ENTRETENIMENTO
05/02/2019 13:18 -02 | Atualizado 05/02/2019 13:25 -02

Liam Neeson revela caso de racismo e diz que já quis matar qualquer ‘negro bastardo’

Após críticas sobre declaração do passado, ator de 'Vingança a Sangue Frio' negou que seja racista.

Divulgação
Filme estrelado por Neeson estreia no Brasil em 14 de fevereiro.

O ator Liam Neeson revelou um incidente racista em uma entrevista sobre seu novo filme, Vingança a Sangue Frio. Neeson disse que anos atrás, depois que uma amiga lhe contou um caso de estupro, ele vagou pelas ruas por uma semana na esperança de matar qualquer “negro bastardo” que cruzasse com ele. Nesta terça-feira (5), ele negou que seja racista. 

O ator de 66 anos estava conversando com o jornal britânico The Independent sobre como entrou no personagem de seu novo filme e se lembrou de um aparente estupro de alguém próximo a ele “há algum tempo”, segundo o publicado no veículo.

Neeson disse que quis imediatamente saber “que cor” o criminoso era. Sua raiva transbordou, ele disse, e daí passou uma semana carregando um bastão e esperando que um “negro bastardo” aleatório o questionasse por qualquer coisa para que pudesse “matá-lo”.

O ator afirma que agora se sente envergonhado com isso.

“Ela [a amiga] lidou com a situação do estupro da maneira extraordinária”, contou Neeson. “Mas minha reação imediata foi... Eu perguntei se ela sabia quem era? Disse que não. Então perguntei de que cor ele era? Ela disse que era uma pessoa negra.”

“Eu andei para cima e para baixo em áreas com um bastão, esperando ser abordado por alguém - tenho vergonha de dizer isso - e fiz isso por talvez uma semana, esperando que alguns [Neeson gesticula aspas no ar com os dedos] ‘negro bastardo’ sairia de um pub e me enfrentasse, sabe? Para que eu pudesse [pausa] matá-lo.”

Depois da repercussão negativa, o ator afirmou ao ABC’s Good Morning America que não é racista. “Se ela tivesse afirmado que ele era irlandês, escocês, britânico ou lituânio, isso teria - eu sei que teria - o mesmo efeito. Eu estava tentando mostrar que a honraria, que defenderia minha amiga.”

Alguns especialistas estão chocados com a história. Kuba Shand-Baptiste, uma escritora que é colunista do The Independent classificou os comentários como encorajadores para supremacistas brancos:

“O que eu estou falando é uma idéia secular usada para perpetrar racistas, particularmente homens brancos, a fim de legitimar seu tratamento violento aos negros. Foi a mesma narrativa que viu Emmett Till ser torturado e assassinado no Mississippi em 1955. E neste país os infames distúrbios raciais de Nottingham em 1958 também aconteceram depois que um homem negro foi visto conversando com uma mulher branca em um bar.”

Ela acrescentou que a admissão de Neeson ilumina um “fenômeno que poucos entendem”.

Escrevi sobre AQUELA entrevista do Liam Neeson e quão profundamente a alegoria da supremacia branca do ‘negro violento’ parece ter permeado a sociedade na @IndyVoices”

Em Vingança a Sangue Frio, Neeson interpreta um personagem que entra em uma espiral de vingança depois que seu filho é morto por uma gangue de traficantes.