NOTÍCIAS
03/05/2019 19:55 -03 | Atualizado 03/05/2019 19:58 -03

Ministro da Educação justifica notas baixas na USP: 'Tive depressão e sofri acidente'

Boletim de Abraham Weintraub na USP vazou após MEC cortar verba de universidades federais.

Reprodução/Twitter

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, postou vídeo no Twitter nesta sexta-feira (3) para justificar as notas baixas que apresentou quando era calouro de economia na USP (Universidade de São Paulo) no fim dos anos 1980. A reprodução de seu histórico escolar, com notas dos 3 primeiros semestres letivos dele na instituição, foi divulgada hoje nas redes sociais.

“Esse 1º ano e meio meu na USP foi um inferno”, resume Weintraub, que ressalta que tinha 17 anos na época. “Meus pais se separaram, teve o Plano Collor, que desmanchou minha família, eu tive depressão e sofri um acidente horroroso.”

Ao destacar o acidente, o ministro desabotoou a camisa e apontou para o ombro. “Tive que colocar parafuso no braço, fiquei 6 meses sem poder escrever”, conta. Segundo ele, só um professor da USP liberou o então estudante para fazer prova oral. “Tá aqui a cicatriz; 15 centímetros”, diz, com a voz embargada.

De acordo com o ministro, o vazamento do histórico escolar é ilegal. A divulgação do documento, que tem várias notas 0, ocorreu na semana em que Weintraub disse que cortaria recursos de universidades que não apresentarem desempenho acadêmico e promoverem “balbúrdia”.

A declaração dada ao jornal O Estado de S.Paulo no início desta semana foi uma resposta aos cortes de 30% na verba para universidades federais como UnB (Universidade de Brasília), UFBA (Federal da Bahia) e UFF (Federal Fluminense). 

Mais bloqueios de recursos foram anunciados no fim desta semana. No Paraná, foram atingidas a UFPR (Federal do Paraná), a Universidade Federal da Integração Latino-Americana, em Foz do Iguaçu, e o Instituto Federal do Paraná.