ENTRETENIMENTO
13/03/2019 08:31 -03

De golden shower a S&M: 9 filmes que mostram práticas sexuais 'diferentes'

Não precisa perguntar no Twitter, veja aqui uma lista de filmes que vai tirar todas as suas dúvidas.

Divulgação/Montagem
Obsessão, Crash - Estranhos Prazeres e Ninfomaníaca são alguns dos filmes em nossa lista.

Depois da pergunta que não quer calar feita pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante o Carnaval, práticas sexuais não tão ortodoxas são a pauta do momento.

Confesse, você pesquisou o que é golden shower, não é?

Mas não se preocupe, há uma infinidade de filmes que tratam dessas e de outras práticas sexuais que vão deixar qualquer termo “estranho” na ponta da língua caso surja uma outra dúvida do gênero.

Veja aqui 10 filmes que mostram práticas sexuais “diferentes”:

  • "Obsessão" (2012)
    Imagine como ficou a cara do público no Festival de Cannes em 2012 quando eles viram Nicole Kidman fazendo xixi em Zac Efron? Tudo bem que o golden shower mostrado em Obsessão tinha um motivo. O personagem de Efron (Jack) foi atacado por águas vivas. Mas é só somar: O jovem Jack deseja a sensual Charlotte (personagem de Kidman) + ao ver Jack todo queimado, Charlotte diz: "Se alguém aqui vai fazer xixi nele, esse alguém sou eu" + a letra da música que toca na cena, que repete: "Eu tenho tanta sorte. Tanta sorte. Sou um cara sortudo". O resultado? Foi sim um golden shower para presidente nenhum botar defeito.
  • "Crash: Estranhos Prazeres" (1996)
    O que poderia resultar da união de um escritor que gostava de discutir fetiches em seus livros com um cineasta que gosta de discutir fetiches em seus filmes? Baseado no livro de James G. Ballard, o filme de David Cronenberg mistura sexo com acidentes de carro. Depois de se envolver em um terrível acidente automobilístico que mata um homem e deixa sua mulher bastante ferida, James Ballard (James Spader) se envolve com a vítima e os dois passam a freqüentar um grupo que tem fetiche em reconstituir acidentes de carros e transar entre feridos e ferragens.
  • "Ninfomaníaca" (2014)
    O provocador-mor do cinema mundial, o diretor dinamarquês Lars Von Trier, não poderia ficar de fora desta lista. E uma de suas maiores provocações foi esse filme onde Joe (Charlotte Gainsbourg), uma viciada em sexo de 50 anos, conta suas (muitas e variadas) aventuras sexuais para o homem que a resgata em um beco onde ela havia sido espancada por alguém. Sadomasoquismo, bondage, voyeurismo… O filme é um potpourri de taras.
  • "Professora de Piano" (2000)
    Erika Kohut, personagem de Isabelle Huppert, é a figura da repressão sexual que explode silenciosamente. Professora de piano em um conservatório de Viena, ela é uma mulher de 40 anos que ainda mora com sua mãe e leva uma vida extremamente regrada. Entre aulas de piano e escapadas a cinemas pornôs e peep-shows, ela conhece o jovem estudante Walter Klemmer (Benoît Magimel), com quem passa a realizar jogos sexuais sadomasoquistas.
  • "Veludo Azul" (1987)
    Um verdadeiro clássico do voyeurismo, Veludo Azul traz um protagonista, Jeffrey Beaumont (Kyle MacLachlan), que vê a cantora de cabaré Dorothy Vallens (Isabella Rossellini) presa em uma relação abusiva por parte de seu amante, o traficante de drogas doidão Frank Booth (Dennis Hopper), mas hesita em agir e prefere olhar. "Ainda não sei se você é um detetive ou um pervertido", pergunta sua "namoradinha" Sandy Williams (Laura Dern). "Só há uma maneira de descobrir", responde Jeffrey, que não resiste a espiar a sensual cantora sofrendo na mão de Frank.
  • "Secretária" (2002)
    Lee Holloway (Maggie Gyllenhaal) é a quintessência do masoquismo nessa comédia S&M. Sim, comédia. Após uma temporada em um sanatório, a moça busca emprego para voltar ao eixos e consegue uma vaga como secretária do advogado E. Edward Grey (James Spader). O trabalho parecia bem tedioso, mas logo os dois descobrem que são o par perfeito para seus desejos de  dominação e submissão.
  • "Elle" (2016)
    Outro diretor que adora colocar um dedo na ferida é o holandês Paul Verhoeven. E o sexo é um assunto recorrente em seus filmes. Em Elle, ele alcança o auge da provocação ao retratar a forte e independente executiva Michèle (Isabelle Huppert), que é estuprada por um estranho que invade sua casa e passa a ter uma estranha relação de desejo e poder com ele.
  • "Saló ou Os 120 Dias de Sodoma" (1975)
    Sadomasoquismo e coprofilia (se você não sabia o que é golden shower, provavelmente terá de pesquisar essa) são apenas algumas das práticas que oficiais nazistas infligem a um grupo de jovens capturados e feitos de escravos sexuais em um palácio na cidade italiana de Saló. O filme de Pier Paolo Pasolini é um marco sobre a maldade e as relações de poder do nazifascismo, mas é bem difícil de se ver.
  • "A Região Selvagem" (2016)
    Se você achou que já tinha visto de tudo em se tratando de sexo, reveja suas convicções. Nesse estranho filme mexicano, Alejandra (Ruth Ramos) é uma jovem esposa infeliz no casamento. Aconselhada por sua amiga Verónica (Simone Bucio), ela encontra um ser misterioso - que definitivamente não é desse planeta - que concede a seus parceiros o maior prazer que eles poderiam experimentar no universo.
  • Menção honrosa: "The Good Fight", 2ª temporada
    Menção honrosa:
    Divulgação
    Você achava que apenas Bolsonaro entrou em uma polêmica por conta de um golden shower? Pois até nisso ele tem algo em comum com Donald Trump. O presidente estadunidense se envolveu em um escândalo quando começaram a pipocar denúncias na imprensa americana de que em uma viagem a Moscou, em 2013, ele teria feito uma festinha com prostitutas na suíte presidencial do hotel Ritz, com direito a golden shower. O suposto vídeo mostrando tudo é o mote da 2ª temporada da série The Good Fight, um spin off de The Good Wife que mostra o dia a dia de uma firma de advocacia em Chicago. Não há uma série no momento mais anti-Trump (e divertida) na TV aberta americana. Tanto que a colocamos em nosso ranking das 10 melhores séries de 2018. Veja!