NOTÍCIAS
19/03/2020 16:54 -03

Itália supera China em mortes; Governo manda Exército retirar corpos de Bergamo

Cidade a nordeste de Milão, na Lombardia, é um dos centros do surto de coronavírus.

Handout . / Reuters
Caminhões do Exército italiano retiram caixões das ruas de Bergamo, no norte da Itália.

O número de mortos pelo surto de coronavírus na Itália aumentou nas últimas 24 horas em 427, para 3.405, ultrapassando o total de mortes até agora registradas na China, disseram autoridades nesta quinta-feira (19).

Ainda assim, os italianos estão esperançosos com uma ligeira redução nas mortes em relação ao dia anterior, quando a Itália registrou 475 mortos.

Cerca de 3.245 pessoas morreram na China desde que o vírus surgiu no final do ano passado. O início do surto da Itália foi noticiado em 21 de fevereiro.

O número total de casos na Itália subiu para 41.035 em relação aos 35.713 anteriores, um aumento de 14,9% ― uma taxa de crescimento mais rápida do que a observada nos últimos três dias, informou a Agência de Proteção Civil.

Dos infectados originalmente, 4.440 haviam se recuperado totalmente, ante 4.025 no dia anterior. Havia 2.498 pessoas em terapia intensiva contra 2.257 anteriormente.

PIERO CRUCIATTI via Getty Images
Agentes usando máscara levam caixão para cemitério de Bergamo, na Lombardia.

A Itália ordenou ao Exército que retire corpos de uma cidade do norte que está no centro do surto de coronavírus onde os serviços funerários estão sobrecarregados. O governo se prepara para prolongar medidas de interdição de emergência em todo o país.

Vídeos feitos por moradores de Bergamo, a nordeste de Milão, e exibidos no site do jornal local Eco di Bergamo mostraram uma longa fila de caminhões militares atravessando as estradas de madrugada e retirando caixões de um cemitério da cidade.

Um porta-voz do Exército confirmou nesta quinta-feira que 15 caminhões e 50 soldados foram mobilizados para transferir corpos para províncias vizinhas. Mais cedo, autoridades de Bergamo haviam pedido ajuda com cremações por causa da sobrecarga em seu crematório.

A Itália teve o maior aumento diário de mortes do coronavírus já registrado na quarta-feira, quando o total aumentou em 475 e se aproximou de 3 mil. Houve mais de 300 mortes só na região da Lombardia ― que inclui Bergamo, a província mais atingida com seus mais de 4 mil casos.

O país decretou interdição antes de outros da Europa, mas, como os casos continuam aumentando, o governo está cogitando medidas mais duras que restringiriam ainda mais a circulação exterior já limitada.

Nesta quinta-feira, o jornal Corriere della Sera citou o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, segundo o qual o governo ampliará o prazo das atuais medidas de emergência que fecharam escolas e muitos negócios. As medidas em vigor obrigam a maioria das lojas a permanecerem fechadas ao menos até 25 de março e as escolas até 3 de abril. Conte não disse por quanto tempo as medidas serão prorrogadas.

Autoridades dizem que medidas mais rígidas podem ser necessárias porque pessoas demais estão desrespeitando a ordem de ficar em casa para tudo que não seja essencial e milhares continuam a adoecer.

As imagens de caminhões do Exército removendo corpos sublinhou o quanto os serviços de saúde das regiões mais afetadas do norte estão próximas do colapso.

Giacomo Angeloni, autoridade local a cargo dos cemitérios de Bergamo, disse no início desta semana que o crematório está funcionando em tempo integral e recebendo cerca de 24 corpos por dia, quase o dobro de seu máximo normal, e que não consegue manter esse ritmo.

Como os necrotérios estão lotados, os bancos da igreja do crematório foram retirados para dar espaço a dúzias de caixões, mas todos os dias mais deles chegam.

PIERO CRUCIATTI via Getty Images
Só pode ocorrer um funeral a cada 30 minutos na região da Lombardia.
Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost