ENTRETENIMENTO
07/04/2019 08:53 -03

4 motivos para você não deixar de ver 'Love, Death & Robots'

Antologia de animações adultas da Netflix faz um bem-vindo apanhado do que há de mais novo na ficção científica.

Divulgação
Cena do bem-humorado Os Três Robôs, episódio baseado em um conto do escritor John Scalzi.

A produção literária de ficção científica sempre foi um algo voltada a um público mais de nicho, os nerds da literatura. Por isso, não é sempre que podemos ter um acesso tão fácil a instigantes obras de escritores que estão por aí, produzindo o que há de mais novo na ficção científica.

Essa é a pegada de Love, Death and Robots, uma antologia de animações adultas (adultas mesmo, tirem as crianças da sala!) baseadas em sua grande maioria em contos de autores respeitados no meio e produzidos na última década.

Produzida pelos diretores Tim Miller (Deadpool) e David Fincher (Clube da Luta), a série traz 18 episódios que variam entre 6 e 17 minutos feitos nos mais diversos estilos de animação, que vão do tradicional 2D ao photo-real 3D CGI, técnica digital que parece uma filmagem com atores reais.

Love, Death & Robots é o meu projeto dos sonhos, combina o meu amor pela animação e por histórias incríveis. Filmes da meia-noite, quadrinhos, livros e revistas de fantasia me inspiraram por décadas, mas eles foram relegados à cultura marginal dos geeks e nerds dos quais eu fazia parte. Estou muito contente que o panorama criativo finalmente mudou o suficiente para que a animação com temas adultos se torne parte de uma conversa cultural mais ampla”, explica Miller.

Ficção científica ou animação não é a sua praia? Então, prepare-se. Daremos aqui 4 motivos que vão te convencer a ver Love, Death & Robots agora:

  • 1 - Conheça o trabalho de respeitados autores da ficção científica atual
    1 - Conheça o trabalho de respeitados autores da ficção científica atual
    Divulgação
    A grande maioria dos episódios de Love, Death & Robots são baseados em contos de autores como Peter F Hamilton, John Scalzi, Alastair Reynolds, Ken Liu, Joe Lansdale e Marco Kloos que variam entre diversos subgêneros da ficção científica, como o cyberpunk, o steampunk, o sci-fi militar, o terror sci-fi e a weird fiction.
  • 2 - O carimbo de Tim Miller e David Fincher
    2 - O carimbo de Tim Miller e David Fincher
    Divulgação/Montagem
    Animador, roteirista e diretor, Tim Miller é a mente por trás do primeiro filme do Deadpool (2016) e Love, Death & Robots é seu projeto dos sonhos. Nerd de carteirinha e um especialista em animação, Miller reuniu um time internacional de animadores que apresentam trabalhos tão diversos quanto incríveis. Já David Fincher dispensa apresentações. Como cineasta ele tem em seu currículo filmes como Seven - Os Sete Crimes (1995), Clube da Luta (1999), Zodíaco (2007), A Rede Social (2010) e Garota Exemplar (2014). "Só" isso.
  • 3 - De volta ao mundo de Heavy Metal e Animatrix
    3 - De volta ao mundo de Heavy Metal e Animatrix
    Divulgação/Montagem
    Duas boas referências a Love, Death & Robots são as antologias de animação Heavy Metal (1981) e Animatrix (2003). Os mais antigos lembrarão de Heavy Metal, versão em animação da HQ francesa que foi pioneira no gênero ficção científica. Já quem é um pouco mais novo vai reconhecer a nova série como uma variação de Animatrix, antologia de contos passados no universo da trilogia Matrix.
  • 4 - Não espere apenas máquinas, mas fantasia, terror e comédia
    4 - Não espere apenas máquinas, mas fantasia, terror e comédia
    Divulgação
    Dentro da ficção científica há espaço para muitos aspectos além da tecnologia. É claro que as máquinas são onipresentes dentro do gênero, mas em Love, Death & Robots você vai muito terror, erotismo, humor negro, guerra e misticismo. A grande graça da série, aliás, é o caldeirão de estilos e referências desse verdadeiro universo que é a ficção científica.