ENTRETENIMENTO
03/08/2019 00:00 -03

Qual personalidade a Netflix acha que você tem?

Vá para sua homepage da Netflix e dê uma olhada nas categorias personalizadas para saber o que a empresa pensa de você.

Divulgação
Cena da série Boneca Russa, um dos grandes sucessos da Netflix no primeiro semestre de 2019

Sabemos que a Netflix personaliza sua homepage para cada usuário com base em um algoritmo, oferecendo categorias específicas que a empresa pensa que vão incentivar aquele usuário a começar a assistir a um seriado, um filme ou um especial. Outro dia, passando os olhos por minha homepage na Netflix, observei que as sugestões propostas seguiam todas um tema comum: a Netflix pensa que eu toparei assistir a alguma coisa que seja “cínica” ou “dark”.

Às vezes as categorias são banais, como “séries de TV de suspense”. Às vezes são coisas menos corriqueiras, como “televisão teen para BFFs” ou “noitada de meninas”. Em outros momentos, como aconteceu comigo outro dia, elas parecem acertar em cheio, a ponto de causarem incômodo.

Dois anos atrás as pessoas ficaram indignadas quando veio à tona que o Facebook permite que seus membros decifrem se a empresa de mídia social as considera progressistas, conservadoras ou moderadas. O algoritmo do Facebook era capaz de adivinhar o viés político de cada usuário com base em seus hábitos e lhe oferecia anúncios escolhido para se adequar a seu perfil.

A Netflix também usa um algoritmo para prever os gostos de seus usuários. O algoritmo da Netflix palpita sobre o que os assinantes vão querer ver, tecendo previsões individualizadas, já que todos os assinantes já revelaram informações íntimas sobre seus gostos e desgostos a essa enorme empresa de conteúdos. Teoricamente, qualquer assinante pode perceber o que a Netflix pensa de sua personalidade.

E a Netflix me acha cínico, o que não deixa de ser verdade.

Reprodução
A categoria “séries de TV cínicas”.

A Netflix também personaliza as imagens que utiliza para anunciar cada conteúdo em sua homepage. Como a empresa explicou em um blog post de 2017, diferentes assinantes recebem diferentes imagens, baseadas em seus hábitos de espectadores. Por exemplo, uma pessoa que curte o gênero romance pode receber uma imagem com dois personagens olhando-se olho no olho com amor, mesmo que o filme em questão praticamente não contenha nenhuma trama romântica.

Como você pode ver pela imagem acima, a Netflix me propôs a categoria “séries de TV cínicas”. Dentro dessa série ela me recomendou Boneca Russa, uma comédia que eu admito que adoro (recentemente a qualifiquei como a melhor série original da Netflix em 2019 até agora). Mas, em vez de simplesmente exibir uma imagem da protagonista, Nadia Vulvukov, a Netflix me mostrou uma imagem customizada de Nadia usando óculos de sol com uma variação do símbolo da caveira. Tanto cinismo!

Ao lado dessa imagem a Netflix me mostrou uma foto de Ricky Gervais olhando para a câmera com tristeza para promover sua série After Life. E, ao lado disso, uma série intitulada Hot Date não traz nenhuma imagem sugerindo algo de sensual, mas sim um bar escuro com alguém descontrolado de um lado e uma pessoa desmaiada do outro.

O que a Netflix está tentando me dizer?

É bom deixar claro que o algoritmo provavelmente não funciona bem com minha conta especificamente, já que tenho que assistir a tantas séries como parte de meu trabalho de crítico. Talvez as três semanas que passei assistindo a Black Mirror, à série alemã sombria Dark e ao especial musical tristonho Anima, de Thom Yorke, para escrever diversos artigos sobre tudo isso, tenham levado a Netflix a formar uma impressão enviesada a meu respeito.

A Netflix me ofereceu categorias personalizadas de “thrillers de TV dark” e “ficção científica e fantasia dark na TV”. Imagino que isso tenha algo a ver com o fato de eu ter assistido a um thriller de ficção científica intitulado literalmente Dark.

Mas, a não ser que você seja crítico de televisão, deve ser possível ver o que o algoritmo da Netflix pensa sobre você. 

O que isso significa para você?

Esperamos que quando você for à sua homepage na Netflix, descobrirá que a empresa o considera inteligente e cool. Ou talvez ela apenas lhe recomende Friends e The Office de algumas maneiras diferentes, com categorias como “shows casuais” ou “sitcoms excêntricas” (se bem que ela pode parar de promover essas séries em breve, já que ambas vão sair da Netflix).

Se você se deparar com algo embaraçoso, pode se dizer que a Netflix estava apenas lhe jogando uma isca para ver se você se interessaria por algo diferente, e não refletindo seus interesses já comprovados. A empresa vive fazendo experimentos para descobrir como convencer os assinantes a permanecerem mais tempo assistindo a seus programas.

Também é possível influenciar o algoritmo. Dê uma olhada em um artigo que escrevi sobre as dez coisas mais esdrúxulas que se escondem na Netflix (por exemplo, testes de cores e um filme longo que acompanha um trem em tempo real atravessando a Noruega). Assista a essas coisas algumas vezes, e quem sabe o que a Netflix poderá lhe propor.

Torça para a Netflix não achar que você é altamente blasê e já está cansado de tudo. Mas, se isso acontecer, abra mão do cinismo por um instante e encare isso pelo lado positivo: pelo menos a Netflix não acha que você quer assistir a “seriados de TV teens para BFFs”.

A não ser, é claro, que vocês sejam duas BFFs teens apertadas em um único sobretudo para tentar ludibriar a Netflix, levando-a a pensar que vocês são apenas uma usuária, para poderem dividir o custo da assinatura. Isso não é nem um pouco embaraçoso.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.