NOTÍCIAS
02/06/2019 14:00 -03 | Atualizado 03/06/2019 14:47 -03

Neymar será investigado por divulgar fotos íntimas para se defender de acusação de estupro

Crime de divulgação de cena de nudez pode ser punido com até 5 anos de prisão.

MAURO PIMENTEL via Getty Images
Para se defender das acusações, Neymar publicou, na noite deste sábado (1º), um vídeo em sua conta no Instagram, em que diz ser vítima de extorsão.

O jogador de futebol Neymar Junior será investigado por divulgar fotos íntimas de uma mulher que o denunciou por estupro. As investigações serão feitas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Na última sexta-feira, uma mulher de 26 anos que não teve o nome divulgado, registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher de Santo Amaro (6ª DDM), distrito de São Paulo.

De acordo com o relato, eles trocaram mensagens em redes sociais e, em 15 de maio, se encontraram. No dia, trocaram carícias, ele ficou agressivo e forçou uma relação sexual, de acordo com o testemunho.

A polícia aguarda o resultado do exame de corpo de delito, irá ouvir testemunhas e o acusado.

Para se defender das acusações, Neymar publicou, na noite deste sábado (1º), um vídeo em sua conta no Instagram, em que diz ser vítima de extorsão e mostra as conversas com a mulher, que incluem imagens de nudez. Na noite de domingo (2), ele retirou o vídeo do ar. 

Uma lei sancionada em 2018 alterou o Código Penal e inclui como crime “oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio - inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia”. A pena prevista é de um a cinco anos de prisão.

Neste domingo, a Polícia Civil de Teresópolis foi até a Granja Comary, local de treinamento do atacante. O delegado Bruno Gilaberte, da 110ª DP, de Teresópolis, e um inspetor de polícia foram recebidos pelo administrador da concentração e o chefe de segurança da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que informaram de que Neymar não estava no local. Ele chegou depois.

O caso foi transferido para delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que vai instaurar um inquérito na segunda-feira, de acordo com o Globo Esporte.

No vídeo de 7 minutos, o jogador de futebol afirma que o objetivo de expor a história é provar que não houve estupro. “A partir de agora vou expor tudo, expor toda a conversa que tive com a menina, todos os nossos momentos, que são íntimos, mas é necessário abrir e expor para provar que realmente não aconteceu nada demais. Logo após esse vídeo vocês vão ver todas as mensagens, tudo o que aconteceu nesse dia e no outro. O que aconteceu nesse dia foi uma relação entre homem e mulher, dentro de quatro paredes, algo que acontece com todo casal”, disse.

De acordo com as imagens, o contato entre os dois por mensagens começou em 11 de março e Neymar ajudou a mulher a viajar para Paris para encontrá-lo. Ela teria desembarcado na capital francesa em 15 de maio, dia em que  houve relação sexual entre os dois.

No dia seguinte, segundo conversa divulgada pelo jogador, a mulher pediu um presente para o filho dela e estava se preparando para encontrá-lo novamente, mas isso não chegou a se concretizar.

De acordo com o relato da mulher no boletim de ocorrência, Neymar estava embriagado no encontro no hotel Sofitel Paris do Arco do Triunfo, eles trocaram carícias, ele ficou agressivo e forçou a relação sexual.

Em nota, a assessoria de imprensa do atleta afirmou que ”há poucos dias, [Neymar] foi vítima de tentativa de extorsão, praticada por um advogado da cidade de São Paulo, que, segundo a sua versão, representava os interesses da suposta vítima [do estupro]”.

Em entrevista ao “Brasil Urgente”, da TV Bandeirantes, o pai do atacante, Neymar Silva Santos, também defendeu o filho. Ele confirmou o encontro, mas disse que a relação foi consentida.