ENTRETENIMENTO
13/09/2019 17:26 -03

'Marighella' tem lançamento adiado e doc sobre Chico Buarque é proibido no Uruguai

Calos Bolsonaro chegou a comemorar o adiamento do lançamento de filme de Wagner Moura estrelado por Seu Jorge.

Divulgação/Montagem
Calos Bolsonaro chegou a comemorar adiamento do lançamento de filme estrelado por Seu Jorge e Itamaraty barrou documentário sobre Chico Buarque em festival em Montevidéu.

A relação entre o cinema brasileiro e o atual governo anda em pé de guerra. No mês passado, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) criticou nominalmente projetos de temática LGBT pré-aprovados pela Ancine (Agência Nacional do Cinema) e cancelou o edital que já havia pré-aprovado os filmes.

Nesta semana, há registro de mais dois episódios ligados a filmes brasileiros. 

Um deles foi anunciado por meio de uma nota enviada à imprensa na quinta (12) pelos produtores de Marighella, dirigido por Wagner Moura, crítico declarado de Bolsonaro. Marcada para 20 de novembro, mês que marca os 50 anos da morte de Marighella e Dia da Consciência Negra, a estreia do filme foi adiada para 2020.

O motivo? A O2 Filmes [produtora do longa] não conseguiu cumprir a tempo todos os trâmites exigidos pela Ancine. Isso aconteceu devido à negação de um recurso encaminhado pela O2 Filmes à Ancine no final de agosto. Nele, a produtora questionava se a verba para a comercialização do filme poderia ser liberada antes da assinatura do contrato com o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), que estava demorando demais para finalizar o processo. 

Baseado na biografia Marighella - O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo, escrita pelo jornalista Mário Magalhães e lançada em 2012, a produção foca apenas no período entre o golpe militar de 1964 e a morte de Marighella, em 1969 - exatamente os anos mais conturbados e radicais da vida do político, guerrilheiro e escritor baiano. O protagonista do filme é estrelado por Seu Jorge. 

Um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), comemorou o fato em sua conta no Twitter:

Na coletiva logo depois da primeira exibição do filme, no Festival de Berlim, em fevereiro, Moura disse que seu filme era “maior que Bolsonaro”.

Chico Buarque proibido no Uruguai

Em sua coluna desta sexta (13) no jornal O Globo, o jornalista Anselmo Goes expôs um comunicado da JBM Producciones do Uruguai ao diretor Miguel Faria Junior, explicando que seu filme, o documentário Chico: Artista Brasileiro (2015) foi proibido, pelo Itamaraty, de ser exibido no Festival Cine de Brasil 2019, que acontece em Montevidéu em outubro. 

A embaixada brasileira na capital uruguaia é uma das patrocinadoras da mostra.