MULHERES
06/02/2020 16:55 -03 | Atualizado 06/02/2020 16:57 -03

ONG #ElasNoPoder busca financiamento para criar 'Netflix para pré-candidatas'

Plataforma terá cursos de capacitação e acompanhamento em tempo real para brasileiras nas eleições municipais de 2020.

runeer via Getty Images
Brasil está na 152ª posição na lista de 192 países que mede a representatividade feminina na Câmara dos Deputados, divulgada pela Inter-Parliamentary Union.

Com foco nas eleições municipais, a ONG (organização não-governamental) #ElasNoPoder quer lançar um ‘Netflix para pré-candidatas’ em 2020. A plataforma por assinatura terá cursos de capacitação, videoaulas, artigos exclusivos, notícias e mentorias com acompanhamento em tempo real para dúvidas e sugestões.

O objetivo é aumentar a participação feminina na política. As mulheres são 52% do eleitorado brasileiro, mas quando se mede a presença nos cargos de poder, os números são bem menores. Elas são 15% dos deputados federais e dos senadores e 14% dos vereadores. No Executivo, apenas um estado é governado por uma mulher e 12% dos municípios.

Esse cenário coloca o Brasil na lanterna dos rankings de presença feminina no poder. Estamos na 152ª posição na lista de 192 países que mede a representatividade feminina na Câmara dos Deputados, divulgada pela Inter-Parliamentary Union. Já entre os cargos no Executivo, ocupamos a 161ª posição na comparação entre 186 países, de acordo com o Projeto Mulheres Inspiradoras.

Como a ONG sobrevive exclusivamente de doações, para viabilizar o projeto, foi lançado um financiamento coletivo. Entre as modalidades de doações, uma garante o acesso ao portal por três meses por R$ 30. Para doar basta acessar o “Doe Para Elas” até 24 de março. O dinheiro será usado para pagar custos de gravação e edição das aulas e entrevistas com legendagem em libras.

Desde 2018, o #ElasNoPoder ofereceu cursos presenciais para a capacitação de mulheres que desejam trabalhar em campanhas eleitorais femininas. Mais de 500 pessoas participaram dos cursos de formação em diversas cidades do Brasil.

O objetivo da plataforma é ampliar o alcance. O portal contará com entrevistas com mulheres eleitas de todos os partidos, aulas ministradas por professoras e especialistas. 

A iniciativa visa enfrentar algumas barreiras para participação feminina na política, como baixa confiança das candidatas, baixo incentivo de amigos e parentes, recrutamento dos partidos, baixo investimento nas campanhas, conhecimento sobre política, sobrecarga e dupla jornada, violência de gênero na política e sexismo na mídia

A ONG foi criada pela socióloga Karin Vervuurt e pela cientista política Letícia Medeiros e conta com mais de 30 voluntários de vários estados nas áreas de comunicação, design, ciência política e direito, dentre outras.