NOTÍCIAS
21/05/2020 00:00 -03 | Atualizado 21/05/2020 10:36 -03

Quem é Mario Frias, ator que deve comandar Secretaria da Cultura do governo Bolsonaro

Ator estreou no governo em novembro do ano passado, ao discutir no Ministério da Educação elaboração de um projeto de TV que cria campeonato brasileiro entre escolas.

Reprodução/Facebook
Em novembro do ano passado, Mario Frias teve agenda com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e com o deputado Marco Feliciano. 

Convidado para assumir a Secretaria Especial da Cultura, Mario Frias estreou na cena política no fim do ano passado, em uma viagem a Brasília. Até então, o ator de 48 anos era conhecido principalmente pelo papel de protagonista em Malhação nos anos 1990. Seu último projeto foi na RedeTV!, com A Melhor Viagem, no qual além de atuar, ele produzia. Foi por meio desse game show e de uma outra faceta —  a de empreendedor —  que ele se aproximou de figuras da política brasileira.

Em novembro de 2019, o ator desembarcou na capital federal para uma agenda com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para falar sobre um projeto inspirado no programa que produzia. Em A Melhor Viagem, escolas competiam e os alunos concorriam a uma viagem de formatura. Graças a uma amizade com o deputado Daniel Freitas (PSL-SC), o encontro foi viabilizado e a proposta começou a ganhar corpo dentro do governo. 

Há registros oficiais de ao menos duas reuniões nas quais foi discutida a elaboração de um projeto de TV que cria um campeonato brasileiro entre as escolas. Um dos encontros contou com participação do deputado Marco Feliciano (Podemos-SP). 

Vale ressaltar que em entrevistas e vídeos em sua rede social, Mario Frias diz que nunca teve perfil de ator que fica ligando para diretor para pedir papel, que sempre quis alimentar a veia empreendedora. Em A Melhor Viagem, ele tinha exatamente esse papel de fazer o programa acontecer, em parceria com a Viva Produtora e com patrocínio da CVC. Um de seus sonhos,segundo relata, era fazer uma parceria com a educação. 

Em dezembro, foi a vez de se reunir com a ministra Damares Alves para outro tipo de pauta, mas mais uma vez ao lado do deputado Daniel Freitas.

Essa amizade também rendeu a Frias o título de cidadão honorário de Criciúma (SC), em 2015. A honraria foi resultado da aprovação de um projeto do então vereador Daniel Freitas. 

No Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, o assunto foi a desburocratização de adoção de crianças no País. Em um de seus primeiros posts com tom mais político, ele diz acreditar que a política deveria servir como instrumento para melhorar a vida das pessoas:

Desde então, a aproximação com o governo se tornou mais intensa. O ator foi um dos poucos representantes da classe artística na posse de Regina Duarte no comando da secretaria, e suas publicações nas redes sociais deram uma guinada à política.

Em recente entrevista à CNN, Frias fez uma intensa defesa do governo Bolsonaro. Elencou como ministros técnicos os dois com quem encontrou — Damares e Weintraub —, além de Tarcísio Freitas, da Infraestrutura. Disse que o governo de Jair é da esperança e, alinhado ao discurso bolsonarista, acrescentou que não deixam o presidente governar.

Para ele, Regina é um ícone da democracia no Brasil. “Primeira pessoa a apontar que, na opinião dela, os governos de esquerda seriam muitos ruins para o Brasil, o que ela acertou em gênero, número e grau”, disse.

O ator também minimizou as manifestações que pediam AI-5 e intervenção militar e a participação do presidente nesses atos. Para ele, nada mais democrático do que o povo ir às ruas. “Obviamente, em minha fala não tem nenhuma afronta em relação aos cuidados que a gente tem que ter em relação à covid-19, até porque minha mãe mora no segundo andar, moro no primeiro e estou há 50 dias sem dar um beijo nela”, pontuou.

O Mario Frias de 2018 nas redes sociais, no entanto, era pouco efusivo com política. No dia da eleição do presidente Jair Bolsonaro, ele repostou uma foto publicada pela esposa, Juliana Camatti, com a família vestida com roupa da Seleção Brasileira, sem delongas.

Até então, ele mantinha perfil público mais ligado à carreira pop que o alçou à fama. Mario Frias ficou conhecido no País ao ser protagonista de Malhação entre 1998 e 1999. O ator participou ainda de mais duas temporadas da novela juvenil, em 2001 e 2014. O debut na TV, no entanto, foi ao lado de Angélica no seriado Caça Talentos, em 1996.

Foi na Globo que ele conheceu sua primeira esposa, a atriz Nívea Stelmann, com quem ficou casado por 2 anos e teve um filho. Em 2008, ele se casou novamente com Juliana, com quem teve uma filha.

Ainda na Globo, ele interpretou um político corrupto, inspirado no presidente do PTB, Roberto Jefferson — aliado do presidente Jair Bolsonaro. O personagem era Thomas Jefferson, da novela Senhora do Destino, de 2004. Além da Globo e da RedeTV!, Frias teve passagens pela Band e RecordTV.