NOTÍCIAS
12/01/2019 12:26 -02

Governador do Ceará é responsável por onda de violência, diz Mourão

Governo federal enviou 500 homens da Força Nacional ao Estado; Ataques chegam ao 11º dia

ASSOCIATED PRESS
Onda de violência no Ceará entra no 11º dia neste sábado.

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, disse, em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, que o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), é responsável pela onda de violência no Ceará, que entrou no seu 11º dia neste sábado (12).

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, autorizou recentemente o envio de cerca de 500 membros da Força Nacional para ajudar a conter os ataques em várias cidades.

Na madrugada deste sábado, uma torre de transmissão de energia em Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza, foi derrubada, e os criminosos explodiram uma bomba em uma concessionária de veículos na capital.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa (SSPDS) do estado, mais de 300 pessoas tinham sido presas até esta sexta-feira.

“Na minha opinião, o governador do Ceará não estava a cavaleiro da situação. O dado que nós temos é que parcela significativa da Polícia Militar estava de férias, em um período conturbado”, disse Mourão na entrevista.

“Se a PM tem 100 de efetivo e nós temos 12 meses no ano, só podem ter 8 a 9 de férias por mês. É uma matemática simples, não é? Então acho que o governador andou falhando nisso aí e, obviamente, pediu reforço da Força Nacional. Agora, a questão do Ceará tem de ser resolvida, em primeiro lugar, por ele”, completou.

Antes, Santana havia dito, em entrevista à Rádio O Povo/CBN, de Fortaleza, que que as leis do Brasil eram “muito frouxas”, e que era preciso revê-las. “Você bota uma bomba num viaduto e era para ser enquadrado como terrorista, pegar mais tempo de prisão, mas hoje não é assim.”

O governo do Ceará não divulga um número oficial de ocorrências, mas estima-se que mais de 150 atos criminosos tenham sido registrados nos últimos 10 dias. 

Paulo Whitaker / Reuters
Técnicos avaliam estado da torre de transmissão de energia que foi derrubada por criminosos na madrugada de sábado.

Na sexta-feira (11), o petista havia anunciado, pelas redes sociais, algumas medidas, como a criação da chamada Lei da Recompensa, pela qual o estado pagaria por informações que resultem na prevenção de atos criminosos e prisão dos envolvidos.

Santana também afirmou que o governo pretende convocar policiais militares da reserva para compor as tropas que atuam no combate ao crime e aumentar as horas extras que podem ser pagas a policiais civis e militares, além de bombeiros, para aumentar o efetivo nas ruas.

“Algumas dessas medidas necessitam, por lei, da aprovação do Poder Legislativo. Por esse motivo, solicitei ao presidente da Assembleia [Legislativa], deputado Zezinho Albuquerque, a convocação de uma sessão extraordinária, para os deputados analisarem de imediato as minhas solicitações, o que deve acontecer já neste sábado [12]”, disse o governador.

Santana também autorizou a convocação imediata de 220 agentes penitenciários para atuar no sistema carcerário do estado. Eles vão se somar aos 220 que haviam sido convocados na semana passada. 

 

* Com informações da Agência Brasil