MULHERES
13/03/2019 17:52 -03

Deputada mais jovem da Câmara é escolhida para presidir 'Comissão da Mulher'

Aos 22 anos, Luisa Canziani é filha do ex-deputado Alex Canziani e está em missão oficial no Japão.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Luisa Canziani é escolhida presidente da Comissão da Mulher na Câmara.

A mais jovem entre os deputados federais desta legislatura, Luisa Canziani (PTB-PR) foi escolhida, aos 22 anos, como presidente da Comissão da Mulher na Câmara dos Deputados. A indicação foi formalizada nesta quarta-feira (14).

Caberá à parlamentar determinar o ritmo de tramitação das propostas no colegiado e indicar relatores dos textos. Um dos temas com análise pendente pela comissão é o Estatuto do Nascituro, que impede o aborto legal.

No Dia Internacional das Mulheres, Canziani prometeu trabalhar por políticas públicas que garantam iguais oportunidades “em projetos que incentivem mais mulheres no mercado de trabalho e ações para dar um basta na violência doméstica”.

Em entrevista à GloboNews, ela disse ter sentido um “clima de muita união por parte da bancada feminina para que todas juntas construamos uma agenda parlamentar comum em prol da saúde, segurança e educação das mulheres.”

Há 77 deputadas na Câmara, um recorde conquistado no primeiro ano em que foi aplicada uma cota mínima de 30% para candidaturas femininas. As dezenas de representantes espelham também a polarização que marcou a disputa nas urnas. Neste ano, o embate ocorreu em pautas como o impacto da flexibilização da liberação de armas para realidade da violência doméstica.

Formanda em Direito pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Londrina, Canziani aposta na experiência em outros países.

“Me aprimorei em cursos de liderança e administração pública aqui e no exterior e estou preparada para lutar pela educação, pela autonomia dos municípios e direitos das mulheres”, diz em sua página no Facebook.

Nesta semana, a deputada está em viagem em missão oficial ao Japão, acompanhada dos deputados Kim Kataguiri (DEM-SP) e Marcel Van Hattem (Novo-RS).

De acordo com a parlamentar, o objetivo da viagem é “conhecer o sistema educacional (um dos melhores do mundo), empresas de tecnologia de ponta”. Ela disse ainda, em seu perfil no Twitter, que os custos estão sendo pagos pelo Japão e não têm impacto nos cofres brasileiros.

Apesar de ser novata em Brasília, Canziani convive no meio político desde criança. Ela é é filha de Alex Canziani, ex-deputado que atuou por 5 legislaturas na capital federal.

Na posse, a parlamentar disse ter orgulho da trajetória política do pai e que irá priorizar a melhora do sistema educacional. “São 30 anos de vida pública sempre lutando pela educação, que é a bandeira da educação”, afirmou.

Alex Canziani concorreu ao Senado no ano passado, mas perdeu. Em 2017, votou pelo arquivamento da denúncia contra o então presidente Michel Temer.

A nova presidente da Comissão da Mulher é favorável à redução da maioridade penal para crimes graves, mas não tinha posição sobre a Escola sem Partido, apesar do envolvimento com a bandeira da educação, de acordo com a Gazeta do Povo.

Para se eleger, a paranaense usou as redes sociais e também visitou cidades no Paraná. Ela estima ter ido a 120 municípios durante a campanha, segundo o jornal.

Na campanha, Canziani arrecadou R$ 2,3 milhões, quase o limite legal de R$ 2,5 milhões para o cargo, segundo informações da Justiça Eleitoral. Desse valor, 78% veio da direção nacional do PTB e 19% da direção estadual do partido.

O PTB é parte da base do governo de Jair Bolsonaro e comando pelo ex-deputado Roberto Jefferson, conhecido por delatar o esquema do Mensalão. Mesmo sem mandato, o ex-parlamentar continua a atuar nos bastidores da política e tem feito coro à onda antipetista.