NOTÍCIAS
29/01/2019 17:06 -02 | Atualizado 29/01/2019 18:53 -02

Lula pede à Justiça para ir ao enterro do irmão Vavá

Sepultamento será nesta quarta (30), em São Bernardo do Campo.

Reprodução/Facebook
Lula com o irmão Vavá, em foto postada nesta terça-feira (29) nas redes sociais do ex-presidente.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta terça-feira (29) à Justiça e à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o petista está preso desde 7 abril, autorização para que ele compareça ao enterro de seu irmão Genival Inácio da Silva.

Vavá, como era conhecido, estava internado em um hospital em São Paulo desde a semana passada, para tratar um câncer no pulmão, mas não resistiu e morreu nesta terça, aos 79 anos.

O enterro está marcado para as 13h desta quarta-feira (30), em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

Lula cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá (SP), investigado pela Operação Lava Jato.

De acordo com Cristiano Zanin, um dos advogados de Lula, a Lei de Execução Penal (LEP) diz que o diretor do estabelecimento no qual está o preso é quem concede a permissão de saída - neste caso, o delegado federal responsável pela superintendência. Devido à urgência, o pedido foi feito também à Justiça.

“Como o enterro será amanhã às 13h, há necessidade de uma deliberação o quanto antes”, afirmou Zanin.

De acordo com o artigo 120 da LEP, os condenados que cumprem pena em regime fechado ou semiaberto, bem como os presos provisórios, podem obter autorização para sair da prisão, mediante escolta, em caso de “falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão”.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse, em sua conta no Twitter, que “Lula tinha em Vavá uma figura paterna”. “Esperamos que ele possa ver Vavá pela última vez”, afirmou, endossando o pedido da defesa do ex-presidente.