MULHERES
10/09/2019 13:44 -03

Polícia de SP indicia Najila Trindade por denunciação caluniosa contra Neymar

Modelo que apresentou denúncia de estupro contra o jogador também será investigada por fraude processual e extorsão.

Reprodução/SBT
Najila Trindade em entrevista para o repórter Roberto Cabrini, do SBT.

A Polícia Civil de São Paulo anunciou nesta terça-feira (10), que concluiu outros dois inquéritos referentes ao “Caso Neymar”. Najila Trindade, que acusou o atleta de estupro e agressão, foi indiciada pelos crimes de denunciação caluniosa, fraude processual e extorsão. Representação contra a modelo havia sido apresentada por Neymar em conjunto com seu pai, Neymar Santos Sr.

Estivens Alves, ex-marido da jovem, também foi indiciado pelo crime de fraude processual. Alves ainda responderá pela divulgação de conteúdo erótico de Najila. De acordo com as autoridades, Estivens mandou imagens íntimas de sua ex-mulher a um repórter em troca de publicações suas em sites na internet.

A decisão foi tomada pela delegada Monique Lima, do 11º DP, após a conclusão dos dois inquéritos, que tramitavam em conjunto com a 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, envolvendo o atacante da seleção brasileira.

A Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, no Rio, ainda investiga se Neymar teria cometido crime ao divulgar imagens íntimas de Najila Trindade. A delegacia aguarda o depoimento da modelo.

Para se defender da acusação de estupro, o jogador publicou um vídeo de 7 minutos no seu perfil oficial do Instagram em que mostra a troca de mensagens por WhatsApp com Najila - incluindo imagens íntimas. Neymar borrou o rosto, as partes íntimas e o nome da jovem ao divulgar o vídeo. 

O arquivamento da denúncia contra Neymar

Em 8 de agosto, promotoras do Ministério Público Estadual, do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid), pediram à Justiça o arquivamento da investigação que apura a denúncia de estupro.

A decisão, no entanto, não significava que Neymar foi considerado inocente. Caso haja novas provas, o inquérito poderá ser reaberto a qualquer momento. 

Duas semanas depois, a defesa de Najila entrou com o pedido para desarquivar o inquérito e retomar as investigações, mas MP negou a solicitação. 

O MP tinha um prazo de 15 dias para apresentar novo parecer. A partir de agora, caberá à Justiça decidir se homologa ou não o pedido do Ministério Público. Caso a juíza responsável considere o parecer improcedente, pode acionar o procurador-geral de Justiça para que o caso seja analisado novamente, mas por um outro grupo de promotores.

A delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em 29 de julho, encerrou o inquérito policial e decidiu por não indiciar Neymar pelos crimes que foi acusado. Ela afirmou que a investigação não encontrou elementos suficientes para indiciar o jogador.

 “Eu não indiciei [Neymar] por achar que não tenho elementos suficientes. O inquérito policial foi concluído, e não vi indícios suficientes de autoria. Mas nada obsta [impede] que o titular da ação penal, que é o Ministério Público de São Paulo dê continuidade à denúncia”, afirmou Bussacos.

Relembre o ‘Caso Neymar’ e a acusação de estupro contra ele

NELSON ALMEIDA via Getty Images
Neymar é visto saindo da delegacia após prestar depoimento sobre caso de estupro.

Às vésperas do início da Copa América no Brasil, um escândalo envolvendo uma das estrelas da equipe brasileira se tornou um dos principais assuntos de discussão nas redes sociais e na imprensa. Neymar Junior foi acusado de estupro e agressão pela modelo Najila Trindade.

As investigações do caso começaram em 31 de maio, quando a modelo fez o boletim de ocorrência na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, no bairro de Santo Amaro, em São Paulo. Em seguida, ela realizou exames de corpo e delito no hospital Perola Byington.

De acordo com depoimento à polícia, ela e o atacante do Paris Saint Germain trocaram mensagens pela internet e, em 15 de maio, se encontraram pessoalmente, em Paris. Um assistente do atacante teria enviado a ela passagens de avião e reservas em um hotel.

No dia do encontro, segundo a jovem, eles teriam trocado carícias mas Neymar, que segundo ela estava embriagado, teria ficado agressivo e, mediante violência, praticado ato sexual sem seu consentimento e sem camisinha. Segundo Najila, a discussão entre os dois teria começado por este motivo.

Para se defender das acusações, Neymar publicou um vídeo em sua conta no Instagram em que diz ser vítima de extorsão e mostra as conversas com a jovem, que incluem imagens de nudez.

Imagens do corpo de Najila com hematomas circularam nas redes sociais e foram publicadas pela imprensa. Em seu depoimento, Neymar disse que a modelo foi culpada pelas lesões porque “pedia mais”. Najila nega.

Em seu depoimento, o atacante rebata acusações da modelo e afirma ter usado preservativo e jogado no vaso sanitário na sequência. No dia seguinte, eles se encontraram novamente. A modelo gravou o encontro com a intenção de ter uma prova, mas o vídeo completo não chegou a ser entregue à polícia.

Nas imagens, que viralizaram durante o período de investigação, ela aparece questionando e dando tapas em Neymar. A jovem diz que a gravação seria uma forma de fazer ele confessar que a agrediu na véspera.