não é aquela que mata baleia lá em cima, no Polo Norte, não? Que explora petróleo também lá? Não tem nada a dar exemplo para nós, pega a grana e ajude a Angela Merkel [chanceler alemã] a reflorestar a Alemanha.”

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, já havia feito críticas semelhantes à Noruega. “O grande doador do Fundo Amazônia explora petróleo em uma área sensível e, ao mesmo tempo, fomenta recursos para ONGs e entidades que vedam completamente o debate sobre a exploração dos recursos naturais. Veja a contradição.”

O país nórdico, em resposta, afirmou que a exploração é feita de maneira sustentável. A postura do governo brasileiro em relação aos países parceiros no combate ao desmatamento também foi criticada pela Alemanha.

Bolsonaro já tinha tratado do assunto com hostilidade em outro momento. Ao ser questionado sobre a decisão da Alemanha de suspender investimento na Amazônia, ele respondeu que o Brasil “não precisa disso”.

“Investir? Ela não vai comprar a Amazônia. Vai deixar de comprar a prestação a Amazônia. Pode fazer bom uso dessa grana. O Brasil não precisa disso.”

A declaração dele foi considerada pela ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, uma justificativa de que o país está fazendo “exatamente a coisa certa” ao retirar recursos do Brasil.

Schulze afirmou que o país apoia a região amazônica para que haja menos desmatamento. “Se o presidente não quer isso no momento, então precisamos conversar. Eu não posso simplesmente ficar dando dinheiro enquanto continuam desmatando.”

Os repasses suspensos pela Alemanha foram de cerca de R$ 155 milhões, mas não atingem o Fundo Amazônia.

A Alemanha e a Noruega são os principais investidores na reserva, que fica sob controle do BNDES e é destinada para preservação do meio ambiente e combate ao desmatamento.

Em junho, os dois países foram contrários a mudanças no fundo. Em carta ao governo brasileiros, representantes da Noruega e da Alemanha afirmaram que “governos sozinhos não conseguem reduzir o desmatamento”.

O desmatamento na Amazônia vem crescendo nos últimos meses. Em junho houve um crescimento de 88% em comparação ao mesmo período do ano passado e em julho, foi de 278% — também em comparação ao mesmo período do ano anterior.