ENTRETENIMENTO
18/05/2019 16:54 -03

7 histórias de quem teve a vida impactada pelo Los Hermanos

Quarteto carioca encerra turnê nacional neste sábado (18), no Allianz Parque, em São Paulo, com ingressos praticamente esgotados.

 

Divulgação/Caroline Bittencourt

O grupo Los Hermanos encerra sua turnê nacional neste sábado (18), no Allianz Parque, em São Paulo, com ingressos praticamente esgotados. A banda passou por 12 capitais promovendo sua já famosa catarse coletiva entre antigos e novos fãs apaixonados, que estavam há pelo menos quatro anos sem ver um show do quarteto carioca – período do mais recente hiato dos músicos.

Durante a turnê, iniciada em abril, em Salvador, os fãs foram presenteados com uma música inédita, Corre Corre, a primeira da banda em 14 anos. Outra marca do retorno do grupo são os números volumosos (e históricos) de público, em especial por conta do show lotado do último dia 4 que a banda fez no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, transmitido ao vivo pelo Multishow.

Para tentar entender quem são essas pessoas que tomaram o protagonismo dos shows, a banda compartilhou nas últimas semanas uma série de minidocumentários intitulada Los Fãs. Em cada vídeo curto, o espectador conhece a história de uma pessoa que teve sua vida impactada de maneira particular pela banda. “Foi também a forma que encontramos para homenageá-los e agradecer por tanto carinho recebido ao longo de todo esse tempo”, diz a carta aberta compartilhada pela banda em seu perfil no Instagram.

Os vídeos mostram histórias de casais que se conheceram em shows do grupo e que também casaram ao som de músicas da banda. Há também relatos de pessoas que superaram crises e perdas por conta do teor das letras de Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante, além de relatos de fãs que tatuaram no corpo versos do grupo, mensagens que hoje servem como mantras para uma vida mais equilibrada.

Acompanhe abaixo 7 dessas histórias:

Rodrigo Polito

 

“Eu sou oficial do corpo de bombeiros, trabalho no centro do Rio. No final de setembro de 2002 veio a notícia de um desabamento. Eu corri pra lá e durante essas buscas chegou a notícia de duas pessoas que eram um casal mas não eram casados (...). Logo quando saiu o ‘Ventura’ eu vi alguém dizer que Conversa de Botas Batidas tinha sido inspirada nessa situação. Eu percebi que muitos elementos realmente se encaixavam (...). Você vê que o Marcelo consegue captar realmente o que aconteceu; nem eu que testemunhei a cena seria capaz de retratar a realidade dessa maneira.” 

 

Fernando e Francis 

 

“Nos conhecemos através da comunidade do Orkut Los Hermanos Salvador (...). Só tenho a agradecer à banda pelo que eu conquistei na vida, foi muito através dessa comunidade e através do meu grande amor que surgiu nela também.” 

 

Felipe Simas

“Na verdade o que eu queria era assistir o show porque eu era muito fã da banda. Eu descobri o telefone do Simon, empresário do Los Hermanos, liguei para ele e fiz uma proposta (...). A partir desse dia eu descobri uma profissão, comecei a produzir shows de bandas nacionais e internacionais e hoje sou empresário de artistas também.”

 

Lays Moraes

“Em 2010 minha irmã gêmea descobriu que tava com leucemia e em 2011 a gente fez um transplante de medula óssea (...). Ela ouvia muito, muito, muito a música ‘O Vento’. Foi uma coisa que marcou muito nossa vida, como a música ajudou a gente a superar tudo isso.”

 

Raphaella Marques

 

“Eu comecei a me apegar às letras das músicas. Nessa época eu tatuei um trecho de ‘Além Do Que Se Vê’ na costela. Só que isso não foi suficiente pra mim porque eu precisava olhar pra frase e aquilo me motivar quando eu me desanimasse. E aí eu tatuei ‘Aponta pra Fé e Rema’ no braço.”

 

Nunu Passos e Luis Pessoa

 

“A gente se conheceu no show no Circo Voador (...). E foi assim, estamos desde 2005, 10 anos de casados e 13 juntos. Eu guardo o ingresso do show até hoje!”

 

Nayara Ribeiro

 

“Em 2012 eu e meu melhor amigo compramos o ingresso do show só que infelizmente ele não pode ir porque ele faleceu em fevereiro devido a um câncer. Mesmo assim, eu acabei indo no show, com muita dor no coração mas muito feliz de poder estar conhecendo a banda que ele me apresentou.”

 

Bônus - Caíto Mainier