COMPORTAMENTO
10/03/2019 08:54 -03 | Atualizado 11/03/2019 12:53 -03

Esta fotógrafa perguntou a homens como eles rejeitam a masculinidade tóxica

Uma nova série de imagens da fotógrafa Jessica Amity mostra como o machismo atinge os homens.

Denom, do Nepal, e Sam, residente no Reino Unido e na Austrália, participaram do novo ensaio da fotógrafa Jessica Amity “To Be a Man” (“Ser um Homem”).

Muitas vezes passamos não nos atentamos aos benefícios que o feminismo traz aos homens.

Quando homens resistem ao estereótipo do que um “homem de verdade” deve ser, ficam livres para viver a vida à sua própria maneira. Podem chorar à vontade depois de um dia horrível no trabalho. Podem ficar em casa e cuidar dos filhos enquanto sua parceira ganha dinheiro para sustentar a casa.

Em uma nova série de imagens, a fotógrafa Jessiba Amity capta como a rejeição das normas de gênero pode ser libertadora para os homens.

Armada com sua câmera Nikon D850, a fotógrafa, que vive no Nepal, percorreu as ruas de Katmandu pedindo a homens suas reflexões sobre a masculinidade tóxica e o efeito dela sobre sua vida. Então pediu que terminassem uma frase começando com “Tudo bem eu....”.

As respostas foram tão diversas quanto os próprios homens.

“Tudo bem eu ser inseguro”, disse à fotógrafa um holandês chamado Caspar.

“Sempre pensei que, por ser homem, eu devia ser dominador e autoconfiante, que nunca devia me sentir tímido ou inseguro. Devido à pressão da masculinidade tóxica, eu tinha muita dificuldade em lidar com minhas seguranças. Aprender a aceitar meus defeitos me ajudou a compreendê-los e, no final, lidar com eles.”

Jessica Amity
Caspar, um dos homens que participou da série fotográfica de Jessica Amity.

Outros mantiveram um tom mais leve. 

“Tudo bem para mim ser a conchinha. Homens também gostam de carinho e abraços”, falou em tom doce um americano chamado Zach.

Jessica Amity
Zach, outro homem que participou do projeto de Amity.

Entrevistada pelo HuffPost, Amity disse que se espantou ao ver quanto os homens tinham a dizer sobre o assunto.

“Eu imaginara que teria dificuldade, que teria trabalho para persuadi-los a se abrirem comigo”, ela disse. “Não foi o que aconteceu. Evidentemente, esses homens tinham muita consciência dessas questões.”

Amity espera que seu trabalho mostre aos espectadores que o patriarcado também prejudica os homens, forçando-os a se alinhar com uma ideia de masculinidade que não condiz com quem eles são de fato.

“Espero que este trabalho beneficie a saúde mental dos homens e mostre às mulheres que os homens também podem ser nossos aliados hoje”, ela comentou. “Quero enfatizar a importância de engajar os homens juntamente com as mulheres no esforço para contestar essas normas de gênero prejudiciais.”

Para ver mais fotos, vá para o site de Jessica Amity ou para seu Instagram para ver mais imagens da série impactante. 

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.