NOTÍCIAS
10/12/2019 10:57 -03 | Atualizado 10/12/2019 11:19 -03

Marie Fredriksson, vocalista do Roxette, morre aos 61 anos

Cantora sueca enfrentava um câncer no cérebro desde 2002.

A vocalista do Roxette, Marie Fredriksson, morreu na manhã desta terça-feira (10), aos 61 anos, “após 17 anos de uma longa batalha contra o câncer”, informou seu empresário em um comunicado oficial. A musicista sueca enfrentava um câncer no cérebro desde 2002. Na ocasião, ela foi diagnosticada com um tumor depois de sofrer um desmaio. O funeral será reservado apenas para familiares.

Nascida em 30 de maio de 1958, na Suécia, Fredriksson formou o Roxette com o músico Per Gessie em 1986. A dupla alcançou fama internacional dois anos depois, com o lançamento do álbum Look Sharp. Entre os principais sucessos da carreira da artista estão hits como Listen To Your Heart, It Must Have Been Love, Joyride, Dressed For Success, How Do You Do!, Sleeping In My Car, Dangerous, Fading Like A Flower e muitos outros.

Em uma mensagem nas redes sociais, Gessle lamentou a morte de sua parceira. “Não há tanto tempo atrás, passávamos dias e noites em meu pequeno apartamento compartilhando sonhos impossíveis. Estou honrado e ter compartilhado seu talento e generosidade. As coisas nunca mais serão as mesmas”, escreveu.

A cantora era casada com Mikael Bolyos e deixa dois filhos, Josefin e Oscar. Em comunicado, a família pediu respeito neste momento de dor. Fredriksson foi diagnosticada com câncer em 2002, após desmaiar no banheiro de sua casa. Logo depois, passou por sessões de quimioterapia e uma cirurgia. No entanto, a doença deixou algumas sequelas. Ela perdeu a visão de um dos olhos, além de ter audição e mobilidade reduzidas. Mesmo assim, retornou aos palcos e seu último lançamento foi o álbum Good Karma, em 2016.

Leia a íntegra do comunicado oficial:

“Em 2002, Marie foi diagnosticada com um severo tumor, recebendo um tratamento agressivo, mas que foi bem-sucedido. Graças ao seu espírito extremamente forte, em 2009 Marie foi capaz de fazer um retorno gradual aos palcos. O improvável retorno do Roxette resultou em novos discos e turnês que colocou a dupla novamente diante de plateias que sorriam, gritavam e choravam ao redor do mundo. Durante esses anos Marie foi uma incrível guerreira, superando as adversidades das turnês para se reencontrar com seus fãs nos palcos. Mas em 2016, o show finalmente acabou quando os médicos de Marie a aconselharam a parar de fazer turnês e se concentrar na sua saúde.

Marie nos deixa um grande legado musical. Sua voz incrível — forte e sensível ao mesmo tempo — e suas performances mágicas ao vivo serão lembradas por todos nós que tivemos a sorte de presenciá-las. Mas nós também vamos lembrar da pessoa maravilhosa que tinha um grande apetite pela vida, e uma mulher com um coração enorme que se importava com todo mundo que conhecia”.