18/02/2019 00:00 -03 | Atualizado 18/02/2019 00:00 -03

Ludmila Hastenreiter, a empreendedora que investe nos sonhos da periferia

Ela abriu uma consultoria para levar conhecimento financeiro de forma acessível a microempreendedoras.

Valda Nogueira/Especial para o HuffPost Brasil
Ludmila Hastenreiter é a 348ª entrevistada do "Todo Dia Delas", um projeto editorial do HuffPost Brasil.

Ludmila Hastenreiter, de 30 anos, sempre gostou de números. Antes de completar 18 anos, já trabalhava com contabilidade. E depois de chegar até às multinacionais, começou a perceber que não via a si mesma naquele ambiente com o mesmo conforto de antes. Foi então que decidiu construir seu próprio lugar: fundou a Empoderamento Contábil, empresa que surgiu do desejo de levar conceitos de gestão estratégica, financeira e contábil às empreendedoras periféricas sempre em uma linguagem leve e acessível.

A escolha pelo curso de Ciências Contábeis não foi instantânea. Na dúvida, Comunicação Social também era uma possibilidade. Moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, ela ficou temerosa com a possibilidade de não ter estágio remunerado na área, então decidiu investir nos números. Com bolsa integral em uma das melhores faculdades particulares do Rio, Ludmila entrou no curso aos 17 anos, e aos 22 já estava em uma grande empresa. Foi naquele ambiente que percebeu como machismo e racismo operavam.

Em uma multinacional, ser mulher me fazia perder alguns pontos. E o fato de ser negra também influenciava.
Valda Nogueira/Especial para o HuffPost Brasil
Ludmila optou por falar diretamente para as mulheres, que em geral são chefes de família.

“Quando você está em uma multinacional, tem um comitê de avaliação do seu desempenho, e durante um tempo acreditei que era exatamente igual a eles, que se eu fosse promovida seria apenas por mérito próprio. Mas depois eu percebi que não, que ser mulher me fazia perder alguns pontos. Mas sempre de forma bem sutil. E o fato de ser negra também influenciava”, afirma.

Essa percepção fez com que Ludmila, aos poucos, não se enxergasse mais naquele ambiente: “Eu já tinha um olhar de empreendedora mas no lugar errado”. Ela sentia falta de ter contato com o cliente final, e não gostava de ficar refém por 12, 15 ou até 24 horas do seu trabalho. Saiu de uma empresa gigante rumo a uma empresa de médio porte, mas logo depois foi demitida e ainda assim não achou que aquela era a oportunidade certa para empreender.

Mas não foi possível: questionada se toparia voltar a trabalhar sem horário definido, aos fins de semana e com uma carga extensa, ela percebeu que não fazia mais parte daquele mundo. Então, nasceu a Empoderamento Contábil, com um propósito simples:

“Foi uma forma de retribuir às pessoas de onde eu morava, as pessoas periféricas. Porque eu saía da Baixada Fluminense, estudava e trabalhava na zona sul ou na Barra da Tijuca, mas depois voltava para lá e convivia com meus vizinhos.”

Eu já tinha um olhar de empreendedora mas no lugar errado.
Valda Nogueira/Especial para o HuffPost Brasil
A contadora acredita que dominar gestão financeira, tempo e seu próprio dinheiro é fundamental.

Esses vizinhos, ela lembra, eram as pessoas que a acompanhavam no trajeto entre a Baixada Fluminense e a região central do Rio, onde convivia, no trabalho, com pessoas muito ricas. Este também foi um elemento que fez Ludmila “agir” em prol da periferia.

“Ao mesmo tempo em que eu tinha contato com quem tinha muito, como colegas donos de ilhas, eu também tinha contato com quem não tinha quase nada financeiramente. Eu me perguntava o que podia fazer para tentar mudar a vida dessas pessoas de alguma forma.”

No início não havia um direcionamento claro em a Empoderamento Contábil ser focada em mulheres. Podia ser para todas e todos, mas com objetivo de desmitificar o que acreditam ser correto no mundo da contabilidade e da abertura de um negócio próprio.

“Eu queria que fosse fácil, porque me irrita essa questão de falar difícil. Algumas pessoas acham que falar difícil é sinônimo de bom profissional, e acaba sendo levado por um golpista, às vezes. E não precisa ser assim: jargão é pra usar com colega de trabalho”, enfatiza.

Eu me perguntava o que podia fazer para tentar mudar a vida dessas pessoas de alguma forma.
Valda Nogueira/Especial para o HuffPost Brasil
Hoje, Ludmila está com viagem marcada para Ohio, nos Estados Unidos e criou um financiamento coletivo para a estadia na Universidade.

Naturalmente o propósito de sua empresa se desenhou conforme seu crescimento, e Ludmila optou por falar diretamente para as mulheres, que em geral são chefes de família e têm de lidar com várias outras funções antes de empreender. A contadora acredita que dominar gestão financeira, tempo e seu próprio dinheiro é fundamental.

“Hoje posso dizer que estou no caminho, mas posso fazer muito mais, sempre pelas mulheres. Você pode conversar com qualquer pessoa do mundo, a maior influenciadora dela geralmente é uma mulher representando educação, ensino e disciplina. Se em algum momento o objetivo da empresa for atingir outras pessoas, continuar com as mulheres é o ideal.”

Você pode conversar com qualquer pessoa do mundo, a maior influenciadora dela geralmente é uma mulher.
Valda Nogueira/Especial para o HuffPost Brasil
“O impacto positivo na vida das mulheres acho que vem como um reconhecimento."

Hoje, Ludmila está com viagem marcada para Ohio, nos Estados Unidos. Foi contemplada com uma bolsa integral em um curso disputado em uma instituição famosa, com duração de duas semanas. Nas redes sociais, ela promove uma campanha de financiamento coletivo para arcar com alimentação, passagens e seguro viagem. Ainda falta 50%, mas ela está confiante que irá bater a meta.

Enquanto isso, continua a promover workshops, lives nas redes sociais e treinamentos online sobre os temas que domina, sempre sendo acessível e possível para todas. “O impacto positivo na vida das mulheres acho que vem como um reconhecimento, a certeza de que o que eu me propus a fazer é realmente isso”, finaliza.

Ficha Técnica #TodoDiaDelas

Texto: Lola Ferreira

Imagem: Valda Nogueira

Edição: Andréa Martinelli

Figurino: C&A

Realização: RYOT Studio Brasil e CUBOCC

O HuffPost Brasil lançou o projeto Todo Dia Delas para celebrar 365 mulheres durante o ano todo. Se você quiser compartilhar sua história com a gente, envie um e-mail para editor@huffpostbrasil.com com assunto “Todo Dia Delas” ou fale por inbox na nossa página no Facebook.

Todo Dia Delas: Uma parceria C&A, Oath Brasil, HuffPost Brasil, Elemidia e CUBOCC.