MULHERES
08/03/2019 11:44 -03 | Atualizado 08/03/2019 12:53 -03

Marina Ruy Barbosa: 'Precisamos juntas desconstruir essa rivalidade que criaram entre nós'

Neste 8 de março, atriz falou sobre a urgência de sororidade numa sociedade que prega rivalidade entre mulheres.

Montagem/Reprodução/Instagram
Mocinha da novela 'O Sétimo Guardião', Marina Ruy Barbosa viu seu nome envolvido em um caso de traição sob narrativa machista e patriarcal.

O Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta sexta-feira (8), tem agora um novo significado para Marina Ruy Barbosa. Após ficar no “olho de um furacão” ao ser apontada como “pivô” do fim de um relacionamento, a atriz usou seu perfil no Instagram para falar sobre a importância da data, o que tem aprendido com o feminismo e, principalmente, sobre a necessidade de sororidade numa sociedade que prega rivalidade entre mulheres.

“Oito de março é o dia da mulher. Mas muitas vezes a gente passa por essas datas sem nem entender direito, até porque tudo hoje em dia acaba indo por um viés comercial e superficial. Esse dia existe para relembrar nossas conquistas sociais, políticas e culturais ao longo dos anos. (Tudo bem que ainda falta muito, mas...) E pra relembrar também o quanto devemos unir nossas forças”, diz Marina no início do texto.

“Vamos desaprender o que a sociedade ensinou sobre as mulheres. Precisamos juntas desconstruir essa rivalidade que criaram entre nós. Comece por você a mudança que quer ver em outra mulher”, orienta a atriz. “Hoje em dia, uma das coisas que mais penso antes de dizer algo sobre outra é que quando eu atinjo uma mulher estou automaticamente me atingindo”, revela.

“Não seja uma mulher opressora. Com certeza o falar é mais fácil do que o agir. Colocar em pratica atitudes feministas diante de uma sociedade que todos os dias propaga a rivalidade e competitividade entre as mulheres não é fácil. Mas é um esforço diário, e olhar atento pra todas as atitudes que temos”, reflete a atriz.

“Devemos ter atenção, ninguém sabe a dor que a outra sente, problemas, angústias, cobranças... Antes de acusar, julgar, expor, procure saber, vá atrás da verdade, pois suas atitudes e comentários podem trazer um mal irreversível pra outra mana. Uma das coisas que eu aprendi com o feminismo é não atacar outra mulher, mesmo até que ela faça isso comigo”, conta Marina. 

Ao final o texto, a atriz de O Sétimo Guardião afirma: “O que nós precisamos fazer é parar de nos culpar. É acreditar na irmandade e solidariedade entre mulheres. Em uma sociedade que estimula a competição entre nós, a sororidade vai na contramão desse conceito”. 

Veja a publicação de Marina Ruy Barbosa atriz no Instagram:

 

“Pivô” de separação 

Em fevereiro passado, Marina foi apontada por revistas e programas de fofoca como “pivô” da separação dos atores José Loreto (com quem contracena na novela das 21h da Globo) e Débora Nascimento. O término da relação expôs ainda outros artistas em um constrangedor episódio de intrigas.

Marina se defendeu da narrativa machista enquanto era julgada pela audiência. No Instagram, a atriz deixou de ser seguida por diversas celebridades, mas também contou com o apoio público de outras amigas famosas.

Posteriormente, José Loreto publicou um texto em seu Instagram se responsabilizando pelo “espetáculo público” que causou à Débora Nascimento, à filha e às “mulheres que se sentiram ofendidas por essa situação”.

Na última segunda (4), o colunista colunista Léo Dias, do jornal O Dia - e primeiro a apontar a atriz como “pivô” da separação de Loreto - revelou que foi pressionado por um grupo de atrizes a publicar o nome de Marina.

A declaração do jornalista mostra o modus operandi de um tipo de jornalismo de celebridades que pode apontar dedos e abalar reputações a partir de rumores plantados.

Além disso, o episódio de difamação acabou impactando negativamente a novela O Sétimo Guardião

Galeria de Fotos As 17 melhores (e mais intensas) fotos de partos de 2018 Veja Fotos