ENTRETENIMENTO
25/08/2019 22:43 -03 | Atualizado 26/08/2019 11:19 -03

Rodrigo é o campeão do Masterchef 2019

Em uma das finais mais apertadas da história do reality gastronômico, Rodrigo derrotou Lorena com um menu de inspiração asiática.

Rodrigo derrotou Lorena e se tornou, na noite deste domingo (25), o campeão da edição de 10 anos do Masterchef Brasil.

Em uma final das mais apertadas da história do reality show gastronômico, ambos competidores arrancaram muitos elogios dos jurados Érick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça.

Mas a coerência e harmonia do menu do paulista, que apostou na simplicidade, acabou chamando mais a atenção do trio de chefs.  

Entradas

Reprodução/Band
Lorena surpreendeu com entrada com pegada bem moderna.

A primeira prova da grande final surpreendeu a todos, principalmente os jurados. Lorena, que sempre se identificou com uma cozinha mais caseira e regional, apostou em uma entrada inusitada: ravioli de ágar-ágar (gelatina de alga) e vinho branco com recheio de carangueijo, acompanhado de aioli de bacuri (fruta amazônica) e crocante de tapioca.

Já Rodrigo, que nunca teve medo de se arriscar com pratos complexos e cheios de técnicas contemporâneas, preferiu seguir o caminho da simplicidade na decisão. Ele preparou um cappelletti de camarão com caldo asiático, bem ao estilo tailandês.

“Estou chocada com essa entrada da Lorena”, confessou Paola, que antes de provar o prato da piauiense não estava muito confiante.

Mas o discurso mudou quando ela provou o prato, que segundo Lorena, representava o Delta do Parnaíba. “Não esperava um prato co gelatina, mas essa é a sua cozinha modernizada. Gostei muito”, disse Jacquin.

Rodrigo teve uma pequena crítica de Paola com relação a grossura de sua massa, mas tirando esse detalhe, todos os jurados elogiaram muito a leveza e a acidez de sua entrada. “São as coisas que eu gosto. Respeito muito a forma como os asiáticos tratam a comida. Dos pratos de rua deles. Gosto muito de comida de rua”, explicou o paulista.

Pratos principais

Reprodução/Band
Rodrigo seguiu no tema asiático, sempre apostando na simplicidade.

Como prato principal, Lorena voltou ao seu elemento. Deixou a modernidade de sua entrada de lado e foi de carneiro ao molho com baião de dois de feijão verde. “A entrada representava o mar, este prato representa a terra”, expliou a piauiense aos jurados.

Rodrigo, por sua vez, seguiu no tema asiático, apostando na simplicidade, com uma barriga de porco com molho agridoce acompanhada de vinagrete de feijão. “Mas só isso?”, questionou Fogaça. “Ué, não é você que diz sempre que ‘menos é mais’?”, rebateu Paola.

Na apresentação de seus pratos principais, ambos participantes receberam pequenas críticas dos jurados.

Segundo Lorena, seu prato representava a Serra da Capivara, uma região seca do Piauí que é famosa pelas pinturas rupestres dos antigos habitantes do local. “Da água para a vinho a mudança da entrada para o prato principal. Muito regional e saboroso, mas acho que a carne ficou um pouco seca”, comentou Fogaça.

Rodrigo foi mais direto em sua apresentação. Ele seguiu explicando que seu prato era simplesmente a representação do que ele gostava de comer. “Parabéns! Para os dois. Muito arriscado apostar no feijão, mas seu prato faltou um pouquinho de sal”, disse Jacquin.

Sobremesas

Reprodução/Band
Participantes deixaram a tarefa dos jurados ainda mais difícil ao optarem por sobremesas que levavam sorvete.

A disputa estava bem apertada e a sobremesa prometia desempatar a disputa. Mas as coisas complicaram quando os dois participantes optaram por fazer sorvete.

“Mel e início” era o nome do prato de Lorena. “O Piauí é um dos maiores produtores de mel do Brasil e eu queria fazer uma história que tivesse uma ligação com a minha passagem aqui, juntando o mel com o coco e o abacaxi”, explicou a piauiense, que fez um crumble de mel com pólen com sorvete de coco e abacaxi.

“Uma coisa que eu não gostei é ela ter colocado coco em tudo. Em um menu bem harmonizado você não pode ficar repetindo ingrediente”, comentou um preocupado Jacquin.

Rodrigo manteve o tema asiático, fazendo um sorvete com coco com leite de coco tailandês, gengibre e gergelim. “Eu gosto muito de sorvete. Acho que é a coisa que eu mais gosto de comer. Não poderia fazer outra coisa que não um sorvete na final”, disse Rodrigo.

A escolha pelo sorvete deu ainda mais emoção à disputa, fazendo os dois finalistas terminar seus pratos no último segundo.

Rodrigo foi direto ao explicar seu prato aos jurados: ”é uma sobremesa bem simples, mas eu adoro sorvete. Eu troco um prato por um sorvete”. “Esse é um prato que mostra alguém que valoriza a comida e sabe que menos é mais. Seu menu foi o mais equilibrado que já tivemos em uma final de Masterchef”, comentou Paola.

Lorena, por sua vez, contou toda uma história sobre como a produção de mel é importante para o Piauí. “Nem sei se isso aqui é sorvete ou se é o coco que nasceu desse jeito, gelado. Você conseguiu contar a história da sua terra do início ao final. Parabéns! Você me levou ao paraíso”, disse Jacquin.

“Você fez um entrada e um prato principal muitos bons, mas sua sobremesa foi ainda melhor”, falou Paola, que completou: “As duas melhores sobremesas de todas as finais do Masterchef”.

“Dois menus formidáveis”, concluiu Fogaça.