NOTÍCIAS
29/05/2020 11:59 -03 | Atualizado 08/06/2020 08:58 -03

Aos 63 anos, morre o jornalista Gilberto Dimenstein

Ele lutava contra um câncer. Jornalista, escritor e criador do site Catraca Livre, Dimenstein foi colunista do HuffPost Brasil.

Morreu na manhã desta sexta-feira (29) o jornalista e escritor Gilberto Dimenstein. Ele lutava contra um câncer desde 2019. 

Dimenstein nasceu em São Paulo (SP) em 28 de agosto de 1956, começou no jornalismo em 1977, na revista Shalon da Comunidade Judaíca do Brasil. Ele foi o criador do site Catraca Livre, escolhido em 2013 como uma das 100 mais inspiradoras inovações digitais para a mudança social.

Também trabalhou por 28 anos no jornal Folha de S. Paulo, onde foi diretor da sucursal de Brasília e correspondente internacional da publicação em Nova York (EUA). Dimenstein também passou por veículos como CBN, Jornal do Brasil, Veja e Correio Brasiliense e foi colunista do HuffPost Brasil.

Em sua carreira, foi vencedor do prêmio Esso de Jornalismo em 1998 e 1999 e do prêmio Jabuti de Literatura de Melhor Livro de Não-Ficção em 1993, com ‘O Cidadão de Papel’ (Ática, 1993). Em 2012, foi escolhido como melhor Jornalista de Cultura - Mídia Livre pelo Prêmio Comunique-se.

Em uma de suas últimas colunas no site Catraca Livre, afirmou que tinha descoberto a música perfeita para seu tratamento de câncer: 

“A música que ajuda a combater meu câncer é tocada pela Orquestra Sinfônica Heliópolis. Não só pela sua excelência, mas especialmente porque sou voluntário do projeto. E vejo o milagre da educação –o que me faz mais conectado à vida.”

Ele deixa dois filhos Marcos Dimenstein e Gabriel Dimenstein, a esposa, Anna Penido, e um neto. 

Colegas jornalistas e personalidades lamentaram a morte nas redes sociais: