NOTÍCIAS
29/04/2020 17:20 -03 | Atualizado 30/04/2020 16:53 -03

Com 6.276 novos casos, total de diagnósticos de covid-19 atinge 78.162

Há 5.466 mortes confirmadas e taxa de letalidade é de 7%.

O número de mortes causadas pela covid-19 no Brasil chegou a 5.466, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (29). Os casos confirmados somam 78.162, e a taxa de letalidade é de 7%. 

Em 24 horas, de terça-feira (28) para esta quarta, foram 449 novos óbitos. No mesmo período, foram registrados 6.276 novos casos, um crescimento também de 9%.

O maior número de diagnósticos positivos está no estado de São Paulo, com 2247 óbitos e 26.158 casos. Em seguida, aparece Rio de Janeiro, com 794 mortes, depois Pernambuco (538), Ceará (441) e Amazonas (380).

Na terça, o País bateu um novo recorde do avanço da pandemia, com 474 novos óbitos confirmados em 24 horas, que levou o número total a 5.017. Horas depois da divulgação do dado, o ministro da Saúde, Nelson Teich, reconheceu o agravamento da crise sanitária, mas não anunciou qualquer ação específica. Disse que pasta irá “continuar acompanhando e vendo a evolução” nas cidades mais críticas.

Já o presidente Jair Bolsonaro minimizou a situação. “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre​”, afirmou ao ser questionado sobre os números em frente ao Palácio da Alvorada.

E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre​.Jair Bolsonaro

A expectativa é que o número atual de óbitos seja maior devido à demora no resultado dos exames. Como o HuffPost vem noticiando, a lentidão no resultado de testes laboratoriais, que detectam tanto a causa da morte quanto se a pessoa foi contaminada, leva a um atraso nos dados oficiais.

Essa demora também se reflete no número de casos no País. Há uma subnotificação de casos confirmados ainda maior devido à limitação de testes de diagnóstico. O exame tem sido direcionado apenas aos casos graves. Desde o início da pandemia no País, a orientação tem sido para que apenas pacientes com sintomas severos procurem o sistema de saúde.

MAURO PIMENTEL via Getty Images
Após país bater recorde diário de mortes, presidente Jair Bolsonaro minimizou a situação. “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?", disse.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado pelo ministério na segunda-feira (27), até o dia anterior, domingo (26), foram registrados 360.005 exames no Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), dos quais 224.196 (62,3%) já haviam sido realizados. Entre os demais exames, 43.803 foram solicitados eletronicamente, mas as amostras ainda não foram recebidas no Laboratório Central e 92.006 encontravam-se em análise no laboratório.

São Paulo é o estado com maior número de exames realizados (47.924), seguido do Paraná (23.522) e da Bahia (18.189).

Dos 224.196 exames realizados, 41.792 (18,6%) apresentaram resultado positivo/detectado para vírus respiratórios. As regiões Sudeste (15.128) e Nordeste (14.070) foram as que apresentaram maior número de exames com resultado positivo/detectável.

O estado de São Paulo foi o que apresentou maior número de amostras com resultado positivo/detectável (9.621), seguido do Ceará (4.471), Pernambuco (3.669) e Amazonas (3.308).

Diferente dos dados divulgados diariamente pela pasta, esse balanço de testes processados não inclui resultados de laboratórios particulares.

Quanto à subnotificação de mortes, de acordo com o boletim, “o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Brasil é robusto e apresenta baixa subnotificação”. Segundo o documento, os estados e municípios estão sendo orientados a priorizar a inserção de óbitos com suspeita ou confirmação de covid-19 no sistema, “de modo a agilizar o processo de investigação desses óbitos”.

O ministério alerta que fazem parte do grupo de risco pessoas acima de 60 anos, mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. “Além disso, pessoas de qualquer idade que tenham comorbidades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma e puérperas, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus.”

Segundo o mapeamento do Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, foram confirmados 3,1 milhões de casos da covid-19 no mundo inteiro e mais de 218 mil mortes, de acordo com dados atualizados nesta terça. O Brasil está em 11º lugar no mundo no número de casos e no 9º lugar no número de óbitos.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost